JPMotos
Avião vindo da França faz pouso de emergência em Fortaleza após passageiro agredir tripulantes
13 de fevereiro de 2020 às 05:26
15
Visualizações

PF 1

Agentes da PF entraram no avião e rapídamente dominaram o passageiro que causou o incidente

Um turista irlandês foi preso pela Polícia Federal dentro de um avião que fez um pouso emergencial no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza, na tarde desta terça-feira (11). O homem surtou na aeronave, agrediu os tripulantes e causou riscos ao voo internacional que havia saído de Paris com destino ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

De acordo com a Assessoria de Comunicação Social da PF em Fortaleza, o piloto da aeronave solicitou o pouso de emergência no aeroporto da Capital cearense após o passageiro causar riscos para a segurança do voo.

O irlandês, que não teve a sua identidade revelada pelas autoridades, teria causado o tumulto dentro do avião e chegou aferir um dos tripulantes até ser dominado. Diante do estado de tensão causado aos demais passageiros, foi autorizada a mudança de rota e o avião aterrissou em Fortaleza em caráter emergencial.

Os agentes da PF entraram rapidamente na aeronave e algemaram o irlandês, que foi levado, inicialmente, ao Posto Médico do Aeroporto e, em seguida, conduzido à Superintendência da PF, onde foi autuado em flagrante pelos crimes de lesão corporal e expor a perigo aeronave em voo. As penas dos crimes somadas podem resultar em até seis anos de prisão para o suspeito.

Outras prisões

Também ontem, a PF efetuou a prisão de um africano, natural do Marrocos, e uma brasileira (cearense) pelo crime de falsidade ideológica. O casal recebeu voz de prisão na própria sede da PF, no bairro de Fátima, onde apresentou documentação falsa para obter autorização de residência fixa no Brasil (Ceará).

O marroquino e a cearense foram detidos nas dependências da Delegacia de Imigração (Delemig) e, pelo crime de falsidade ideológica, podem pegar uma pena de um a cinco anos de prisão, além do pagamento de multa à Justiça brasileira.

Com Informações Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários