JPMotos
Após caçada implacável polícia militar desvenda toda trama do assassinato do policial Deyjakson
22 de dezembro de 2016 às 09:23
153
Visualizações

20161221125011_3066_capa

A dois dias ininterruptos, um grupo de policiais militares tendo à frente o Major L. Rodrigues, estava no encalço dos suspeitos de assassinarem o policial militar Deyjakson Araujo de Viveiros, 32 anos, natural de Exu-PE, lotado na companhia do Crato.

Com a prisão na última segunda-feira (19) de Carlos David Freitas da Costa, 23 anos, natural de Fortaleza na cidade do Cedro, após ter praticado assalto a um posto de combustíveis na cidade de Várzea Alegre. Sabendo de sua prisão L. Rodrigues deslocou-se com sua equipe até aquela cidade para colher dados com o David, já que mesmo teria sido detido na sexta-feira (16) dia homicídio do praça em Juazeiro como suspeito da morte do mesmo, por ter usado nome falso quando interrogado na delegacia regional de Juazeiro, o mesmo foi liberado. Só após sua soltura é que se soube-se que o mesmo tramou em respeito ao seu nome.

Foi de suma importância a conversa do Major com o assaltante, quando o mesmo passou todo bizu (linguagem policial). Com as informações a equipe se dirigiu em busca de Felipe Rodrigues da Silva e Eduardo Nascimento da Silva, 20 anos, vulgo Galeguim ou Alemão que estariam homiziados na residência de um comparsa por nome de Francisco Gerson Germano Martins, 18 anos, na vila Guassussê, município de Orós.

Ao cercar a residência, Alemão empreendeu fuga disparando em direção aos policiais. Felipe não se encontrava na casa, já o Gerson não esboçou nenhuma resistência e contou que o Felipe estaria em sua residência na Vila Palestina. A equipe se dirigiu até a vila citada e ao chegarem na residência do Felipe, autor confesso de ter matado o policial, conforme diálogos pelas redes sociais, recebeu os policiais a bala sendo respondido a altura. Felipe Rodrigues da Silva, 17 anos tombou morto no local.

Ao retornarem à vila Guassussê os policiais foram informados que o Eduardo Nascimento Silva, 20 anos, vulgo Galego estaria escondido próximo a um cemitério. Ao sentir a aproximações dos policiais, alemão não contou conversa e disparou diversas vezes em direção a tropa. Em resposta os policiais também revidaram. Galego foi alvejado e socorrido para o hospital regional de Juazeiro e seu estado de saúde é considerado grave.

Trazido a presença do delegado regional de polícia civil de Juazeiro do Norte, Dr. Marcos Antônio, Francisco Gerson Germano Martins homem que deu guarida aos assassinos deu entrevista à TV Miséria com exclusividade:


Com Parceria Site Miséria.com.br

Por Agência Miséria

ComentáriosComentários