JPMotos
Polícia prende novamente amante de Natália que teria tramado a morte do marido em Crato
12 de junho de 2017 às 10:49

A polícia de Crato voltou a prender o jovem Françualdo Pereira da Silva, de 27 anos, neste final de semana no Sítio Taquari na zona rural de Crato. Ele é acusado de envolvimento na morte do funcionário do Banco do Brasil de Potengi, Marcos Vinicius Soares dos Santos, de 32 anos, crime ocorrido no dia 19 de março de 2008 na Rua Pedro Jaguaribe no bairro Zacarias Gonçalves. A vítima era casada com Natália Cardoso dos Santos Bezerra, hoje com 29 anos, a qual namorava Françualdo e tinha arquitetado o homicídio de olho num seguro de vida dele no valor de R$ 114 mil.

Contra o jovem havia um mandado de prisão preventiva em aberto e terminou conduzido à Delegacia de Crato pelo Tenente Kriger, os Sargentos Radger, Amorim, Pita, Bezerra e Nascimento, o Cabo David e os Soldados Ferreira e Roseno. De acordo com as investigações, Françualdo teria sido encarregado por Natália para contratar os pistoleiros o que foi feito mediante a promessa de pagar R$ 6 mil e um computador o que seria feito após o resgate do seguro num caso de grande repercussão no Cariri.

Não demorou e, em pouco tempo, estavam ao dispor Fernando Pereira Cavalcante, na época com 24 anos, – apontado como autor dos disparos – e Arnaldo Saraiva Lima, hoje com 39 anos, que pilotou a moto até à residência do bancário. O casal estava no Shopping de Juazeiro e, antes de sair, ela foi ao banheiro e ligou para Françualdo avisando que logo chegariam em uma moto. Uma semana após o homicídio, toda a trama foi descoberta e Natália ainda negou, mas caiu em contradições, sendo, também, acusada pelos demais que terminaram presos na época.

No dia 5 de dezembro de 2012 Natália sentou no banco dos réus no auditório do Fórum Hermes Parayba de Crato e foi julgada pelo Conselho de Sentença do Tribunal do Júri, sendo condenada a 20 anos de prisão inicialmente em regime fechado, mas já está em liberdade. Nos autos do processo consta que Marcos Vinicius já desconfiava da infidelidade da mulher e seu suposto envolvimento com drogas quando separou da mesma. Todavia e usando o filho de 3 anos do casal, ela o atraiu ao shopping para onde foi de ônibus com a criança e lá o encontrou. No retorno, por se aproximar das 22 horas, ela pediu uma carona ao mesmo até sua casa quando foi morto.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

544 total views, 1 views today

ComentáriosComentários