JPMotos
Acusado de matar policial do Raio e comerciante idoso é condenado a 44 anos de prisão
26 de novembro de 2016 às 11:04

20161126065556_8590_capa

Acusado de matar um policial do Batalhão de Policiamento de Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) e um comerciante idoso em fevereiro deste ano, após dois assaltos em um mesmo dia, Gabriel Alves de Lima, mais conhecido como “Biel”, foi condenado a 44 anos de prisão pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte). A sentença foi proferida nesta sexta-feira (25) pelo juiz Antônio José de Norões Ramos, titular da 2ª Vara Criminal de Fortaleza.

O acusado cumprirá pena em regime inicialmente fechado e não poderá apelar em liberdade. Segundo o juiz, os atos de “Biel” deixam claro a tipicidade do delito. “O fato realmente é típico, pois o acusado, mediante violência, subtraiu bens que estavam em poder e sob a guarda das vítimas, as quais foram brutalmente assassinadas, sendo que uma tratava-se de um senhor idoso, com 83 anos de idade, que sequer teve chance de defesa”, afirmou o magistrado.

O caso

No dia 12 de fevereiro deste ano, por volta das 6h, no cruzamento da rua Planalto Pici com Travessa Santo Amaro, bairro Planalto Pici, Gabriel Alves e seu comparsa Bruno de Barros, armados com revólveres, anunciaram assalto ao soldado da Polícia Militar Augusto Huebester Rabelo Félix, de 27 anos, na época lotado no BPRaio, que estava de folga. O PM desceu da motocicleta que se encontrava e se manteve de costas para os acusados. Ao constatarem que a vítima estava armada, porém, os dois efetuaram diversos disparos contra Augusto, que reagiu e conseguiu matar Bruno, mas acabou atingido com nove tiros e morreu no local.

“Biel” deixou a cena do crime em uma motocicleta de cor prata, levando a arma do policial. Meia hora depois, ele abordou o idoso José Vilemar de Freitas, 83, em um mercadinho na Rua Professor Maria Clara, no bairro Jardim Iracema. Dentro do estabelecimento, o suspeito efetuou um disparo contra o tórax da vítima, que morreu do lado de fora. Conforme relatos, R$ 100 teriam sido levados na ação.

Após investigação policial, Gabriel fugiu para a casa de um amigo em Icaraí, escondendo-se posteriormente na residência de sua avó na localidade Lagoa do Banana, sendo preso quando deixava determinado matagal na cidade de Caucaia. Além dos dois latrocínios, “Biel” já respondia por tráfico de drogas.

Fonte: Diário do Nordeste

ComentáriosComentários