JPMotos
Viviane Sucuri se torna a primeira mulher cearense da história a ingressar no UFC
14 de setembro de 2016 às 08:52
10
Visualizações

20160914062015_8636_capaUm sonho, enfim, realizado: Viviane Pereira, a Sucuri, é mais nova atleta do Ultimate Fighting Championship (UFC). O contrato com a maior organização de lutas do mundo foi assinado no final da semana passada e teve os últimos detalhes acertados nesta terça-feira, dia 12 de setembro, envolvendo a equipe da atleta, a Dragon Kombat, de Fortaleza, e a empresa que agencia Sucuri, a Take Over Sports Agency.

A informação foi confirmada em primeira mão pelo blog Clube da Luta.

Com o feito, Sucuri se torna a primeira mulher cearense da história a ingressar no Ultimate, passando a compor o elenco da categoria peso-palha (até 52kg). Agora, o Ceará passa a ter cinco representantes no UFC. Os outros são Caio ‘Monstro’ Magalhães, Rony Jason, Godofredo Pepey e Thiago ‘Pitbull’ Alves. Antes, o Estado teve outros atletas competindo pela franquia, como Willamy Chiquerim, José Maria ‘No Chance’ e Hermes França, mas todos eles homens.

Considerada o maior nome do MMA feminino cearense, Sucuri tem um cartel invicto de 11 lutas profissionais no MMA e 11 vitórias. Ela já era especulada como provável reforço do UFC desde o ano passado, sobretudo após conquistar o cinturão mundial do Xtreme Fighting Championships (XFC) internacional, em novembro.

Além deste, ela tem sua galeria outros três cinturões, todos na categoria do peso-palha feminino: o do Limo Fight Championship (LFC), o do Bitetti Combat e o do Aspera FC, conquistado em agosto deste ano, quando derrotou por pontos a gaúcha Carolina Karasec.

PERFIL

Viviane Sucuri é natural de Tauá, cidade do sertão cearense que fica a 342 km de Fortaleza. Ela ingressou nas artes marciais competindo em eventos de sanda e muay thai, modalidades de luta em pé. E em maio de 2013, fez sua estreia no MMA profissional.

Com vitória, assim como nas outras 10 vezes em que subiu para lutar. De suas vitórias, 4 foram por nocaute, duas finalização e cinco por decisão dos juízes.

Fonte: Blog Clube da Luta

ComentáriosComentários