JPMotos
Em 2016 Número de motoristas presos por dirigir alcoolizados cai 36%
16 de janeiro de 2017 às 10:57

20170116062027_7227_capa

O número de motoristas presos pelos órgãos de trânsito devido à influência do uso de álcool caiu em 2016. Somando os dados do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), é possível contabilizar 459 prisões durante as operações de fiscalização. Em 2015 foram registradas 723 detenções, o que aponta uma queda de 36% no comparativo entre os dois últimos anos. O levantamento é feito com base em ações realizadas nas CEs, BRs e vias municipais de Fortaleza.

Criminalmente, o motorista pode ser preso caso seja comprovada a ingestão da bebida através do uso do etilômetro, popularmente chamado de bafômetro, e pelo termo de constatação emitido pelos órgãos de trânsito. O condutor que se recusa a fazer o teste, e é constatada a ingestão de álcool pelo agente fiscalizador, poderá responder por inquérito criminal.

Segundo o Detran-CE, das vias com maiores incidências de flagrantes se destacam a CE 040, CE 090 e CE 085, em Caucaia. Na Capital, os motoristas alcoolizados utilizam com maior frequência as avenidas dos bairros Aldeota, Barra do Ceará, Parangaba, Bom Jardim e Siqueira. No Interior, os condutores embriagados usam como rotas as rodovias do Cariri e Ibiapaba.

As multas também diminuíram comparando os dois últimos anos. Nas BRs, em 2015, foram lavrados 1.483 autos de infração. Em 2016, com a fiscalização direcionada e focada na conscientização, foram lavrados 972 multas, uma redução de 34%. Os número nas CEs também tiveram queda. Em 2015, foram 8.883 condutores autuados. No ano passado caiu para 7.446 autuações, o que aponta uma redução de 16%.

O superintendente da PRF, Stênio Pires, avalia de forma positiva a redução. Ele acredita que a conscientização e a mudança na legislação tenha pesado na escolha entre dirigir alcoolizado ou não. “A multa aumentou em dez vezes e as fiscalizações foram intensificadas com bafômetros em cada veículo”. De acordo com o gestor, no último ano, as fiscalizações foram mais eficazes em dias e horários com maior incidência de pessoas conduzindo sob efeito de álcool. Atualmente, a PRF autua com 20 a 30 veículos por dia.

De acordo com a legislação, mesmo sendo flagrado dirigindo alcoolizado o motorista infrator não perde a CNH. O documento é apenas suspenso no momento em que ele é abordado em uma blitz. Os motoristas podem recorrer da decisão por meio da defesa prévia na junta administrativa de recursos de infração do Detran-CE, além do Conselho Estadual de Trânsito.

Redução

Segundo o professor do Grupo de Pesquisa em Transporte, Trânsito e Meio Ambiente (GTTEMA) da Universidade Federal do Ceará (UFC), Flávio Cunto, a redução no número de prisões pode representar “que os motoristas podem estar mais conscientes ou podem ter condutores rejeitando fazer o teste”. Para o especialista, as parcerias entre os órgãos de trânsito é positiva para intensificar as operações nos meses de dezembro e janeiro, mas alerta a necessidade de mudança de hábitos. “O problema do motorista são os maus hábitos. Se a fiscalização for constante, a gente soluciona”.

Fonte: Diário do Nordeste

 

22 total views, 1 views today

ComentáriosComentários