JPMotos
Diário Oficial divulga punição a PM acusado de planejar crimes sexuais contra filhas de amante em Sousa
18 de janeiro de 2018 às 06:44
34
Visualizações

O Comandante-Geral da Polícia Militar do Estado da Paraíba divulgou nesta quarta-feira (17), o licenciamento do policial Ricardo Alves de Sousa, natural da cidade de Lavras da Mangabeira, Estado do Ceará, lotado no 14º BPM da cidade Sousa, Sertão da Paraíba. A portaria de ‘afastamento’ do policial foi divulgada no Diário Oficial do Estado da Paraíba. “O referido militar não congrega capacidade para permanecer integrando as fileiras da Polícia Militar do Estado da Paraíba”.

De acordo com a publicação, o PM respondeu por Processo Administrativo Disciplinar, que revelaram o quanto sua conduta feriu a honra e o decoro da classe.

“As graves acusações contra o referido militar dão conta da autoria e intenção imoral e criminosa iniciada pelo mesmo quando planejou a execução de crimes sexuais contra duas menores de idade – V.B. de S. e A,V,B,de S, (meninas com 14 e 6 anos de idade, respectivamente) – ambas fi lhas da Sr.ª Maria S. das N. Mendes, com quem o Sd RICARDO mantinha um relacionamento extraconjugal”, relata o texto divulgado no DOE.

O caso em questão ocorreu em setembro de 2015, na cidade de Sousa, onde mãe e filhas residiam, e onde o militar trabalhava no policiamento ostensivo.

“Comprovaram as investigações do PAD que o Sd RICARDO no dia 27/09/2015, quando se serviço da R/P naquela urbe, manteve contato com a Sr.ª Maria S., através da MSN do Facebook, propondo que a mesma provasse seu amor pelo militar, sendo essa prova de amor caracterizada pelo consentimento de sua amante em entregar suas duas filhas para que ele praticasse atos libidinosos com as mesmas. Para tal intento lúbrico, o militar propôs que as duas meninas deveriam ser dopadas com remédio, que ele mesmo iria fornecer, para que elas dormissem e daí pudesse praticar atos libidinosos com as menores. Tal intento, contudo, que seria praticado na noite daquele dia 27/09/2015, não foi consumado em razão da filha da Sr.ª Maria S. (a de 14 anos de idade) ter visto o conteúdo das mensagens ocorridas entre o militar e sua mãe, ao acessar o telefone desta; que daí a menor, surpresa e atordoada com o que viu, decidiu mostrar as mensagens a uma amiga sua, a qual, por sua vez, levou ao conhecimento de sua, tendo o fato, por fim, chegado ao conhecimento da polícia judiciária que instaurou o Inquérito Policial nº 114/2015/ DEM/Sousa-PB, o qual culminou com a Ação Penal contra o militar”. Diz a portaria.

Diário do Sertão

ComentáriosComentários