JPMotos
Gisele Bündchen conta que pensou em suicídio após ataque de pânico
26 de setembro de 2018 às 16:38
18
Visualizações

Gisele Bündchen revelou em sua autobiografia Lessons: My Path to a Meaningful Life (ainda sem título em português) que após enfrentar uma série de ataques de pânico chegou a pensar em suicídio. “Tudo pode parecer perfeito para quem me olha de fora, mas ninguém imagina o que realmente acontece”, diz a top em entrevista à revista americana People sobre o relato do livro, que será lançado em 2 de outubro nos Estados Unidos.

Segundo Gisele, o primeiro ataque aconteceu durante um voo em 2003, que a fez desenvolver aversão à túneis, elevadores e lugares fechados. Os episódios continuaram, até que ela começou a senti-los dentro da própria casa. “Foi então que tive o pensamento: ‘se eu pular da minha sacada, isso tudo vai acabar, e eu nunca mais vou ter que me preocupar com essa sensação do mundo me fechando’”, conta.

“Eu tenho uma carreira bem-sucedida, sou muito próxima da minha família e sempre me considerei alguém positiva, então comecei a me martirizar. ‘Por que você está se sentindo assim?’. Eu sentia que não tinha o direito de ficar mal”, diz Gisele. “Ao mesmo tempo, eu me sentia indefesa. Seu mundo se torna cada vez menor e você não consegue respirar. Foi a pior sensação que tive na vida.’

A modelo consultou um médico, que a prescreveu Xanax, fármaco usado no tratamento de crises de ansiedade. Gisele, contudo, não quis se tornar adepta do medicamento. “A ideia de depender de algo, na minha mente, era ainda pior. ‘E se eu perder a pílula? E ai? Vou morrer?’. A única coisa que eu pensava é que precisava de ajuda.” Foi então que ela mudou todo seu estilo de vida, com o intuito de superar as crises.

Sobre o livro, a modelo diz que sentiu ser o momento de compartilhar suas vulnerabilidades. “Isso me fez entender que tudo que eu vivi, eu não mudaria nada, pois me tornou quem eu sou”, diz.

Fonte: Veja

ComentáriosComentários