JPMotos
Campeonato Alemão é a primeira grande liga do futebol liberada para voltar
6 de maio de 2020 às 17:08
12
Visualizações

A volta da Bundesliga está próxima: a Alemanha planeja autorizar ainda para maio o reinício com portões fechados de seu campeonato de futebol, interrompido pela pandemia do coronavírus desde março, segundo um projeto de acordo entre Angela Merkel e as regiões federativas do país ao qual a AFP teve acesso.

A retomada dos jogos na 1ª e 2ª divisão, para “limitar o dano econômico”, foi vista como “aceitável” a partir de uma data em maio a definir. De acordo com a imprensa alemã, o dia mais provável para que o futebol volte a ser disputado na Alemanha é 21 de maio.

Se confirmado, a Bundesliga será a primeira das grandes ligas europeias a voltar a competir. A França suspendeu definitivamente sua temporada na semana passada, enquanto Inglaterra, Espanha e Itália aguardam, na melhor das hipóteses, voltar a jogar em junho.

A decisão de relançar a Bundesliga deve ser confirmada nesta quarta-feira (6) em videoconferência entre a chanceler e os chefes dos governos regionais, que têm a última palavra para autorizar eventos esportivos em seus territórios.

“A retomada das competições deve ser precedida de um confinamento de duas semanas”, detalha o projeto de acordo.

300 milhões de euros

A Liga Alemã de Futebol (DFL) defende há algumas semanas esta retomada, vital para a sobrevivência econômica de um setor que emprega na Alemanha 56.000 pessoas.

A DFL apresentou aos poderes públicos um protocolo sanitário severo, baseado na realização de diversos testes de detecção do coronavírus, o que permitiria relançar a competição sem grandes riscos.

O ministro da Saúde, Jens Spahn, avalia que este protocolo “é coerente e pode servir de modelo para outros esportes”.

Caso as últimas nove rodada dos campeonatos da 1ª e 2ª divisão possam ser disputadas, os clubes alemães receberão 300 milhões de euros em direitos de televisão, o que suavizará um pouco o prejuízo financeiro causado pela pandemia, num momento em que uma dezena de clubes das duas principais divisões se encontram à beira da falência, segundo a imprensa alemã.

A DFL convocou para quinta-feira (7) uma assembleia geral por videoconferência. Os representantes dos 36 clubes deverão finalizar o plano de retomada do futebol.

Na tabela, o Bayern de Munique liderava o Campeonato Alemão no momento da suspensão dos jogos, após a 25ª rodada, com quatro pontos de vantagem sobre o Borussia Dortmund, e está próximo de conquistar um oitavo título alemão consecutivo.

O plano de saúde da liga alemã se baseia principalmente nos testes de detecção do coronavírus. Todo indivíduo que participar dos treinamentos ou dos jogos será submetido pelo menos uma vez por semana a exames, e obrigatoriamente na véspera das partidas.

“Quarentena para casos positivos”

Na segunda-feira (4), a DFL anunciou a existência de 10 casos positivos para COVID-19 entre os 1.724 testes realizados no fim de semana entre os 36 clubes da primeira e segunda divisão do futebol alemão. Na elite do futebol alemão, o Colônia revelou na semana passada três casos (dois jogadores e um preparador físico), aos quais se somam dois casos no Borussia Mönchengladbach (um jogador e um fisioterapeuta), segundo informações do jornal regional “Rheinische Post”.

Atletas e membros da comissão técnica que apresentaram casos positivos serão colocados em confinamento, mas o restante do elenco não terá necessariamente que ser isolado. A decisão final sobre as medidas de isolamento não pertence aos clubes, ma sim às autoridades de saúde locais, dependentes dos poderes regionais. Por enquanto, a lei na Alemanha pede que qualquer pessoa que teve contato com um caso “positivo” deve permanecer isolado por quatorze dias.

Para os jogos, 300 pessoas serão autorizadas no estádio e serão criadas zonas para evitar ao máximo os contatos: zona “campo”, zona “arquibancada” e zona “exterior”.

Para os jogadores, os apertos de mãos e as fotos de equipe serão proibidos. Os reservas ficaram separados por uma cadeira no banco.

O catálogo de medidas de higiene e de prevenção não termina por aí e também cobre os treinos, os deslocamentos e os hotéis.

Fonte: AFP

ComentáriosComentários