JPMotos
Abril terminou com nove assassinatos em Juazeiro e o ano é 6% menos violento
10 de maio de 2017 às 07:40

Com um total de nove homicídios em sete diferentes bairros de Juazeiro do Norte, o mês de abril teve seis assassinatos a menos na comparação com março e se constituiu no mais tranqüilo dos últimos seis meses. Ou seja, o quarto mês do ano foi 40% menos violento que o anterior e nove homicídios a menos na comparação com abril de 2016 quando 18 pessoas tombaram sem vida em Juazeiro. Este ano foram 12 homicídios em janeiro, 10 em fevereiro, 15 em março e nove no mês passado.

Segundo levantamento do Site Miséria, em abril os bairros onde houve o registro de homicídios foram Timbaúbas e Horto com dois cada e os demais no Santa Tereza, São José, Lagoa Seca, Frei Damião e Franciscanos. No acumulado do ano o bairro Frei Damião é o mais violento com o registro de seis assassinatos ou 13,04% do total de 46 homicídios. Eis a relação dos assassinatos registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 07 – Gilson Romildo Batista Bezerra, de 35 anos, que residia na Rua Ozana Pereira, 549 (Romeirão), foi morto a tiros na Rua José Marrocos perto do cruzamento com a São Damião (Santa Tereza). Ele respondia por crimes de roubo, corrupção de menores, apropriação indébita e um homicídio em Caririaçu.

Dia 13 – Jauelisson Dantas Araújo, de 28 anos, que residia na Rua Manoel Tavares Lopes, 154 (Frei Damião), foi morto a tiros na cabeça e no tórax perto da Zenir Móveis (São José), por um homem numa moto de cor preta. Ele respondia por assaltos e já tinha sido vítima de dois atentados à bala

Dia 18 – Sebastião Alex Quintino dos Santos, de 26 anos, o “Alex das Malvinas” que residia na Rua P17, número 153 (Bairro Malvinas) em Barbalha, foi morto a tiros na cabeça numa rua por trás do Loteamento Lagoa Seca I perto do Condomínio Cidade Kariris no bairro Lagoa Seca. Ele respondia por crimes de trânsito, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e uma tentativa de homicídio.

Dia 19 – Ronnykley Figueiredo de Lima, de 21 anos, o “Rony”, que residia na Rua Teodomiro Rocha (Timbaúbas) e foi morto a tiros por dois homens que chegaram em sua casa numa moto Honda XRE e adentraram o imóvel matando ele e sua mãe Maria Helena Figueiredo Tenório, de 61 anos.

Dia 19 – Maria Helena Figueiredo Tenório, de 61 anos, “Dona Leninha” morava na Rua Teodomiro Rocha (Timbaúbas) e saiu lesionada no ombro direito no caso do homicídio anterior de seu filho e morreu no Hospital Regional do Cariri, onde morreu pouco tempo depois.

Dia 22 – José Daniel Moura de Oliveira, de 17 anos, o “Neguinho” que residia na Rua Francisca Pereira de Melo, 46 (Frei Damião), passava na Rua Poeta José Vitorino perto da Igreja de Nossa Senhora das Candeias naquele bairro, quando foi morto a tiros por dois homens numa moto. Ele respondia por crimes de assaltos, homicídios e porte ilegal de arma de fogo.

Dia 22 – Marcos da Silva Santos, de 22 anos, o “Marquinhos da Tapeçaria”, que residia na Avenida Carlos Cruz, 879 (Salesianos), foi morto a tiros perto do cruzamento daquela avenida com a Rua Pio IX (Franciscanos). Ele era tapeceiro e interveio no conflito entre duas mulheres quando o padrasto de uma delas sacou uma arma de fogo e atirou no rapaz que era dono de uma tapeçaria. O mesmo respondia por crime de violência doméstica.

Dia 29 – Aparecido Pereira da Silva, de 23 anos, o “Bil”, que residia na Rua José Arnaldo Bezerra Filho (Horto) foi morto a tiros na Rua do Horto com seu irmão Francisco Pereira da Silva, de 34 anos, o “Taiá” por quatro homens encapuzados que fugiram num Corolla prata. Saiu baleado Edson Monteiro da Silva, de 26 anos, o qual foi socorrido ao hospital. “Bil” respondia por crime de porte ilegal de arma de fogo.

Dia 29 – Francisco Pereira da Silva, de 34 anos, o “Taiá” foi a outra vítima do duplo homicídio anterior à bala na Rua do Horto, morava no mesmo endereço que o irmão e era testemunha de um homicídio.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

269 total views, 6 views today

ComentáriosComentários