JPMotos
Governo Federal descarta presença das Forças Armadas para combater ataques criminosos no Ceará
18 de janeiro de 2019 às 16:37
141
Visualizações

Policiamento 2

A Força Nacional de Segurança deve permanecer mais tempo no Ceará que o previsto inicialmente – 30 dias. O pedido foi feito direto e pessoalmente ao ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, pelo governador do estado, Camilo Santana (PT). A “Operação Terra da Luz”, iniciada há duas semanas, tem trazido resultados positivos, especialmente com a normalização dos transportes coletivos. Santana também não descartou a hipótese de pedir o auxílio das Forças Armadas para tirar o Ceará da guerra de facções e dos atentados. Contudo, essa mobilização está descartada neste momento. Os efetivos extras da FNS, das PMs da Bahia, Pernambuco, Piauí e de Santa Catarina, além da Polícia Rodoviária Federal , que aqui estão, terão que se desdobrar junto com as Forças de Segurança locais para resolver a parada, isto é, por fim aos ataques terroristas.

Na visita que fez ao juiz Sérgio Moro, em Brasília, nesta quinta-feira (17), o governador Camilo Santana levou à tiracolo, os secretários da Segurança Pública, André Costa; e da Administração Penitenciária, Luiz Mauro Albuquerque. Os dois tiveram a oportunidade de expor ao ministro seus planos para cada uma das pastas, porém, ambos com o mesmo objetivo: a redução da criminalidade, o novo modelo de gestão penitenciária e o efetivo combate ao crime organização com o desmantelamento de facções e quadrilhas no estado.

SOB PRESSÃO

O descontentamento é geral da população com o que está acontecendo no Ceará, e, especialmente, em Fortaleza. Mas há segmentos que estão amargando altos prejuízos financeiros com tudo isso. No comércio do Centro de Fortaleza é visível a cara de desânimo dos vendedores, com lojas vazias e fechando com jornadas de trabalho mais curtas. A carência de segurança e de transportes deixou comércios fechados por vários dias. A pancada virá no fim do mês, com prejuízos na hora de pagar salários aos funcionários, taxas e impostos, já que as vendas despencaram. Empresários já estiveram com o governador. A pressão sobre Camilo é grande, daí a sugestão dele de aumentar o tempo e a quantidade de reforços interestaduais no estado.

Além do aumento do efetivo nas ruas para combater diretamente os criminosos, outra medida que gerou impacto no Sistema Penitenciário foi a da desativação maciça de cadeias públicas do Interior. O secretário Luis Mário de Albuquerque vai acabar com a farra de fugas nas cadeias do sertão, onde, verdadeiramente, só ficava preso quem queria. Seis presídios regionais deverão ser construídos pelo governo para comportar essa massa de detentos condenados e provisórios que foi remanejada para o Complexo de Presídios de Itaitinga (CPPLs) e para as penitenciárias industriais e regionais de Juazeiro do Norte e Sobral.

TEM MAIS:

* Cerca de 1.200 policiais militares que já estavam na Reserva Remunerada deverão ser reengajados na tropa da PM até a próxima semana. A lei aprovada na semana passada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador prevê que os militares permanecem no contingente até decisão ulterior do governador. A gratificação vai variar de R$ 600,00 a R$ 1.200,00; ou seja, quase nada.

* A maioria dos PMs que estavam na Reserva e foram convocados pelo governo acabará tendo prejuízos financeiros. Muitos desses militares hoje trabalham fazendo segurança particular e recebem até cinco vezes mais do que a gratificação a que terão direito enquanto durar esse novo engajamento na tropa. Outros já estavam em uma nova atividade profissional para poder sobreviverem.

* Um exemplo de sucesso na Segurança Pública em meio a esta onda de ataques no Ceará. As torres de vigilância do Programa Municipal de Proteção Urbana não sofreram praticamente nenhum ataque. Apenas tiros foram disparados em direção a uma delas, mas a estrutura resistente sequer foi abalada. A população cobra mais torres nos bairros para a redução do crime.

* E o bairro Canindezinho será o próxima receber os serviços de segurança e de prestação de serviços sociais e comunitários do PMPU. A torre de segurança deve ser inaugurada no fim do mês. Assim, Fortaleza passará a contar com seis células do PMPU. Cinco já funcionam no Jangurussu, Goiabeiras, Vila Velha, Barra do Ceará e Caça e Pesca. Nesses bairros, a violência despencou.

* A onda de ataques criminosos no Ceará tem sido uma prova de fogo para a Segurança Pública, mas alguns órgãos do setor revelaram especialmente sua capacidade e competência. Um exemplo disso tem sido o Grupo de Ações Táticas Especiais, unidade especializada do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). Os PMs “explosivistas” estão dando um show de técnica no desarme de artefatos.

* E a Polícia Civil? Mesmo sendo a “prima pobre” da Segurança, com baixo efetivo e poucos recursos, mostrou sua capacidade de driblar as dificuldades de pessoal e de logística e tem dado a resposta à sociedade. Dezenas de prisões foram efetuadas graças às investigações das delegacias após cada episódio de vandalismo. Delegados, inspetores e escrivães estão trabalhando no limite.

* Prefeitos de várias cidades palco de ações criminosas não sabem o que fazer diante dos prejuízos causados pelos atentados. Há casos em que a frota de veículos da Prefeitura foi quase toda aniquilada pelos incêndios criminosos. Exemplo disso é Ibaretama, no Sertão Central, onde, de uma só vez, 22 veículos foram destruídos pelo fogo. Ambulâncias, tratores e ônibus escolares viraram cinzas.

* Conselho Penitenciário do Estado do Ceará acompanha atentamente as mudanças que estão sendo processadas no sistema carcerário cearense. Nesta sexta-feira (18) foi convocada uma reunião extraordinária da entidade para um posicionamento acerca dos fatos. Há uma polêmica em torno de como as transferências de presos estão acontecendo. Denúncias estão sendo devidamente apuradas.

E A PERGUNTA DO DIA: E nestas mudanças no Sistema Penitenciário cearense, esqueceram dos bloqueadores de celular???

Com Informação Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários