JPMotos
Ano terminou com 28 mulheres mortas no Cariri, sendo quase a metade em Juazeiro
3 de fevereiro de 2018 às 13:06
626
Visualizações

No ano passado 12 mulheres foram assassinadas em Juazeiro ou 42,8% em relação ao total de 28 homicídios contra pessoas do sexo feminino no Cariri, significando mais que os 35% na comparação com 2016. Os crimes ocorreram nos bairros Timbaúbas (03), Campo Alegre, Triângulo e Romeirão (02) e os demais no Santa Tereza, Três Marias e Lagoa Seca. Depois vem o Crato (05), Barbalha (03), Missão Velha e Caririaçu com duas cada e as demais em Mauriti, Jati, Brejo Santo e Farias Brito.

Em 2016, vinte mulheres tinham sido assassinadas no Cariri, sendo sete em Juazeiro que seguiu liderando o ranking negativo duas mulheres foram assassinadas em Crato, outras duas em Brejo Santo, duas em Barro, mais duas em Farias Brito e as demais em Santana do Cariri, Mauriti, Assaré, Araripe, e Antonina do Norte. Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, a grande maioria destes homicídios tem relação direta com ciúmes.

Já segundo a faixa etária, três menores de 18 anos foram mortas no ano passado representando 10,7% do total ou bem mais que a única em 2016. Enquanto isso, sete situadas numa faixa etária de 18 a 30 anos foram assassinadas, significando 25% também a mesma quantidade de sete na comparação com o ano imediatamente anterior. Enquanto isso, acima de 30 anos, foram dezoito (64,28%) em 2017 ou seis a mais comparando com o ano anterior.

As formas foram as mais diversificadas sendo 19 com armas de fogo, outras três a golpes de faca, duas em casos de agressões, uma a pauladas, outra a golpes de machado, mais uma com facão e outra com punhal. O mês de agosto foi o mais violento para as mulheres com sete homicídios, vindo a seguir março, junho e outubro com quatro cada, abril com três, setembro e novembro duas cada, além de fevereiro e dezembro com uma. Os únicos meses que zeraram foram janeiro – mais uma vez –, maio e julho.

A mais jovem foi uma criança de 8 anos no caso Dávila Chaylane Duarte, que residia em Barbalha e foi vítima de um homicídio culposo após discutir e entrar em luta corporal com sua prima de 11 anos, sendo agredida na cabeça com um tamanco. Já a mais idosa foi Maria Leuzanira de Sousa, de 70 anos, que residia em Missão Velha, e foi morta com um golpe de machado na cabeça pelo seu marido Cícero Silvestre da Silva, de 53 anos, que terminou preso.

Do total de 141 homicídios durante 2017 em Juazeiro do Norte foram 129 homens e 12 mulheres representando 19,85% do sexo feminino. Confira abaixo a relação de todas as mulheres assassinadas no decorrer do ano passado na região do Cariri:

No dia 7 de fevereiro, Maria Leuzanira de Sousa, de 70 anos, que residia no Sítio Saco na zona rural de Missão Velha, foi morta com um golpe de machado na cabeça pelo seu marido Cícero Silvestre da Silva, de 53 anos, que foi preso. Provavelmente tenha surtado já que tinha sinais de ser doente mental.

No dia 4 de março, Francisca Elivania Cândido, de 29 anos, que residia na Rua 6 do bairro Bela Vista II em Mauriti, foi morta a golpes de facão pelo esposo e agricultor João Paulo de Almeida, de 36 anos, o qual praticou o suicídio por enforcamento. As duas filhas do casal de 10 e 12 anos não estavam em casa. Ela era conhecida por “Vânia” e trabalhava como auxiliar de serviços na Loja Zenir Móveis de Mauriti, enquanto João Paulo era um homem bastante ciumento.

No dia 9 de março, Paula Raiane Gomes da Silva, de 27 anos, que residia na Rua Santa Cecília (Salesianos) morreu no HRC dois dias após ser lesionada com três tiros perto do Hiper Bompreço (Santa Tereza) em Juazeiro do Norte por homens que fugiram num carro. Ela era lésbica e respondia por assaltos, furtos, uso de drogas e até chegou a fugir da cadeia pública de Juazeiro.

No dia 20 de março, Marlene Maria da Silva, de 52 anos, que residia no Sítio Baixa Grande em Jati, foi morta a tiros na cabeça por dois homens encapuzados e armados que chegaram numa moto de cor preta. Eles procuravam pelo dono da casa “Jovelino” que responde por um homicídio culposo no trânsito em Pernambuco e esse não estava quando mandaram a esposa se ajoelhar juntamente com a filha, a fim de orar antes de executarem a mesma.

No dia 22 de março, Ana Iracélia, de 38 anos, que residia na Rua T19, número 164 imediações do Fórum no bairro Bela Vista em Barbalha, foi morta a pauladas na cabeça pelo companheiro Geovane Antonio dos Santos, de 31 anos, que fugiu à pé e terminou preso em Jardim. Ele disse à polícia ter encontrado um homem na cama com sua esposa.

No dia 19 de abril, Maria Helena Figueiredo Tenório, de 61 anos, “Dona Leninha” que residia na Rua Teodomiro Rocha (Timbaúbas) em Juazeiro do Norte, foi morta com um tiro no ombro ao tentar defender o filho Ronnykley Figueiredo de Lima, de 21 anos, assassinado na sua frente e dentro de sua casa por dois homens que chegaram numa moto Honda XRE e adentraram o imóvel atirando.

No dia 27 de abril, Maria José da Silva, de 60 anos, que residia no Distrito de Missão Nova em Missão Velha foi morta a tiros de pistola dentro de sua casa por dois homens usando capacetes que chegaram numa moto. Existem comentários que ela teria dito à pessoas próximas que pretendia vingar o assassinato do filho José Eduardo Brito Silva, de 19 anos, o “Dudú”, morto a tiros no dia 20 de janeiro na estrada do Sítio Quimami.

No dia 30 de abril, Maria Silva de Lima, de 31 anos, que residia no bairro Umari em Caririaçu, foi morta a golpes de faca em sua casa pelo amante no caso o mototaxista José Roberto Oliveira Alves Silva, de 33 anos, residente na Rua Antonio Soares de Oliveira, 08 do Conjunto Edmilson Leite em Caririaçu. Ele tentou o suicídio batendo sua moto numa Topic, mas sofreu apenas escoriações leves e foi preso. Zé Roberto é casado, tinha um romance há oito meses com Maria a qual engravidou e, contra a vontade dele, divulgou o fato na sua conta do face book e comentou com as amigas. No dia 4 de junho ele se enforcou na cela da cadeia pública de Juazeiro.

No dia 19 de junho, Maria Belarmino da Cruz Silva, de 40 anos, que residia na Rua Jaime Dorcy, 992 (João Cabral) em Juazeiro, teve o corpo encontrado crivado de bala na estrada do Sítio Santa Rosa perto do Distrito Industrial do Cariri em Crato. Ela respondia por crime de tráfico de drogas e os acusados foram presos dias depois no caso Marcos e Marcelo Alencar Silva e Simone Vieira, a “Samara”.

No dia 21 de junho, Maria Nazaré, de 53 anos, era moradora de rua e teve o corpo encontrado crivado de bala em um banco onde dormia às margens da CE-060 no bairro Vila Três Marias em Juazeiro do Norte. No dia 6 de agosto ela foi sepultada como indigente.

No dia 22 de junho, Ana Paula Oliveira Fernandes, de 22 anos, foi encontrada morta pelo marido ao retornar do trabalho dentro de sua casa na Rua José Inácio dos Santos (Bairro Capilé) em Brejo Santo e apresentava uma lesão na boca. Ele disse ter saído cedo para trabalhar, mas a polícia já sabe que ela foi assassinada e o companheiro é o principal suspeito.

No dia 23 de junho, Maria Vera Lúcia da Costa Pinheiro, de 31 anos, a “Verinha” que residia na Rua P 06 número 269 (Bairro Alto da Alegria) em Barbalha, foi morta a tiros no cruzamento das ruas Antonio de Sá Barreto Gondim e Coronel Joca naquele bairro. Ela tinha envolvimento com o tráfico de drogas e, em sua casa, a polícia encontrou uma pistola tipo bereta calibre 22, dois papelotes de cocaína, 195 pedras de crack e dinheiro.

No dia 1º de agosto, Maria Cícera da Silva, de 40 anos, a “Cicinha” que residia na Rua Carolina Sobreira, 1824 (Timbaúbas) em Juazeiro do Norte, foi morta a tiros no dia do seu aniversário dentro de casa por dois homens que chegaram numa moto Honda CB300 de cor vinho perguntando: “cadê a valentona?”. Ela respondia procedimento por crime contra a administração pública e seu filho Francisco Bruno Ferreira Timóteo, de 22 anos, saiu lesionado no ombro esquerdo.

No dia 5 de agosto, Lúcia Gomes de Figueiredo, de 38 anos, a “Luciana”, foi morta a tiros dentro de sua casa no residencial Village Duo na Rua José Bezerra da Silva (Lagoa Seca) em Juazeiro do Norte por dois homens que chegaram numa Amarok de cor preta se passando por policiais e falando sobre uns terrenos. Ela respondia crimes de ameaças, constrangimento ilegal, estelionato e violência doméstica.

No dia 11 de agosto, Sayure Alves Nobre, de 18 anos, que residia na Rua Vereador Antonio Brás (Limoeiro) em Juazeiro, teve o corpo encontrado na CE-060 perto do lixão de Caririaçu apresentando uma perfuração à bala na cabeça e grávida de três meses. No dia 16 de agosto a polícia prendeu o namorado dela Jefferson Matteus Aguiar Luciano, de 19 anos, residente no bairro Triângulo, o qual, supostamente, não queria ser pai. O suposto autor do disparo teria sido Cícero João de Medeiros, o “Golinha”, preso dia 23.

No dia 15 de agosto, Ana Lúcia Agostinho de Morais, de 45 anos, que residia na Rua Domingos Sávio, 1516 (Timbaúbas), foi morta a tiros perto de sua casa em Juazeiro do Norte. Ela respondia Ação Penal por posse de arma e tráfico de drogas.

No dia 16 de agosto, Cleidiana Rosendo de Sousa, de 31 anos, que residia na Rua do Cruzeiro, 263 no centro de Farias Brito, foi morta dentro de casa com um tiro no ouvido efetuado pelo seu ex-companheiro e comerciante Germano Oliveira Silva, de 47 anos, residente na Travessa Senhora Conceição, que fugiu num Gol de cor branca e o abandonou no Sítio Clemente. Ele responde por tentativas de homicídios, porte de arma de fogo, embriaguez ao volante, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas e já vinha ameaçando Cleidiana de morte, sendo preso no dia 19 de agosto.

No dia 17 de agosto, Natália de Lima Dias, de 22 anos, que era de Boa Viagem e estava residindo no bairro Campo Alegre em Juazeiro do Norte, teve o cadáver encontrado com um punhal cravado no pescoço num matagal na Rua Manoel Amorim dos Santos daquele bairro perto de um barreiro que fica próximo à cadeia pública. Ela respondia por crimes de assaltos e corrupção de menores. No mesmo dia a polícia prendeu Yego Barros do Nascimento, de 21 anos, em sua casa no bairro Santa Tereza, juntamente com uma adolescente de 15 anos, como acusados do crime.

No dia 26 de agosto, Maria Eliana da Silva Sousa, de 41 anos, que morava na Rua Moacir Gondim Lóssio (Bairro São José) em Crato, foi morta com uma facada no pescoço desfechada por “Fátima Cabeleireira” residente na Rua Karolé (Bairro Muriti) e fugiu. O crime aconteceu após discussão em frente à Churrascaria Recanto do Sabor perto do Conjunto Minha Casa Minha Vida no bairro Barro Branco.

No dia 16 de setembro, Patrícia Gomes de Mesquita, 36 anos, que residia no Conjunto Nossa Senhora de Fátima em Crato, teve o corpo encontrado esfaqueado num despenhadeiro perto da Faculdade de Agronomia após cinco dias desaparecida. Ela tinha envolvimento com o tráfico de drogas e foi levada pelo menor de iniciais P. F. M. B., de 14 anos, à casa de Caio Gabriel Martins Neris, de 18, e Ana Jamylis Pires Arruda, de 19 anos, no bairro Barro Branco, acusados do crime por conta de um débito com drogas. Os dois foram presos no dia 17 de setembro em Farias Brito.

No dia 29 de setembro, Silvana Barbosa Dino, de 28 anos, que residia na Rua 16 Quadra “O”, número 13 do Conjunto Minha Casa Minha Vida (Bairro Barro Branco) em Crato, foi morta a tiros de pistola por um homem que ali chegou encapuzado numa moto Honda Bros de cor preta. Ele baleou ainda Zilvando Anjos Queiroz, de 47 anos, que foi socorrido ao Hospital São Camilo.

No dia 22 de outubro, Jussara Maria da Silva Feitosa, de 44 anos, que residia no Sítio Pedra de Fogo foi morta juntamente com o seu companheiro Erialdo Araújo Feitosa, de 46 anos, no bairro Campo Alegre em Juazeiro do Norte para onde tinham ido cobrar um dinheiro a Jussier dos Santos Ferreira, de 48 anos, o “Cier”, que foi preso. Uma neta do casal, de 3 anos, saiu lesionada no abdômen e foi socorrida. Ele era comerciante e já tinha sido vereador em Juazeiro.

No dia 26 de outubro, Horrana Evilyn Alves de Oliveira, de 17 anos, que residia na Rua Antonio Adil da Nóbrega (Triângulo) em Juazeiro do Norte, morreu no HRC. Na noite do dia 22 de outubro ela foi baleada na boca por uma pessoa identificada apenas por “Anderson” que chegou à sua casa pedindo um copo com água. A mesma respondia por assaltos e já tinha sido internada na Casa do Menor em Fortaleza.

No dia 27 de outubro, Dávila Chaylane Duarte, de 8 anos, que residia no bairro Malvinas em Barbalha, morreu no Hospital Santo Antonio num crime de homicídio culposo. No dia 24 de outubro ela discutiu e entrou em luta corporal com sua prima de 11 anos a qual agrediu a mesma na cabeça com um tamanco causando traumatismo craniano.

No mesmo dia 27 de outubro, Paloma Oliveira Silva, de 14 anos, que residia na Rua Joaquim de Sousa Menezes (Romeirão) em Juazeiro do Norte, foi morta a tiros no cruzamento da Avenida Paraná com a Rua José de Alencar naquele bairro, juntamente com o seu namorado Cícero Mailson da Silva, de 16 anos, que morava no bairro Santa Tereza. O duplo homicídio foi praticado por homens que se aproximaram em duas motos.

No dia 4 de novembro, Maria Zilda da Silva, de 43 anos, a “Branquinha”, foi morta a tiros por dois homens numa moto dentro de sua casa na Rua José de Alencar, 1095 (Romeirão) em Juazeiro do Norte, juntamente com o seu irmão Francisco Nilton da Silva, de 35 anos, o “Bibi”. Ela respondia procedimento por crime de receptação e Bibi não tinha passagens pela polícia.

No dia 29 de novembro, Severina de Brito Silva, de 36 anos, a “Ana do Crato”, que residia na Rua Elisa Lacerda (São José) em Juazeiro do Norte, foi morta a tiros dentro do seu veículo Corolla de cor preta ao parar no semáforo da Avenida Padre Cícero (Triângulo) em frente à Singer por dois homens que fugiram numa moto Honda XRE. Ela respondia por crime de porte ilegal de arma de fogo. No dia 1º de dezembro a polícia prendeu Max Wendel Lopes Dias, de 26 anos, suspeito da autoria material do crime.

No dia 3 de dezembro, Raimunda Jéssica Alaine Ribeiro de Matos, de 22 anos, que morava na Rua 4, número 61 do Conjunto Minha Casa Minha Vida no bairro Barro Branco em Crato, teve o corpo encontrado, na Rua Alto da Conceição imediações do antigo Matadouro (Bairro Zacarias Gonçalves) apresentando perfurações à bala no rosto.

 

Com Parceria Site Miséria.com.br
Por Demontier Tenório

ComentáriosComentários