JPMotos
Capturado no Distrito Federal ex-procurador de Justiça que matou delegado Cid Júnior há 10 anos
1 de abril de 2019 às 04:01
21
Visualizações

Cid JúniorCid delegado

Cid Júnior, morto em 13 de agosto de 2008                  Ernandes Lopes estava impune até hoje

Após 10 anos e sete meses do assassinato do delegado de Polícia Civil do Ceará, Cid Júnior Peixoto do Amaral, finalmente na manhã desta sexta-feira (29), foi preso o homem apontado pela Justiça como o assassino. O procurador de Justiça aposentado, Ernandes Lopes Pereira, foi capturado no Distrito Federal, em Brasília, e deverá ser trazido para Fortaleza nos próximos dias. Ele está condenado a 13 anos e 9 meses de cadeia e não poderá mais recorrer.

A prisão de Ernandes aconteceu após uma longa investigação realizada pela Polícia cearense. Ele mudava sempre de endereço e nos últimos meses deixou o Ceará, indo morar no Distrito Federal. A troca constante de paradeiros dificultava para a Polícia do Ceará dar cumprimento ao mandado de prisão por condenação expedido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE).

Ernandes permanecia oficialmente na condição de foragido da Justiça desde o dia 14 de dezembro do ano passado, quando teve sua prisão por condenação decretada pelo juiz de Direito Henrique Botelho Romcy, titular da 1ª Vara da Comarca do Eusébio (CE).

O delegado Cid Júnior, que comandou várias delegacias de Polícia da Grande Fortaleza, foi assassinado a tiro na noite de 13 de agosto de 2008 na própria casa do assassino, no bairro Precabura, no Eusébio. Ernandes havia convidado a mãe do delegado, então sua amiga, para ir conhecer sua nova residência. Ao fim do seu expediente, Cid Júnior foi buscá-la na residência do ex-procurador de Justiça, ocasião em que ocorreu o crime.

Foragido da Justiça

Ernandes até hoje sustenta que o tiro que matou o delegado foi acidental, no momento em que ele mostrava para Cid Júnior sua arma. A acusação acredita que foi um assassinato premeditado.

Em 2017, Ernandes finalmente foi levado a julgamento após nove anos se valendo de recursos e manobras na Justiça para se manter livre. Na ocasião, foi condenado a 16 anos de prisão. Mesmo assim, recorreu mais uma vez e, em 2018, por decisão da Primeira Câmara Criminal do TJCE, a pena foi reduzida para 13 anos e 9 meses de cadeia. Sabendo que fatalmente iria para o presídio, ele fugiu do Ceará.

Nas próximas horas, o Tribunal de Justiça do Ceará será comunicado oficialmente sobre a prisão do ex-procurador no Distrito Federal e determinará sua transferência para Fortaleza, onde ele será encaminhado a um dos presídios da Região Metropolitana de Fortaleza.

Com Informações Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários