JPMotos
Suspeito de participar de roubo a ônibus que terminou em morte é detido no DF
14 de março de 2018 às 15:32
105
Visualizações

A Polícia Civil do Distrito Federal apreendeu um adolescente suspeito de estar envolvido no assalto a ônibus que terminou com a morte de Claudineia Teixeira, de 37 anos, em Ceilândia. Ela morreu após descer do coletivo, cair e ser atingida pelo mesmo veículo. O caso ocorreu na madrugada de terça-feira (13).

Até a última atualização desta reportagem, a polícia havia detido somente o jovem de 17 anos. As equipes localizaram o suspeito por meio de imagens das câmeras de segurança do ônibus. Levado à Delegacia da Criança e do Adolescente 2 (Taguatinga), ele foi reconhecido por passageiros que estavam na viagem.

Segundo o delegado-chefe da 23ª Delegacia de Polícia, Victor Dan, policiais o encontraram na rua da QNP 34, mesma quadra onde houve o atropelamento. “Ele não tinha antecedentes, mas temos informação de que ele participava de tráfico de drogas”, afirmou.

O outro suspeito, de 22 anos, conhecido como “Diabo Louro”, continua foragido. Segundo a Polícia Civil, ele tem um mandado de prisão em aberto por homicídio, tráfico de drogas e roubo. Ele também entrou armado no ônibus.

A polícia ainda busca um terceiro participante do assalto. Ele estava em um Fiat Siena vermelho utilizado para dar cobertura aos assaltantes. A corporação ainda não conseguiu identificá-lo.

Roubo e morte

O delegado Victor Dan afirmou que os autores serão indiciados por latrocínio – quando ocorre morte durante um roubo. “Era de se esperar que o assalto ao ônibus causaria o pânico que levou à morte de Claudineia”, explicou.

Se condenado, Alessandro pode ficar até 30 anos preso. O adolescente deve responder por ato infracional análogo ao latrocínio. A pena para o adolescente chega, no máximo, a três anos de internação.

Registro em vídeo

Um vídeo gravado pelas câmeras de segurança do ônibus que atropelou e matou Claudineia ao sofrer uma tentativa de assalto nesta terça-feira (13), em Ceilândia, no Distrito Federal, mostra o desespero dos passageiros ao verem o momento em que os dois assaltantes entram no veículo. Uma mulher passou mal e desmaiou durante o assalto.

As câmeras dos ônibus foram as únicas a gravarem o crime, segundo a Secretaria de Segurança Pública do DF – a câmera da pasta, que fica na esquina de onde o caso ocorreu, estava quebrada.

Claudineia estava dentro do coletivo quando os assaltantes obrigaram o motorista a abrir as portas. A passageira desceu, mas se desequilibrou, caiu e acabou atingida pelo próprio ônibus no momento em que o motorista também tentou fugir do crime.

Motorista liberado

Os policiais civis ainda apuram a participação de um terceiro veículo, que teria atropelado Claudineia antes do acidente com o ônibus. A informação não pôde ser confirmada, até o momento, porque o motorista desse outro carro não prestou socorro.

Ainda assim, o delegado Victor Dan assegurou que não vai indiciar nem o condutor do terceiro veículo nem o motorista do ônibus. “Mas só vamos poder concluir a dinâmica do atropelamento após a conclusão da perícia.”

Por enquanto, nem as armas usadas no assalto nem os objetos roubados foram encontrados.

Fonte: G1

ComentáriosComentários