JPMotos
Facção ameaça um “banho de sangue” e ordena toque de recolher em quatro bairros de Caucaia nesta sexta-feira
29 de setembro de 2018 às 09:35
92
Visualizações

Padre Júlio 1

As ruas do bairro Padre Júlio Maria estão praticamente desertas desde o começo da manhã

Moradores dos bairros Padre Júlio Maria, Açude, Cigana e Vila Cazé, no Município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), estão impedidos de sair de suas casas. Os comerciantes tiveram que fechar as portas dos seus estabelecimentos. As escolas suspenderam as aulas. Os postos de saúde encerraram as atividades e o transporte urbano parou de circular. UM toque de recolher foi ordenado na manhã desta sexta-feira por integrantes da facção Guardiões do Estado (GDE).

O pânico que tomou de conta da população das quatro comunidades em Caucaia começou logo cedo da manhã. Bandidos passaram de porta em porta dando o aviso que hoje será um dia de derramamento de sangue. Vão vingar a morte de dois membros da facção, executados a tiros na noite desta quinta-feira nas proximidades do cemitério municipal. Os dois teriam sido fuzilados por integrantes do Comando Vermelho (CV).

O assassinato dos dois rapazes ocorreu por volta de 19 horas, segundo os registros da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). Moradores do local disseram ter ouvido uma rajada de balas. Em pânico, eles só reabriram as portas de casa após a fuga dos atiradores. A Polícia então, foi chamada e realizou buscas na área, mas os assassinos não foram localizados. Logo depois, surgiram as ameaças de revide.

Na manhã de hoje, a situação se agravou quando os boatos ganharam força sobre as ameaças da quadrilha, que avisou aos moradores para não saírem de casa. O posto de saúde e as escolas do bairro Padre Júlio Maria suspenderam as atividades.

As ruas estão desertas e os moradores temem que, a qualquer momento, o local seja invadido pela facção. Através das redes sociais, eles revelam o medo. Em áudios, repassam uns para os outros os avisos dados pelos criminosos e comentam a situação de pânico.

Ouça alguns dos áudios dos moradores:

Com Informação Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários