JPMotos
Armas de fogo responderam por 82,9% dos 141 homicídios no ano passado em Juazeiro
9 de janeiro de 2018 às 13:12

Do total de 141 homicídios registrados no ano passado em Juazeiro do Norte houve um predomínio em relação às armas de fogo. Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, foram 117 assassinatos a tiros ou 82,97% o que representa uma queda na comparação com 2016 quando o percentual foi de 87,87% (116) praticados com revólveres, pistolas ou espingardas. Já 10,63% (15 homicídios) aconteceram com armas brancas ou bem mais que 12 assassinatos de 2016 (9%)

O levantamento exclusivo mostra ainda quatro homicídios a pauladas (2,8%), dois a golpes de foice (1,4%), outros dois carbonizados (1,4%) e um por espancamento representando um percentual de 0,7% para este crime ocorrido na penitenciária. Em 2017, o maior período sem o registro de homicídios invadiu este ano. Foi de 15 dias entre 17 de dezembro e 2 de janeiro ou o mesmo intervalo de 15 dias entre 27 de setembro e 12 de outubro de 2016. A média de assassinatos em 2017 foi de 0,38 por dia com média mensal de 11,7 homicídios em Juazeiro.

Como sempre, a maioria dos casos tem envolvimento com o submundo do crime em motivos como acerto de contas, vingança e queima de arquivo. O mês de novembro foi o mais violento com 17 homicídios em 2017 enquanto dezembro terminou como o mais tranqüilo com apenas três assassinatos. De acordo com o balanço do Miséria, os demais foram: Março e junho (15), agosto e setembro (13), janeiro e outubro (12), maio e julho (11), fevereiro (10) e abril com nove homicídios. Confira a relação completa das 141 pessoas assassinadas no ano passado em Juazeiro do Norte:

JANEIRO (12 homicídios)

Dia 01 – Jesualdo Gonçalves da Silva, de 30 anos, que residia na Avenida Nossa Senhora Aparecida, 356 (João Cabral) foi morto com três tiros na cabeça quando estava na calçada de sua casa e foi surpreendido por dois homens numa moto Honda POP 100 de cor preta.

Dia 01 – Jonas Batista de Lima Cardoso, de 26 anos, que morava na Avenida Raimundo Ferreira Duarte, 121 (Carité), foi atingido por uma bala perdida ao sair da casa que estava construindo na Travessa João Rocha (Juvêncio Santana). O autor seria Adriano Ferreira, residente naquele bairro, que tentava matar o namorado de sua sobrinha apelidado por “Negão” o qual tinha brigado com a garota.

Dia 01 – Carlos Eduardo Blandino dos Santos, de 19 anos, o “Carlim Cabeção” que residia na Avenida Paraná, 21 (Romeirão), foi morto a tiros no cruzamento da Rua Ozana Pereira com a Avenida Maceió naquele bairro. Ele respondia por roubo e foi surpreendido por dois homens numa moto os quais o atingiram no tórax, cabeça e nas costas.

Dia 02 – José dos Santos, de 43 anos, o “Dé Bagaceira” que residia na Rua Bela Vista (Horto), foi morto a tiros perto de sua casa por dois homens numa moto Honda Fan de cor preta. A vítima respondia por crimes de furtos, contravenção penal, danos e roubos.

Dia 03 – Igor Bezerra da Silva, de 20 anos, que residia na Rua São Sebastião (Bairro Pio XII), foi morto a tiros por dois homens numa moto. Ele respondia por crimes de furtos, roubos, tráfico de drogas e um crime de trânsito.

Dia 04 – Lúcio Ramires Clemente de Sousa, de 33 anos, que residia na Rua Otonho Lira Cruz, 420 (João Cabral), foi morto a tiros por dois homens que chegaram em sua casa quebrando a porta e adentraram o imóvel atirando. A vítima respondia vários procedimentos na justiça, sendo a maioria por crimes de roubos e furtos.

Dia 07 – Francisco de Oliveira, de 35 anos, o “Nego Ciro” que residia na Rua Domingos Sávio, 77 (Pio XII), foi morto com cerca de dez tiros no cruzamento das ruas Domingos Sávio e Santa Tereza naquele bairro por dois homens que fugiram num carro de cor preta. Ele trabalhava no mercado central e era um dos organizadores do reisado do Pio XII.

Dia 08 – Felipe Lissandro Barros, de 18 anos, que residia na Rua Maria das Dores (Aeroporto), foi lesionado com uma facada no peito esquerdo no cruzamento das ruas Joaquim Cruz e João Rocha naquele bairro. O mesmo ainda terminou socorrido às pressas por populares à UPA Limoeiro, mas já chegou sem vida.

Dia 13 – “Josimar” foi morto a pauladas na Casa de Apoio que funciona na Rua 31 de Março, 77/B (Triângulo), por Wellington Vieira da Costa, de 42 anos, também residente no local, que foi preso e assumiu o crime alegando que o atingiu com cinco pauladas para se defender.

Dia 16 – Luiz Erlano Oliveira da Silva, de 36 anos, o “Lulinha” que residia no Apartamento 201 do Condomínio Tenente Coelho III (Aeroporto), foi morto a tiros em frente à loja Raí Veículos que funciona na Avenida Padre Cícero (Salesianos), por dois homens em uma moto. Ele já tinha sido vítima de um atentado à bala no dia 24 de dezembro de 2013 juntamente com o seu irmão, Cícero Wagner Oliveira da Silva, de 37 anos, no bairro Aeroporto, mas apenas o carro no qual viajavam foi atingido.

Dia 24 – Victor Matheus Silva Pereira, de 19 anos, que residia na Rua Antonio Pinheiro Landim, 18 (Antonio Vieira), foi morto a tiros no quintal de uma casa na Rua Antonio Nunes de Alencar, 53 perto do Parque Ecológico das Timbaúbas (Bairro José Geraldo da Cruz) por dois homens numa moto Honda vermelha e um deles Alex Alves Fernandes, de 18 anos, o “Pé de Pano”. Victor era usuário de drogas, vinha sofrendo ameaças de morte e suspeito de envolvimento em roubos.

Dia 29 – Sebastião Matias da Silva, de 56 anos, o “Bastião” que residia na Rua João Marcelino, 358 (Pio XII), foi encontrado morto a pauladas e pedradas em um terreno baldio ao lado de sua casa. Ele não tinha passagens pela polícia e fora visto bebendo com amigos na noite anterior e até teria se envolvido numa discussão.

FEVEREIRO (10 homicídios)

Dia 01 – Francisco Davi Ferreira da Silva, de 16 anos, que residia na Rua 10 Quadra A do Conjunto Minha Casa Minha Vida (Betolandia), teve o corpo encontrado em um terreno baldio em frente à Rua Juazeiro do Norte após um loteamento no final da Avenida Humberto Bezerra no bairro Vila Fátima. Ele estava desaparecido há dois dias e apresentava perfurações à golpes de faca no pescoço. Há um mês teria sido ameaçado de morte por uma pessoa apelidada por “Binha”.

Dia 05 – Alessandro Fernandes da Silva, de 35 anos, que residia na Rua Abílio José Bezerra, 96 (Novo Juazeiro), foi morto a golpes de faca por sua companheira Rita de Cássia dos Santos, que fugiu. O crime aconteceu na casa dela na Rua Severino Cândido, 110 (Aeroporto) após uma discussão durante bebedeira.

Dia 08 – Antoniel Lindemberck Rodrigues de Sousa, de 32 anos, que residia na Rua Senhor do Bonfim, 634 (João Cabral), foi morto a tiros por um homem numa moto. Ele respondia por crimes de lesão corporal, posse de arma de fogo, tráfico de drogas e violência doméstica.

Dia 12 – Cicero Correia de Lima, de 38 anos, o “Elton Mototaxista” que residia na Rua Francisco Filgueiras, 433 (Timbaúbas), morreu no Hospital Regional do Cariri. No início da tarde do dia anterior, ele pilotava sua moto pela Rua João Paulo I naquele bairro quando foi atocaiado por dois homens noutra moto os quais efetuaram disparos. Elton respondia por crime de lesão corporal praticado em 1998

Dia 18 – Antonio Romão de Araújo, de 84 anos, que residia na Rua João Rocha, 55 (Juvêncio Santana), foi morto com golpes de foice na cabeça a exemplo do seu vizinho Joaquim Nascimento dos Anjos, que tentou apaziguar os ânimos de uma briga dele com

Jack Rubens da Silva Júnior, de 49 anos, residente ao lado e este foi lesionado na cabeça. O duplo homicídio foi praticado por Alexsandro Xavier da Silva, de 20 anos, o “Alex” que é filho de Jack, sendo que os dois foram presos na UPA Limoeiro.

Dia 18 – Joaquim Nascimento dos Anjos, de 54 anos, que residia na Rua João Rocha, 51 (Juvêncio Santana), foi vítima do duplo homicídio anterior.

Dia 18 – José Hamilton da Silva, de 52 anos, que residia na Rua José Gonçalves de Almeida, 636 (Tiradentes) e era árbitro de futebol amador, foi morto a pauladas na Rua Marechal Rondon naquele bairro por Francisco Adriano da Silva, de 28, e Paulo Fred da Silva, de 38 anos os quais confessaram o crime e apontaram como motivo o fato de Hamilton ter abusado sexualmente do sobrinho de um deles.

Dia 19 – Paulo Fabiano Alves de Sousa, de 35 anos, o “Paulinho” que morava na Rua Delmiro Gouveia (Centro), foi morto com uma facada no coração desfechada pelo flanelinha Janiberto Oliveira Ramos, de 27 anos, morador da mesma rua, que terminou preso em flagrante. O fato aconteceu após discussão banal no cruzamento das ruas Delmiro Gouveia e Carlos Gomes e a vítima respondia por lesão corporal e danos.

Dia 23 – Marcos Paulo Fernandes da Silva, de 17 anos, o “Marquinhos” que residia na Rua José Sabia, 120 (Tiradentes), foi morto a tiros dentro de casa por dois homens que chegaram numa motocicleta e invadiram o imóvel. Para a polícia, o crime pode estar relacionado com o tráfico de drogas.

Dia 26 – Francisco Josaniel Silva Soares, de 26 anos, que residia na Rua Antônio Saraiva Landim (Frei Damião), foi morto com uma facada no peito esquerdo desfechada por sua cunhada Maria Dayara Germana Santana, de 19 anos, que foi presa no centro de Crato na noite do dia 28 pedindo esmolas para arrecadar dinheiro a fim de viajar. Ela chegou embriagada quebrando os pertences no imóvel e a vítima tratou de intervir quando foi lesionada.

MARÇO (15 homicídios)

Dia 08 – João Cândido da Silva, de 49 anos, o “João Mão Branca” ou “João Paraná” que residia na Rua do Horto foi morto a tiros perto de sua casa. Ele respondia por crimes de lesão corporal, ameaças e estupro contra sua própria filha doente mental e tinha sido posto em liberdade dias antes.

Dia 09 – Paula Raiane Gomes da Silva, de 27 anos, que residia na Rua Santa Cecília, 1271 (Salesianos) morreu no HRC dois dias após ser lesionada com três tiros perto do Hiper Bompreço (Santa Tereza) por homens que fugiram num carro. Ela era lésbica e respondia por assaltos, furtos, uso de drogas e até chegou a fugir da cadeia pública de Juazeiro.

Dia 10 – Lucas Matias da Silva, de 20 anos, que residia na Rua José Jataí no Jardim Gonzaga, foi morto a tiros em bar que funciona na Rua Luciano Torres de Melo naquele bairro por dois homens que fugiram numa moto. Ele respondia por crime de trânsito, porte ilegal de arma de fogo e violência doméstica.

Dia 11 – Bruno Rodrigues Bueno, de 20 anos, foi morto com dois tiros nas costas quando passava na Rua Sanfoneiro João Lucas (Frei Damião). Há três meses residia naquele bairro para onde veio procedente de São Paulo, onde respondia alguns procedimentos na justiça.

Dia 11 – Izidório Pereira de Lima, de 54 anos, o “Gerson” que morava na Rua São Damião (Santa Tereza), foi morto a tiros no cruzamento das ruas São Damião e Delmiro Gouveia naquele bairro por um homem que se aproximou a pé e saiu correndo após atirar na cabeça da vítima. Izidório era usuário de drogas.

Dia 14 – Cícero dos Santos Veloso, de 32 anos, que residia na Rua Maria Generosa de Almeida (Frei Damião), foi morto a tiros na calçada de sua casa por dois homens que fugiram numa moto Honda Bros. Ele era testemunha de um crime de receptação e seu irmão Josivan Bezerra da Silva, de 20 anos, acusado de violência doméstica, saiu lesionado com um tiro no pé

Dia 17 – Francisco Diassis dos Santos Morais, de 21 anos, o “Neném” que residia na Rua Capitão Coimbra, 412 (Pirajá), foi lesionado com duas facadas no tórax e morreu no cruzamento das Avenidas Castelo Branco e Ailton Gomes, imediações do mercado do bairro Pirajá. No dia 25 de agosto de 2017 a polícia prendeu Francisco Lira de Souza, de 59 anos, o “Chico de Nova Olinda”, indiciado como autor.

Dia 19 – Francisco Arlindo de Lima, de 40 anos, que residia na Rua Ana Rita de Sousa, 204 (Tiradentes), foi morto a tiros na Rua Olgives de Melo naquele bairro pouco tempo após sair de casa em sua moto. Ele respondia por um crime de lesão corporal contra Helaine Verônica Bezerra de Oliveira em julho de 2014, a qual até solicitou uma medida protetiva que terminou descumprida em outubro daquele ano.

Dia 19 – Kennedy Douglas Souza Cunha, de 17 anos, o “Dodô” que residia na Rua São Geraldo, 315 (Pio XII), foi morto a tiros na Rua Formosa perto do Mercantil Três Irmãos naquele bairro por dois homens que fugiram numa moto de cor preta. Ele respondia dois procedimentos em segredo de justiça e o arrombamento contra uma residência no bairro São José quando foi apreendido no dia 4 de novembro de 2015.

Dia 20 – Rafael Gonçalves, de 20 anos, que residia na Rua Luciano Garcia Gustavo, 54 (Frei Damião), foi morto em troca de tiros com a polícia após o roubo de uma motocicleta. O seu comparsa de iniciais E. G da S., de 16 anos, residente no mesmo bairro, terminou apreendido.

Dia 20 – Cícero Geyrlan Clementino Pinheiro, de 24 anos, que na Rua Joaquim Figueiredo, 87 (Triângulo) foi morto a tiros no cruzamento das ruas José Domingos da Silva e Valdomiro Marçal perto do Conjunto Prourb naquele bairro, tendo como suspeito um ex-presidiário identificado apenas por “João Paulo”. Ele respondia por crimes de porte ilegal de arma de fogo, receptação, roubo e tráfico de drogas.

Dia 20 – João Wesley Caetano Leite, de 16 anos, o “João Magrinho” que residia na Rua Mozart Cardoso, 47 (Novo Juazeiro), foi morto a tiros perto de sua casa por quatro homens em duas motos. A vítima residia há pouco tempo no local após se mudar do bairro João Cabral e tinha várias passagens pela polícia por assaltos.

Dia 22 – José Hélio Alves Gomes, de 44 anos, o “Nego Hélio” que residia na Rua Francisco Martins de Sousa (Frei Damião), foi morto a tiros perto de sua casa por dois homens numa moto. Ele era usuário de drogas, respondia por crime de tráfico e já tinha sido vítima de um atentado à bala em outubro de 2013.

Dia 24 – Rodrigo Silva Costa, de 17 anos, o “Alex” que residia na Avenida Paulo Maia (Salesianos), morreu no HRC horas após ser lesionado a golpes de canivete por Francisco Pedro Lima Silva, de 28 anos, o “Ariel”, em virtude do roubo de um celular de um parente seu. A vítima respondia atos infracionais junto às Comarcas de Cedro e Icó e estivera internado no Centro Sócio Educativo de Juazeiro. Ariel foi preso no dia 06 de setembro de 2017

Dia 26 – George Aurélio Silva de Oliveira, de 43 anos, que residia na Rua São Lazaro (Triângulo), foi morto a tiros na mesa de um bar na Rua Socorro Norões Mota perto do cruzamento com a Rua Valdomiro Marçal do Carmo no Mercado do Triângulo. A vítima não tinha passagens pela polícia e foi executada por dois homens que ali chegaram.

ABRIL (09 homicídios)

Dia 07 – Gilson Romildo Batista Bezerra, de 35 anos, que residia na Rua Ozana Pereira, 549 (Romeirão), foi morto a tiros na Rua José Marrocos perto do cruzamento com a São Damião (Santa Tereza). Ele respondia por crimes de roubo, corrupção de menores, apropriação indébita e um homicídio em Caririaçu.

Dia 13 – Jauelisson Dantas Araújo, de 28 anos, que residia na Rua Manoel Tavares Lopes, 154 (Frei Damião), foi morto a tiros na cabeça e no tórax perto da Zenir Móveis (São José), por um homem numa moto de cor preta. Ele respondia por assaltos e já tinha sido vítima de dois atentados à bala

Dia 18 – Sebastião Alex Quintino dos Santos, de 26 anos, o “Alex das Malvinas” que residia na Rua P17, número 153 (Bairro Malvinas) em Barbalha, foi morto a tiros na cabeça numa rua por trás do Loteamento Lagoa Seca I perto do Condomínio Cidade Kariris no bairro Lagoa Seca. Ele respondia por crimes de trânsito, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e uma tentativa de homicídio.

Dia 19 – Ronnykley Figueiredo de Lima, de 21 anos, o “Rony”, que residia na Rua Teodomiro Rocha (Timbaúbas) e foi morto a tiros por dois homens que chegaram em sua casa numa moto Honda XRE e adentraram o imóvel matando ele e sua mãe Maria Helena Figueiredo Tenório, de 61 anos.

Dia 19 – Maria Helena Figueiredo Tenório, de 61 anos, “Dona Leninha” morava na Rua Teodomiro Rocha (Timbaúbas) e saiu lesionada no ombro direito no caso do homicídio anterior de seu filho e morreu no Hospital Regional do Cariri, onde morreu pouco tempo depois.

Dia 22 – José Daniel Moura de Oliveira, de 17 anos, o “Neguinho” que residia na Rua Francisca Pereira de Melo, 46 (Frei Damião), passava na Rua Poeta José Vitorino perto da Igreja de Nossa Senhora das Candeias naquele bairro, quando foi morto a tiros por dois homens numa moto. Ele respondia por crimes de assaltos, homicídios e porte ilegal de arma de fogo.

Dia 22 – Marcos da Silva Santos, de 22 anos, o “Marquinhos da Tapeçaria”, que residia na Avenida Carlos Cruz, 879 (Salesianos), foi morto a tiros perto do cruzamento daquela avenida com a Rua Pio IX (Franciscanos). Ele era tapeceiro e interveio no conflito entre duas mulheres quando o padrasto de uma delas sacou uma arma de fogo e atirou no rapaz que era dono de uma tapeçaria. O mesmo respondia por crime de violência doméstica.

Dia 29 – Aparecido Pereira da Silva, de 23 anos, o “Bil”, que residia na Rua José Arnaldo Bezerra Filho (Horto) foi morto a tiros na Rua do Horto com seu irmão Francisco Pereira da Silva, de 34 anos, o “Taiá” por quatro homens encapuzados que fugiram num Corolla prata. Saiu baleado Edson Monteiro da Silva, de 26 anos, o qual foi socorrido ao hospital. “Bil” respondia por crime de porte ilegal de arma de fogo.

Dia 29 – Francisco Pereira da Silva, de 34 anos, o “Taiá” foi a outra vítima do duplo homicídio anterior à bala na Rua do Horto, morava no mesmo endereço que o irmão e era testemunha de um homicídio

MAIO (11 homicídios)

Dia 01 – Francisco Jéferson da Silva, de 19 anos, que residia na Rua Sebastião Mariano, 669 (Tiradentes), foi morto com 14 facadas na Rua Antônio Gonçalves Sobreira quando seguia para sua residência. Ele respondia por crime de roubo e corrupção de menores.

Dia 06 – Cicero Joanderson Heliodoro Alves, de 18 anos, o “Galeguinho dos Franciscanos” que residia na Vila São Francisco (Franciscanos), foi morto a tiros dentro de uma casa na Rua Delmiro Gouveia, 1348 (Salesianos) por dois homens numa moto vermelha. Ele correu, sendo perseguido quando adentrou o imóvel e seus algozes foram juntos. Galeguinho era usuário de drogas e respondia por porte ilegal de arma de fogo.

Dia 09 – Francisco Rodrigues Filho, de 20 anos, o “Bibi”, que era mecânico, residia na Rua Antonia Francisca de Alencar (Campo Alegre) e trabalhava numa oficina de motos no bairro Pirajá, foi morto a tiros na Rua Paizinho Sabiá perto da unidade da Cagece no bairro Campo Alegre. Ele não tinha passagens pela polícia e acabara de sair da casa da namorada pilotando sua moto Honda de cor preta.

Dia 12 – Francisco Carlos de Miranda, de 31 anos, o “Ketilin” que era homossexual e residia na Rua José de Alencar, 1828 no bairro João Cabral, foi assassinado com cinco facadas perto da Garagem da Guanabara (Triângulo), onde, segundo testemunhas, costumava permanecer para fazer programas sexuais e não tinha passagens pela polícia. O autor foi Cícero Frazão Ribeiro, de 20 anos, que confessou o crime e disse ser usuário de drogas.

Dia 13 – José Júnior Matias de Oliveira, de 29 anos, mototaxista que residia na Rua Francisco Martins de Souza, 56 (Frei Damião), morreu no HRC oito dias após ser lesionado com um tiro na nuca por dois homens que fugiram numa moto de cor preta. O crime aconteceu na rua onde morava perto do posto no qual trabalhava nas imediações da Pizzaria Havilla.

Dia 19 – Anildo Cândido da Silva, de 31 anos, o “Nildim” que morava na Rua Genário de Oliveira, 157 (Jardim Gonzaga), foi morto a tiros por dois homens numa moto quando passava na Rua Geraldo Lacerda Botelho daquele bairro. Ele era foragido da Cadeia de Bodocó (PE), onde, em 2007, matou um menor no Pernambuco e foi condenado, mas fugiu do cárcere e se refugiou na casa de sua irmã em Juazeiro.

Dia 21 – Antonio Pereira Lima, de 43 anos, o “Antonio Hélio” que residia na Rua Sargento Josias Pedrosa, 360 (Salesianos), foi morto a tiros na porta de casa quando estacionava seu veículo HB20 de cor preta. Ele respondia por crimes de ameaça, receptação, furto e violência doméstica.

Dia 24 – Patrick Pollack Soares Silva, de 23 anos, que residia na Rua da Conceição, 14/B (Socorro), foi morto a tiros num caso de duplo homicídio ocorrido no bairro Salgadinho. Este respondia por ameaça e contravenção penal e tombou morto no cruzamento das ruas Nila Dias Guimarães e Joana Batista Holanda perto da Coelce.

Dia 24 – José Auricélio Sousa Alves Mota, de 25 anos, que residia na Avenida Humberto Tavares do Conjunto São Francisco (Bairro Vila Velha) em Fortaleza, foi morto a tiros no caso do duplo homicídio anterior e tombou na Rua Honezina Campos Dias (Salgadinho). Ele vendedor de uma empresa de telefonia e se encontrava a trabalho em Juazeiro.

Dia 29 – Luiz Manoel Rodrigues Bento, de 17 anos, que residia na Avenida Carlos Cruz, 889 (Pio XII) teve o corpo encontrado com lesões à faca e a cabeça degolada em um matagal na Rua Francisco Martins de Sousa (Frei Damião). Em julho de 2010 ele tinha apenas 10 anos quando foi atingido no joelho por uma bala perdida no bairro João Cabral ao tentarem matar seu parente Manoel Bento da Silva Filho, o “Manoelzinho”. O acusado Antonio Cláudio Jacó da Silva, de 36, o “Memeu”, foi preso três dias depois

Dia 31 – Antonio da Silva Lima, de 20 anos, que residia na Rua 9 número 483 do Conjunto Minha Casa Minha Vida (Betolandia), foi morto com um tiro na cabeça ao assaltar uma lanchonete na Rua Joaquim Cruz da Vila São Francisco (Aeroporto), cujo comparsa fugiu numa moto e, no tiroteio, o cliente Washington Braga, de 38 anos, saiu lesionado no abdômen, enquanto sua esposa Rochelane Zacarias de Aquino, de 37, foi atingida no rosto e num dos braços. Ele morreu no dia seguinte no Hospital Regional.

JUNHO (15 homicídios)

Dia 01 – Francisco Washington Gomes Braga, de 39 anos, que residia na Rua Joaquim Cruz, 821 (Aeroporto), foi morto com um tiro no abdômen no caso anterior do assalto na lanchonete na Rua Joaquim Cruz da Vila São Francisco (Aeroporto), quando um dos acusados tombou sem vida.

Dia 01 – Cícero Natanael Amaroto Santos, de 15 anos, que residia na Rua Vaqueiro Raimundo Jacó, 648 (Bairro Leandro Bezerra), foi morto a tiros quando chegava em casa pelo borracheiro Lucas Oliveira do Nascimento, de 22 anos, o “Luquinhas”, que estava encapuzado e saiu de um matagal. Sua esposa Renata, de 24 anos, saiu lesionada na coxa esquerda, sendo socorrida à UPA Limoeiro e o acusado foi preso no dia 21 de setembro de 2017.

Dia 02 – Francisco Sousa da Silva, de 20 anos, o “Fifi” que residia na Rua Marieta França de Menezes, 138 (Salesianos) foi morto a tiros na cabeça por dois homens numa moto quando chegava na casa de sua tia na Rua Monsenhor Lima perto da TV Verde Vale naquele bairro. Ele já tinha passagens pela polícia por crimes de roubo.

Dia 03 – Ivanildo Amador Ferreira, de 27 anos, o “Tauá” que residia na Rua Chico Teté, 183 no centro de Tauá, foi morto a tiros no cruzamento das ruas Delmiro Gouveia e Rui Barbosa (Santa Tereza). Ele estava hospedado numa pousada no centro de Juazeiro e respondia por assaltos e lesão corporal em Tauá e o roubo de uma moto em Várzea Alegre, onde chegou a fugir da cadeia em 2013.

Dia 13 – Francisco Pereira de Sousa, de 48 anos, o “Pereirinha” que morava na Rua Santana Soares (Jardim Gonzaga), foi morto a tiros na Rua Augusto Dias de Oliveira ao lado da GD7 (Bairro Leandro Bezerra), enquanto pilotava sua moto Honda Bros de cor preta. Segundo populares, a vítima costumava emprestar dinheiro a juros. No dia 23 de agosto a polícia prendeu o acusado no caso Francisco Bernardino Macedo, de 56 anos, o “Macedo”, que devia ao mesmo.

Dia 15 – Rafael David Guedes dos Santos, de 19 anos, o “Rafinha” que residia na Vila Real (Frei Damião), foi morto a tiros na Rua Maria Generosa de Almeida perto de sua casa por um homem numa moto Honda Bros de cor vermelha. Ele respondia dois processos em segredo de justiça e Ação Penal por assalto contra uma Topic quando baleou o motorista Sidney Alves dos Santos, de 34 anos, o “Sidney Gordinho”.

Dia 17 – José Caitano de Souza, de 35 anos, o “Duda” que morava na Travessa Potengi (Seminário) em Crato, foi morto a tiros no cruzamento das ruas Madre Maria Vilac e Paulo César Silvino Pereira em frente à Igreja de São José no Limoeiro. Ele era tido como homem de alta periculosidade e respondia por tráfico de drogas, porte de arma de fogo, lesões corporais, acidente de trânsito com vítima fatal e seis homicídios.

Dia 19 – Xxxxx Xxxxxxx de Xxxxx, de XX anos, que residia na Xxx Xxxxxx (Bairro Xxxxxxx) teve o cadáver carbonizado e sem as pernas encontrado por populares em um terreno baldio na Rua Paizinho Sabiá (Betolandia). A polícia esteve no local notando ainda restos de fios como se a pessoa tivesse sido amarrada e assassinada no local supostamente ateando fogo não sendo possível identificar o sexo.

Dia 21 – Luis Pereira de Morais, de 42 anos, o “Luizão” que residia na Travessa Raimunda Holanda Bezerra, 13 (Bairro Jardim Gonzaga), foi morto a tiros na cabeça enquanto dormia na Rua São Francisco ao lado da Praça Padre Cícero (Centro). O mesmo era morador de rua e foi morto por um homem que fugiu num Gol de cor branca.

Dia 21 – Maria Nazaré, de 53 anos, era moradora de rua e teve o corpo encontrado crivado de bala em um banco onde dormia às margens da CE-060 no bairro Vila Três Marias.

Dia 21 – Carlos Antonio Ferreira da Silva, de 55 anos, o “Neném Macaco” que residia no Sítio Logradouro, foi morto a tiros por quatro homens em duas motos na estrada de acesso àquela localidade. Ele respondia por crimes de furto qualificado, violência doméstica e receptação.

Dia 26 – Ronaldo de Melo Limeira, de 43 anos, o “Ronaldo Bocão”, que residia na Rua do Cruzeiro, 1573 (São Miguel), foi morto a tiros na cabeça quando pilotava sua moto pela Rua Otílio Gomes de Sousa em frente ao número 400 no bairro Leandro Bezerra. Ele não tinha passagens pela polícia e o acusado fugiu por dentro de um matagal próximo.

Dia 27 – José Ronaldo da Costa, de 28 anos, que residia na Rua Luiz Izídro, 37 (Frei Damião), era morador de rua e teve o corpo encontrado crivado de bala na Rua Mauro Sampaio imediações da Praça Antonio Conserva Feitosa (Lagoa Seca). A vítima trabalhava como flanelinha nos semáforos perto do Cariri Garden Shopping.

Dia 28 – Cícero Lucas Rodrigues de Lima, de 17 anos, que residia na Rua Ana Rita de Sousa Bloco 25 Apartamento 105 do Conjunto Tenente Coelho Minha Casa Minha Vida (Aeroporto), foi morto juntamente com Kaio Vinicius Rodrigues Botelho, de 16 anos, numa troca de tiros com a polícia no bairro Cidade Universitária após assaltos em Jardim e Barbalha.

Dia 28 – Kaio Vinicius Rodrigues Botelho, de 16 anos, que residia na Rua Antonio Cardoso de Souza, 55 no bairro Pedrinhas, foi a outra vítima do caso anterior da troca de tiros com a polícia no bairro Cidade Universitária.

JULHO (11 homicídios)

Dia 02 – Henrique Guedes da Silva, de 24 anos, o “Dodô” que residia na Rua Francisco Domingos da Silva, 125 (Frei Damião), foi morto a tiros na Rua Manoel Tavares Lopes daquele bairro por homens que fugiram em motos. Ele respondia por crimes de roubos, lesão corporal, receptação, furtos, contravenção penal, violência doméstica e desacato.

Dia 02 – Xxxxxxx Xxxxxx da Xxxx, de XX anos, que residia na Rua Xxxxxx Xxxx, (Bairro Xxxxxx), teve seus restos mortais encontrados por populares num terreno baldio nas imediações do Conjunto Oasis no bairro Betolandia. No local, foi possível notar vestígios de terem ateado fogo no corpo e ainda como se tivessem amarrado as mãos caracterizando um homicídio.

Dia 02 – Andrew José Lima da Silva, de 20 anos, o “Paulistinha” que morava na Rua Ana Gonçalves de Melo (Frei Damião) foi morto a tiros perto de sua casa por dois homens numa moto Yamaha XTZ de cor preta. Ele respondia por crimes de trânsito, violência doméstica e receptação.

Dia 08 – Irlan de Sousa Brito, de 18 anos, o “Boca” que residia na Rua Francisco Martins de Souza perto da Indústria Tecnolity (Frei Damião), foi morto a tiros na Rua Ana Alves naquele bairro. Ele pilotava sua motoneta Honda Biz 125 de cor azul quando foi surpreendido pelos disparos e ainda tentou fugir por um matagal, mas tombou sem vida. A vítima respondia por crimes de furtos, roubos e porte ilegal de arma de fogo.

Dia 13 – Erismar Tragino Vieira, de 53 anos, o “Cabelo”, que era dono de um lava a jato, foi morto a tiros perto de sua casa no cruzamento das ruas Todos os Santos e Pinto Madeira (Santa Tereza) por dois homens que fugiram à pé. Ele respondia por um crime contra a administração pública e, recentemente, tinha registrado um BO por ter sido ameaçado de morte

Dia 15 – Alexsandro Lima de Freitas, de 37 anos, que residia na Rua Monteiro Lobato, 1027 (Parque São João) em Fortaleza, foi morto a facadas enquanto dormia numa calçada no Conjunto São Sebastião do Minha Casa Minha Vida (Betolandia). No local, a polícia não conseguiu informações sobre a autoria do crime.

Dia 20 – Francisco Pereira de Lima, de 59 anos, o “Seu Benone”, que morava na Rua Maria de Freitas, 70 (Frei Damião), foi morto a tiros em sua sucataria que funciona numa rua próxima a Manoel Tavares Lopes, imediações do CAIC naquele bairro. Segundo testemunhas, os acusados fugiram num carro.

Dia 21 – Valdemir Marques de Albuquerque, de 28 anos, que residia na Rua Deca Barão no bairro Pedrinhas, foi morto a tiros e facadas nas imediações da Capelinha de São Sebastião no Brejo Seco, por dois homens numa moto. Ele trabalhava como carroceiro e respondia procedimento por tentativa de assalto desde abril de 2009

Dia 21 – Manoel Claudemir dos Santos, de 32 anos, que residia na Rua Perpétua Carneiro da Cunha, 709 (João Cabral), foi morto a facadas perto de um bar na Avenida Nossa Aparecida naquele bairro. O acusado Rafael Araújo de França, de 29 anos, residente no mesmo bairro, fugiu. Há quatro anos, Manoel tinha tentado matar Rafael e os dois não se entendiam.

Dia 24 – Francisco José da Silva, de 24 anos, o “Dim da Carroça” que residia na Rua Ernestina Sobreira, 286 (Limoeiro), foi morto a tiros perto de sua casa no cruzamento das ruas Rui Barbosa e Ernestina Sobreira por dois homens numa caminhonete S-10 de cor preta. Ele trabalhava como carroceiro, já tinha sido vítima de duas tentativas de homicídios e respondia por tráfico de drogas e arrombamento.

Dia 25 – João Carlos da Silva, de 19 anos, o “Carlinhos” que morava na Rua Maria das Dores, 599 na Vila Nova (Pedrinhas) e cumpria pena no regime semi aberto com tornozeleira eletrônica, foi morto com um tiro de escopeta perto de sua casa. Ele respondia por crimes de trânsito e tráfico de drogas

AGOSTO (13 homicídios)

Dia 01 – Maria Cícera da Silva, de 40 anos, a “Cicinha” que residia na Rua Carolina Sobreira, 1824 (Timbaúbas), foi morta a tiros no dia do seu aniversário dentro de casa por dois homens que chegaram numa moto Honda CB300 de cor vinho perguntando: “cadê a valentona?”. Ela respondia procedimento por crime contra a administração pública e seu filho Francisco Bruno Ferreira Timóteo, de 22 anos, saiu lesionado no ombro esquerdo.

Dia 01 – Rafael Sampaio Cardoso, de 31 anos, morador de rua, foi morto a tiros na Rua Monsenhor Esmeraldo ao lado da Praça dos Franciscanos por dois homens numa moto Honda Bros de cor vermelha. Ele respondia procedimentos por crimes de arrombamento, roubo, furto de veículo, tentativa de furto e fuga da cadeia pública.

Dia 04 – Cícero Erivan da Silva, de 22 anos, que residia na Rua José Bezerra Mariano, 98 da localidade denominada Vila Nova (Pedrinhas), foi lesionado com vários tiros na cabeça dentro de sua casa por dois homens que fugiram numa moto. Ele respondia por crime de tráfico de drogas.

Dia 04 – José Rafael Nunes Germano, de 20 anos, o “Rafinha” que residia na Rua Santa Quitéria, 25 (Frei Damião), foi morto a tiros de garrucha na Rua Raimundo João Gonçalves da localidade denominada Baixa da Raposa naquele bairro. Ele não tinha passagens pela polícia.

Dia 05 – Lúcia Gomes de Figueiredo, de 38 anos, a “Luciana”, foi morta a tiros dentro de sua casa no residencial Village Duo na Rua José Bezerra da Silva (Lagoa Seca) por dois homens que chegaram numa Amarok de cor preta se passando por policiais e falando sobre uns terrenos. Ela respondia crimes de ameaças, constrangimento ilegal, estelionato e violência doméstica.

Dia 10 – Marcos André Guilherme dos Santos, de 29 anos, que residia na Rua José Caetano, 17 (Bairro Antonio Vieira), morreu no HRC dez dias após ser baleado na cabeça no dia 31 de julho na Vila Dom no bairro Santa Tereza. Ele respondia por lesão corporal e ameaça e os assassinos foram identificados como “Dieguinho” e Cícero André Pereira da Silva, de 31 anos, o “Andrezinho”, residente no Santa Tereza, sendo que este último foi preso.

Dia 14 – Francisco das Chagas Silva Lourenço, de 30 anos, que residia na Rua Teodomiro Sampaio, 10 (Frei Damião) foi morto a tiros na calçada de sua casa e ao lado da esposa por dois homens que chegaram num carro de cor prata. A mulher se desesperou e ainda implorou para que não matassem o mesmo, mas foi em vão.

Dia 15 – Ana Lúcia Agostinho de Morais, de 45 anos, que residia na Rua Domingos Sávio, 1516 (Timbaúbas), foi morta a tiros perto de sua casa. Ela respondia Ação Penal por posse de arma e tráfico de drogas.

Dia 16 – Arthur Feitosa de Brito Bitu, de 22 anos, que residia na Rua 11, número 79 do conjunto Minha Casa Minha Vida (Betolandia), foi morto a tiros por dois homens que o perseguiram em um carro. Ele pilotava uma moto Honda Titan 160 de cor preta, levando na garupa uma garota de 17 anos tendo abandonado o veículo e tombou morto dentro da casa na Rua 9 Quadra Q, número 109 onde tentou se refugiar.

Dia 16 – José Jonas Rodrigues dos Santos, de 28 anos, o “Juninho”, que residia na Rua Raimundo Marques da Silva, 105 na localidade denominada Baixa da Raposa (Frei Damião), onde consertava sua moto quando foi morto a tiros na porta de casa por dois homens que chegaram numa moto. Ele respondia por crime de trânsito.

Dia 17 – Natália de Lima Dias, de 22 anos, que era de Boa Viagem e estava residindo no bairro Campo Alegre, teve o cadáver encontrado com um punhal cravado no pescoço num matagal na Rua Manoel Amorim dos Santos daquele bairro perto de um barreiro que fica próximo à cadeia pública. Ela respondia por crimes de assaltos e corrupção de menores.

Dia 17 – Francisco José Gonçalves da Costa, de 42 anos, o “Carocha”, foi morto a tiros em seu Bar e Mercearia do Carocha que funciona na Rua Antonio Sobreira Guedes (Jardim Gonzaga) e seu filho Cícero Marcos Tavares da Costa, de 21 anos, saiu baleado no abdômen. Dois homens numa moto Honda de cor vermelha perseguiam um jovem identificado por “Jonas” o qual adentrou o estabelecimento. Na tentativa de impedir o homicídio, pai e filho foram baleados e o primeiro morreu.

Dia 22 – José Denílson Pinheiro da Silva, de 30 anos, que residia na Rua Assis Dias Sobreira, 259 (Timbaúbas), foi morto a tiros deitado numa rede em sua casa por quatro homens que ali chegaram em duas motos. Ele respondia dois procedimentos por furtos.

SETEMBRO (13 homicídios)

Dia 02 – Felipe Macedo Neves, de 23 anos, que residia no bairro João Cabral, foi morto a tiros no cruzamento das ruas Ozana Pereira e Pio Norões naquele bairro por dois homens numa moto Honda Fan de cor preta. No dia 7 de julho de 2015 foi preso no cruzamento das ruas Farias Brito e Padre Nestor (João Cabral) com oito papelotes de cocaína quando disse que era apenas usuário e, em 2014, já tinha sido vítima de ameaça.

Dia 08 – Geovani Gomes Flor, de 25 anos, o “Hulk”, que era do Sítio Sabiá e morador de rua, foi morto com dois tiros no rosto quando estava deitado no calçadão da Rua São Domingos ao lado da via férrea no bairro Franciscanos. Na mão dele foi encontrado um punhal artesanal escondido sob a manga comprida da blusa, enquanto no bolso do short e na mochila tinham correntes de motos. “Hulk” respondia por assaltos, era temido na área por onde perambulava, dormia nas ruas e até espancava outros andarilhos.

Dia 10 – Danilo Guilherme de Siqueira, de 18 anos, que residia no Conjunto Tenente Coelho do Minha Casa Minha Vida (Aeroporto), foi morto a golpes de faca por uma pessoa identificada apenas pelo apelido de “Baiano”. O crime aconteceu na Rua Ana Rita de Sousa no Bloco 3 do TC naquele bairro.

Dia 10 – Xxxxxx Xxxxxx Xxxxxx, de XX anos, que residia na Rua Xxxxx, (Xxxxxx) foi morto numa troca de tiros com militares do RAIO no Conjunto Conviver (Aeroporto). No dia 31 de outubro, o corpo foi sepultado como indigente já que não surgiram parentes para fazer o recolhimento.

Dia 11 – Ícaro Welton Ribeiro Silva, de 29 anos, que residia na Rua Joana Batista Holanda (Bairro Salgadinho), foi morto a tiros por dois homens numa moto no cruzamento das ruas São Benedito e Rui Barbosa (Limoeiro) ao volante do seu veiculo Fox de cor preta. Ele respondia por crimes de saidinha bancária e porte ilegal de arma de fogo nos estados de Alagoas e Pernambuco.

Dia 11 – Francisco Fábio de Lima, de 22 anos, que residia na Rua Raimundo João Gonçalves, 142 da localidade denominada Baixa da Raposa no Frei Damião, foi morto a tiros dentro de casa por dois homens que ali chegaram numa moto XLR nas cores branca e vermelha. Ele era usuário de drogas.

Dia 11 – Francisco Valdones Neves Cavalcante, de 23 anos, que residia na Rua Joaquim da Cruz, 476 (Aeroporto), foi morto a tiros na cabeça na Rua Delmiro Gouveia (Santa Tereza). Ele era usuário e tinha envolvimento com o tráfico de drogas, respondia dois crimes de violência doméstica, furtos, roubos, posse ilegal de arma de fogo e tinha sido vítima de dois atentados à bala no mesmo bairro Santa Tereza em abril e agosto de 2017.

Dia 14 – Damião de Jesus, de 46 anos, o “Baiano” que era morador de rua e trabalhava como flanelinha, foi morto a pauladas por outro morador de rua no caso José Roberto Galeno da Silva, de 48 anos, em frente à Biblioteca Pública Municipal onde tudo aconteceu na Rua Santo Agostinho (Centro), após bebedeira e discussão banal. No dia 31 de outubro, o corpo foi sepultado como indigente

Dia 14 – Adilanio Oliveira da Silva, de 32 anos, que residia na Rua José Moura Lins, 464 (Salesianos) e trabalhava como torneiro mecânico, foi morto a tiros por quatro homens em um Fiat Siena de cor prata perto de um posto de combustíveis na Avenida Paulo Maia daquele bairro. Ele respondia por crimes de violência doméstica.

Dia 18 – José Leonardo Guilherme dos Santos, de 25 anos, o “Léo” que residia na Coronel José Xandu, 813 (Tiradentes), foi morto a tiros na cabeça perto de sua casa por dois homens numa moto. Ele era usuário de drogas e respondia por crimes de ameaças, lesão corporal, furto e o assassinato de Emerson Augusto da Silva, de 23 anos, no dia 19 de junho de 2011 no bairro Pedrinhas.

Dia 25 – José Henrique Alves de Lima, de 15 anos o “Riquinho”, que residia na Rua Vicente Barbosa de Melo, 47 (Frei Damião), foi morto a tiros de pistola em sua casa por três homens que chegaram num carro e adentraram o imóvel atirando e matando ainda, num caso de triplo homicídio, Gerah Cordeiro dos Santos, o “Galego”; e Higgor Oliveira Silva, ambos de 16 anos.

Dia 25 – Gerah Cordeiro dos Santos, de 16 anos, o “Galego”, que residia na Rua José Pereira de Araújo no Sítio São Gonçalo (Distrito de Marrocos) em Juazeiro, foi outra vítima do triplo homicídio no bairro Frei Damião.

Dia 25 – Higgor Oliveira Silva, de 16 anos, que residia na Rua Francisca Pereira Lopes, 357 (Aeroporto), foi outra vítima do triplo homicídio no bairro Frei Damião

OUTUBRO (12 homicídios)

Dia 05 – Walysson Aquino de Sousa, de 19 anos, o “Walysson da Cinquentinha”, que residia na Rua Geraldo Valdevino (Frei Damião), foi morto a tiros por quatro homens que chegaram em duas moto e arrombaram a porta da casa matando-o em seguida. Ele morava com sua avó e não tinha passagens pela polícia.

Dia 08 – Cícero Alisson Fernandes Gomes, de 31 anos, o “Cição” vocalista da Banda Forró Kyxote, que residia na Rua São Geraldo (Franciscanos), foi morto a tiros na Rua Ana Rocha da Silva (Campo Alegre) por quatro homens em duas motos juntamente com Rogério de Matos Ferreira, cujo motivo seria um som alto.

Dia 08 – Rogério de Matos Ferreira, de 31 anos, que residia na Rua São Sebastião no bairro Brejo Seco e era dono de uma borracharia no cruzamento das ruas São Benedito e Nossa Senhora do Carmo, foi a outra vítima do duplo homicídio anterior no bairro Campo Alegre.

Dia 13 – José Lopes Júnior, de 16 anos, o “Júnior” que residia na Rua Francisca Samuel Saraiva da localidade denominada Vila Nova (Pedrinhas), foi morto a tiros na Rua Francisco Alves Neto daquele bairro por dois homens que se aproximaram numa moto Honda Fan de cor vermelha. Ele não tinha passagens pela polícia.

Dia 18 – Fábio da Silva Gama, de 31 anos, o “Fabinho”, que residia na Rua Francisco Martins de Souza no bairro Frei Damião, foi morto a tiros no cruzamento Rua Padre Ourives com a Travessa São Damião (Santa Tereza). Ele respondia por crimes de assalto a mão armada, corrupção de menores e tráfico de drogas.

Dia 19 – Raimundo Pereira do Nascimento, de 28 anos, que residia no Sítio Caras do Umari, foi morto a tiros na Rua Nossa Senhora de Lourdes perto do cruzamento com a Monsenhor Esmeraldo no bairro Franciscanos enquanto dirigia o seu Fiat Uno de cor verde. Ele perdeu o controle de direção, subiu a calçada e ainda bateu na fachada de uma casa. Raimundo respondia procedimento por crime de tráfico de drogas.

Dia 22 – Erialdo Araújo Feitosa, de 46 anos, que residia no Sítio Pedra de Fogo em Juazeiro, foi morto a tiros e facadas na Rua Guilherme José Bezerra (Campo Alegre) juntamente com sua mulher a professora de Jardim, Jussara Maria da Silva Feitosa. Ele era comerciante e já tinha sido vereador em Juazeiro quando foi ao local cobrar um dinheiro a Jussier dos Santos Ferreira, de 48 anos, o “Cier”, que foi preso. Uma neta do casal, de 3 anos, saiu baleada no abdômen.

Dia 22 – Jussara Maria da Silva Feitosa, de 44 anos, foi a outra vítima do duplo homicídio anterior no bairro Campo Alegre.

Dia 26 – Horrana Evilyn Alves de Oliveira, de 17 anos, que residia na Rua Antonio Adil da Nóbrega (Triângulo), morreu no HRC. Na noite do dia 22 de outubro ela foi baleada na boca por uma pessoa identificada apenas por “Anderson” que chegou à sua casa pedindo um copo com água. A mesma respondia por assaltos e já tinha sido internada na Casa do Menor em Fortaleza.

Dia 27 – Cícero Mailson da Silva, de 16 anos, que residia no bairro Santa Tereza, foi morto a tiros no cruzamento da Avenida Paraná com a Rua José de Alencar (Romeirão) junto com sua namorada Paloma Oliveira Silva, de 14 anos, por homens que se aproximaram em duas motos.

Dia 27 – Paloma Oliveira Silva, de 14 anos, que residia na Rua Joaquim de Sousa Menezes (Romeirão) foi a outra vítima do duplo homicídio anterior.

Dia 27 – Um feto de quatro meses da parturiente Edivania Martins da Silva, de 30 anos, foi extraído no HRC após ser baleada nas costas durante assalto na Rua Leão XIII (Salesianos) praticado por dois menores numa moto os quais roubaram sua moto Honda Biz 125 ES de cor preta. A mesma foi submetida a uma Laparotomia com a retirada do feto recolhido para necorpsia no IML e a extração do útero.

NOVEMBRO (17 homicídios)

Dia 03 – Cícero Campos da Silva, de 37 anos, o “Cição do Assaré” que residia na Rua Carlos Gomes (Salesianos) foi morto a tiros no interior do Rei do Galeto perto do cruzamento entre as ruas José Marrocos e Pio X naquele bairro por dois homens numa moto. Ele respondia por crimes de homicídios, lesão corporal, tráfico de drogas e danos.

Dia 04 – Maria Zilda da Silva, de 43 anos, a “Branquinha”, que residia na Rua José de Alencar, 1095 (Romeirão) foi morta a tiros dentro de casa por dois homens que ali chegaram numa moto. Ela respondia por crime de receptação e o seu irmão Francisco Nilton da Silva, de 35 anos, também foi assassinado.

Dia 04 – Francisco Nilton da Silva, de 35 anos, o “Bibi” foi a outra vítima no caso do duplo homicídio anterior no bairro Romeirão. Ele não tinha passagens pela polícia.

Dia 05 – Afonso José de Oliveira Filho, de 40 anos, que residia na Rua 10, quadra 11 do Conjunto Minha Casa Minha Vida (Betolandia), morreu no HRC após ser baleado no tórax na noite anterior perto de sua casa por dois homens numa moto Honda CG 150 de cor preta. Ele era usuário de drogas.

Dia 10 – Leonardo do Nascimento Souza, de 25 anos, o “Léo” que residia na Rua Domingos Sávio (Timbaúbas), foi morto a tiros perto de sua casa por um homem que se aproximou numa moto. Segundo a polícia, ele era usuário de drogas e respondia Ação Penal por crimes de assalto, resistência à prisão e desacato.

Dia 11 – Cícero Lucas da Silva Sousa, de 18 anos, o “MC” que residia na Rua T18 (Bairro Malvinas) em Barbalha, foi morto a tiros no cruzamento das ruas Senhor do Bonfim e Jaimy Dorcy (João Cabral) por dois homens numa moto. Ele tinha envolvimento com o tráfico de drogas e havia deixado a cadeia pública há pouco dias.

Dia 13 – Cícero Jossanael de Oliveira Gonçalves, de 20 anos, o “Jó” que residia na Rua Domingos Sávio no bairro Pio XII, foi morto com um tiro nas costas no cruzamento das ruas da Paz e São Damião no bairro Santa Tereza. Ele respondia procedimentos por crimes de roubos, furto, corrupção de menor e tráfico de drogas.

Dia 14 – Anderson Cavalcante da Silva, de 39 anos, que residia na Rua Odete Matos de Alencar (Lagoa Seca) morreu na UTI do Hospital Regional do Cariri. No dia 2 de novembro ele foi baleado no pescoço quando estava no interior de um Honda Civic de cor preta perto da Praça da La Favorita, cujo carro é de Judá Sampaio de Pinho, de 32 anos, que saiu lesionado no braço. O mesmo disse à polícia que dois homens passaram numa moto atirando e ferindo ele e seu amigo.

Dia 15 – Jakson Izaque Barbosa Aprígio, de 27 anos, o “Jajá” que residia na Rua Virginia de Mendonça no bairro João Cabral, foi morto a tiros enquanto jogava sinuca no Bar do Espetinho no bairro Vila Três Marias, por dois hmens que ali chegaram numa moto Honda Bros. Existem informações que a vítima costumava emprestar dinheiro a juros e não respondia procedimentos criminais.

Dia 16 – Gabriel Alisson Leandro Bandeira, de 19 anos, que residia na Travessa Santa Inês (Pio XII), foi morto a tiros no cruzamento das ruas São Miguel e Domingos Sávio naquele bairro. Ele era acusado de crimes de roubo e receptação praticados em novembro de 2016 e tinha deixado a cadeia há dois meses.

Dia 16 – Francisco Alan Davi Pereira, de 29 anos, o “Alanzinho”, que residia na Avenida Paraíba no bairro João Cabral, foi morto a tiros na cabeça praticamente dentro de sua residência perto do cruzamento com a Rua Jaime Dorcy. Ele era testemunha de um homicídio e respondia por lesão corporal, estupro e furto.

Dia 22 – José Fernando Lopes de Oliveira, de 17 anos, que residia na Rua das Flores, 1261 no bairro Romeirão, foi morto a tiros enquanto namorava com uma garota sentado na calçada de um imóvel na Rua Beata Maria de Araújo no bairro João Cabral, por dois homens numa moto Honda de cor vermelha. Ele respondia procedimento por roubo.

Dia 22 – Adelson Fernandes dos Santos, de 34 anos, o “Adelson dos Galos” que residia na Rua Miguel de Sá Barreto, 125 (Brejo Seco), foi morto a tiros naquela via e perto da capela do bairro por dois homens que fugiram num veículo Celta de cor prata. Ele respondia procedimentos por porte ilegal de arma de fogo e crime de trânsito.

Dia 23 – Francisco Regilanio da Silva, de 23 anos, o “Biribiu” que residia na Rua Vicente Barbosa de Melo (Frei Damião), foi morto por espancamento na Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC). Ele respondia por crimes de roubo, danos, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Dia 26 – Cícero David Soares, de 29 anos, foi morto com um tiro de pistola na cabeça efetuado por sua esposa Maria das Dores Maciel Pereira Soares, de 33 anos, a “Das Dores”, dentro de casa na Rua Francisco Monteiro (Triângulo). Ela foi presa com a arma e, na delegacia, disse, que seu marido dormia e teria disparado acidentalmente, porém, noutro momento, comentou sobre mensagens que viu no Whatsapp dele e não teria gostado acrescentando que ía apenas fazer-lhe um susto.

Dia 27 – Adeilton Silva Oliveira, de 40 anos, que residia na Rua São Cândido, 306 (Salesianos), teve o cadáver encontrado na estrada da Vaca Morta no Sítio Barro Branco em estado de decomposição e apresentando duas perfurações no abdômen e tórax e manchas de sangue.

Dia 29 – Severina de Brito Silva, de 36 anos, a “Ana do Crato”, que residia na Rua Elisa Lacerda (São José) em Juazeiro, foi morta a tiros dentro do seu veículo Corolla de cor preta ao parar no semáforo da Avenida Padre Cícero (Triângulo) em frente à Singer por dois homens que fugiram numa moto Honda XRE. Ela respondia por crime de porte ilegal de arma de fogo. No dia 1º de dezembro a polícia prendeu Max Wendel Lopes Dias, de 26 anos, suspeito da autoria material do crime.

DEZEMBRO (03 homicídios)

Dia 01 – Wemerson do Nascimento, de 17 anos, o “Bebê” que residia na Rua José Alencar (Romeirão) foi morto a tiros por homens que invadiram uma casa no cruzamento das ruas Carolina Sobreira e General Sampaio perto do mercado do Pirajá.

Dia 08 – Raimundo Emanoel de Pontes Fernandes, de 25 anos, que residia na Rua Jardim da Alegria, 54 (Frei Damião), foi morto a golpes de faca na Rua Raimundo Sobrinho naquele bairro. Provavelmente, foi vítima de latrocínio já que a moto que tinha pedido emprestado a um amigo terminou localizada em um matagal próximo e carbonizada.

Dia 17 – Railson de Moura Silva, de 19 anos, que residia na Rua José de Alencar, 1062 (Romeirão), foi morto a tiros em um bar no cruzamento da Avenida Aracaju com a Rua Todos os Santos naquele bairro. Ele não tinha passagens pela polícia.

 
Com Parceria Site Miséria.com.br
Por Demontier Tenório

ComentáriosComentários