JPMotos
Onde estão os jogadores a quem Vasco deve R$ 14 milhões
23 de dezembro de 2016 às 16:19
40
Visualizações

960_e773d8d6-380e-3221-88c9-0d9bfce9e92d-800x450

Em entrevista coletiva na sede do Vasco, no Rio de Janeiro, na terça-feira, o presidente Eurico Miranda apresentou o balanço financeiro de sua gestão, na qual detalhou os gastos para o pagamento de dívidas deixadas pelo antecessor Roberto Dinamite. Dentre elas, com diversos jogadores que já deixaram o Vasco ou até mesmo o futebol.

Mais precisamente, são 12 atletas e ex-atletas com quem a equipe cruz-maltina ainda têm pendências. Ao todo, o clube devia R$ 20.155.073,45, sendo que, segundo o que foi apresentado pelo próprio mandatário, R$ 5.607.309,10 foram pagos até o dia 5 de dezembro deste ano.

Ainda faltam ser pagos R$ 14.547.764,35 a jogadores que deixaram o Vasco há muito tempo, como os laterais-direitos Élder Granja, Élson e Auremir ou ao meia Caíque. Outros, como Sandro Silva, por exemplo, ainda pertencem ao time carioca, mas peregrinam pelo Brasil emprestados.

Nem mesmo os ídolos do clube deixam o compromisso vascaíno de lado. Casos do ex-meio-campista Felipe e do ex-atacante Edmundo, que seguiram carreiras diferentes após pendurarem as chuteiras.

Da lista exposta por Eurico, apenas um atleta teve todos os dividendos pagos: o goleiro Fernando Prass, hoje ídolo do Palmeiras.

622_81353daf-b5b2-3779-804f-0e7439a03c35

Veja abaixo onde estão os 12 jogadores e ex-atletas a quem o Vasco ainda deve dinheiro:

O lateral-direito chegou ao Vasco em 2012 após se destacar pelo Coritiba no ano anterior. Naquela temporada, o clube brilhou, chegando às quartas de final da Libertadores, mas Jonas, não: fez apenas 16 jogos, ao todo. Em 2016, foi rebaixado no América-MG, mas seguirá na equipe mineira.

Ídolo da torcida vascaína, ele esteve, no fim de sua carreira, no primeiro rebaixamento do clube para a Série B do Campeonato Brasileiro, em 2008. Foram, ao todo, cinco passagens pelo Vasco nos seus 16 anos de caminhada no futebol. Hoje é “esse comentarista que gosta de emitir opiniões sobre a administração”, segundo as próprias palavras ácidas de Eurico. Trabalhou na Rede Bandeirantes e hoje está no canal Fox Sports.

Outro ídolo da torcida do Vasco e que já se despediu do futebol – pelo rival Fluminense, em 2013. Revelado na equipe cruz-maltina, Felipe voltou ao futebol, mas à beira do campo, de onde comandará o Tigres do Brasil, da primeira divisão do Campeonato Carioca, ao lado de seu auxliar e também ex-jogador vascaíno, Pedrinho.

Outro lateral-direito que não deu lá muito certo no Vasco. Chegou em 2013 do Internacional após longa disputa com o Santos, mas não agradou à torcida – foi rebaixado naquele ano. Após atuar pelo Paraná, em 2016, disputará o Campeonato Paulista de 2017 pelo Grêmio Novorizontino.

Polivalente, ele pode atuar tanto na lateral, como no meio-campo, como volante. Chegou do Náutico por empréstimo em 2012, mas foi outro que saiu sem deixar saudades – no ano seguinte, logo foi devolvido aos pernambucanos. Em 2016, ajudou o Guarani a subir para Série B do Campeonato Brasileiro, mas foi um dos muitos dispensados do elenco bugrino.

O colombiano chegou com pompa ao Vasco, em 2013. Contratado do modesto All Boys, da Argentina, o meia canhoto até se mostrou habilidoso, mas foi diversas vezes emprestado para ganhar experiência e ainda não mostrou a que veio – tem vínculo até o fim de 2017. Passou pelo Vitória de Guimarães, de Portugal, e, nesta temporada, jogpu pelo Deportes Tolima, da Colômbia, onde esteve cedido pelo clube da Colina até o fim deste ano.

O volante se reencontrou jogando no Vasco, mas não atua mais por lá desde 2012. No ano seguinte, chegou ao Cruzeiro, onde foi bicampeão brasileiro. Depois, atuou pelo Internacional, mas, ainda neste ano, acabou vendido ao Vissel Kobe, do Japão.

Este foi um dos poucos que deixaram saudades à torcida do Vasco. Atuou pela equipe cruz-maltina entre 2009 e 2012, quando foi emprestado ao Wolfsburg, da Alemanha. Em 2013 voltou ao clube carioca. Desde 2014 vem sendo um dos mais importantes jogadores do Corinthians, apesar do mau momento na atual temporada – foi até convocado para integrar a seleção brasileira.

Mais um que teve passagem para se esquecer no Vasco. Contratado em 2013 após se destacar pelo Figueirense, na temporada anterior, fez apenas 14 partidas com a camisa cruz-maltina e foi cedido ao América-MG. Hoje, atua pelo Kawasaki Frontale, do Japão, onde é chamado de “Elsinho”.

Multicampeão pelo Internacional, o ex-jogador também de Palmeiras, Sport e Atlético-MG teve rápida passagem em 2010 pelo Vasco. Granja rodou por clubes menores, como Madureira e Cianorte e até mesmo nos Estados Unidos – atuou pelo Sporting Kansas City. Em 2016, jogou o Paulistão da Série A-2 pelo Juventus, da Mooca, mas não permaneceu por lá.

Conhecido principalmente pela sua passagem pelo Palmeiras, onde mostrou sua habilidade nos chapéus em “cavadinha”, o volante também não deixa saudades ao torcedor do Vasco. Em 2016, esteve emprestado no Oeste, onde quase caiu para a Série C. Deve ser dispensado pelo Vasco na próxima temporada.

O atacante também foi disputado por muitos clubes após se destacar pelo Guarani, mas definitivamente não foi bem no Vasco. Jogou pouco pelo time da Colina e depois rodou por Avaí, futebol coreano e chinês até chegar ao Atlético-GO, onde foi campeão da Série B, mas não continuará e já foi liberado.

Fonte:ESPN

ComentáriosComentários