JPMotos
Homicídios caem há um ano seguido no Ceará
9 de setembro de 2016 às 07:30
15
Visualizações

20160909062033_5575_capaPelo 12º mês seguido, o número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) no Ceará apresentou queda, se comparado à taxa do mesmo mês do ano anterior. Em agosto deste ano, o Estado registrou o total de 291 homicídios, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios, enquanto no mesmo mês de 2015 foram 355 crimes com essas características, resultando em queda de 18% no índice. Os dados foram divulgados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), na sede da pasta, após reunião do Governo, na manhã de ontem.

Agosto de 2015 (355 CVLIs) foi o último mês que apresentou um número maior que o mesmo mês do ano anterior, no caso agosto de 2014 (308 CVLIs). Desde então, os índices apresentaram redução durante um ano seguido. A maior queda aconteceu em janeiro de 2016, em comparação ao primeiro mês de 2015, que foi de 25% (de 431 para 323 mortes). E a menor variação ocorreu em julho deste ano, que foi de apenas 1,9% (de 261 para 256 mortes).

No total, nos últimos 12 meses, em relação aos meses anteriores, a redução de CVLIs no Estado foi de 10,5%. O governador do Ceará, Camilo Santana, acredita que a diminuição dos crimes se deu pelo trabalho conjunto das diversas forças de segurança e criminais. “Nós estamos fechando um ano consecutivo de redução de homicídios no Ceará. Isso é um esforço muito grande da integração das forças policiais com o Poder Judiciário e o Ministério Público. Não há tempo para comemorar nem para lamentar. Segurança é estar 24h atento”, alertou Camilo.

No acumulado dos oito primeiros meses de 2016, em comparação a igual período do ano passado, a redução desses crimes foi de 13%, passando de 2.633 mortes para 2.291.

Capital

O principal responsável por diminuir a média de CVLIs do Estado é a queda drástica de homicídios em Fortaleza em 2016. O número desses crimes acumulados na Capital apenas neste ano é de 689, que significa uma redução de 37,6% em comparação aos mesmos meses de 2015, quando aconteceram 1.105 mortes por essas características na cidade.

No último mês de agosto, a Capital registrou 98 CVLIs, número que é 38% menor que a quantidade desses crimes em agosto de 2015, que foi de 158.

Além da cooperação entre as forças de segurança, apontada pelo Governo como a única responsável pela redução, integrantes da Polícia Militar, responsáveis pelo policiamento ostensivo, apontam outro motivo para a queda radical do número de homicídios em Fortaleza nos últimos meses. Segundo a fonte, consultada em reportagem do Diário do Nordeste veiculada em 21 de abril deste ano e que preferiu não se identificar, o acordo entre facções criminosas para não haver mortes “pacificou” as áreas mais violentas da capital. Em contrapartida, aumentou o número de roubos e o poderio do tráfico de drogas.

Preocupações

Enquanto Fortaleza apresenta redução no número de homicídios, outras regiões do Estado sofreram aumento. O Interior Sul, que engloba municípios localizados entre o Vale do Jaguaribe e o Cariri, apresentou a pior variação no mês de agosto.

Em 2015, foram 78 CVLIs, enquanto em 2016 foram 95, aumento de 21,8%. No acumulado deste ano, a Região já registrou 628 mortes, que é 5,7% maior que os 594 crimes ocorridos no mesmo período de 2015.

Apesar de apresentar queda de mortes de 11,7% no mês de agosto de 2016 (53), em relação ao mesmo mês de 2015 (60), a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) é a maior preocupação do Estado. No acumulado do ano até o último mês, o acréscimo das mortes foi de 9,7%. Nos oito primeiros meses de 2015, foram 495 mortes, e em igual período deste ano, 543.

Indagado sobre a discrepância de variação entre as regiões do Estado, o governador Camilo Santana afirmou que precisa de mais agentes de segurança. “O Estado já chamou quase 2.500 homens a mais do ano passado para cá. É suficiente? Não. É tanto que estamos fazendo um novo concurso para 4.200 homens da PM e 750 da Polícia Civil”.

Fonte: Diário do Nordeste

ComentáriosComentários