JPMotos
Chuvas reduzem, mas desvio foi 106,4% acima da média
30 de janeiro de 2016 às 09:49

20160130070054_3201_capaAs chuvas perderam a intensidade na maior parte do Ceará nos últimos quatro dias e a previsão da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) é de redução nste fim de semana. Ontem, foram registradas chuvas em 18 municípios. As cinco maiores ocorreram em Ganja (22mm), Cruz (13.8mm), Piquet Carneiro (11mm), Uruoca (10mm) e Jijoca de Jericoacoara (9mm).

A redução na intensidade pluviométrica no Estado deve-se ao afastamento do sistema meteorológico denominado Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN), que se distanciou do Ceará em direção Oeste. “O centro do sistema está sobre o Piauí e Maranhão”, explicou o meteorologista da Funceme Raul Fritz. “É um fenômeno típico de pré-estação chuvosa, de mudança rápida, e que pode retornar ainda durante a primeira quinzena de fevereiro, mas com tendência de diminuir cada vez mais”.

As chuvas intensas que banharam várias regiões do Estado nas duas últimas semanas foram provocadas pela aproximação do VCAN, que permaneceu sobre o Estado por vários dias. Essas precipitações renovaram esperanças dos sertanejos, que passaram a acreditar em um bom inverno neste ano. Muitos estão no campo, fazendo o plantio de grãos – feijão e milho – de cultura de sequeiro (aquele que depende de chuva).

Para a quadra chuvosa (fevereiro a maio), a Funceme esclarece que o principal sistema causador de chuva no Ceará é a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que permanece afastada. A previsão meteorológica aponta para uma maior chance (65%) de ocorrerem chuvas abaixo da média para o período. O principal motivo seria a influência do El Niño, que permanece intenso, e contribui para a não aproximação da ZCIT.

A redução no número de municípios com chuva e da intensidade das chuvas traz preocupação para todos, pois a maioria dos reservatórios permanece com baixo volume acumulado. Hoje, os 153 açudes monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) acumulam apenas 12,9% da capacidade. Mas esse percentual chegou a 11,8% antes das últimas chuvas.

Três açudes de pequeno porte continuam transbordando: Barragem dos Caldeirões, em Saboeiro; Trici, em Tauá; e Colina, em Quiterianópolis, todos na região dos Inhamuns. Na lista, 129 açudes permanecem com volume inferior a 30%.

Neste mês de janeiro, o índice médio de chuva esperado é de 98.7mm. Até ontem, foram registrados 203.7mm, ou seja, um desvio positivo de 106.4%. Mas, observando-se o desvio município a município, os números chamam a atenção. Tauá, onde a média de janeiro é 73.7mm, choveu 399mm até ontem, um desvio de 441.1%. O segundo maior desvio foi em Quiterianópolis, cuja média do mês é 97.1mm e choveu 433.5mm, ou seja 346.5% a mais.

Mais informações:

Funceme

Telefone: (85) 3101- 1117

www.funceme.br

Cogerh

Telefone: (85) 3218- 7024

Fonte: Diário do Nordeste

134 total views, 1 views today

ComentáriosComentários