JPMotos
“João Bocão” foi morto a tiros enquanto pilotava sua moto em Juazeiro
18 de janeiro de 2019 às 16:00
298
Visualizações

O ex-presidiário Francisco de Assis Pinheiro da Silva, de 30 anos, que era apelidado por “João Bocão” e residia no bairro João Cabral, foi morto a tiros por volta das 10h30min desta sexta-feira em Juazeiro do Norte. O crime aconteceu na Rua Ivani Feitosa (Bairro Tiradentes) quando a vítima pilotava sua motocicleta e foi surpreendida pelos disparos. Ele reduziu a velocidade para passar numa lombada sem notar que já vinha sendo seguido por dois homens noutra moto.

O mesmo respondia procedimentos por crimes arrombamento, furto, roubo, danos, receptação, tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Era suspeito ainda de ter tentado vingar o caso de um triplo homicídio registrado na Rua José Andrade de Lavor no bairro onde morava. No dia 29 de março de 2013 tombaram mortos Maria Priscila Garcia Silva, de 19, Sebastião Oliveira da Silva, de 36, e João Victor da Silva Mendes, de 12 anos. Na época, Bocão negou a acusação de ter tentado vingar o caso.

HISTÓRICO – Uma de suas primeiras prisões foi no dia 27 de janeiro de 2013, no cruzamento das ruas Perpétua Carneiro da Cunha e Odílio Figueiredo (João Cabral), na companhia de Marcos Antonio dos Santos Filho, de 18 anos. A dupla trafegava em uma moto Yamaha Crypton de cor preta e, com os dois, foi encontrado um revolver calibre 38 tendo seis cartuchos intactos, dois celulares e R$ 80,00 em dinheiro.

Já no dia 9 de abril de 2013 ele tentou matar Evanuel Santos Sousa, de 25 anos, que o acusou ao dar entrada no Hospital Regional do Cariri. A vítima foi alvejada com um tiro no abdômen quando passava no cruzamento das ruas Francisco Martins de Sousa e Francisco Wilson Bezerra no Frei Damião. João Bocão foi acusado ainda de ter roubado um notebook recuperado em sua residência onde a polícia esteve fazendo buscas. Naquele dia, a prisão dele se deu nas imediações da Favela da Alta Tensão.

No dia 30 de maio de 2013, voltou a ser preso no cruzamento da Rua José de Alencar com a Avenida da Chesf (João Cabral), armado com um revólver calibre 38 tendo seis cartuchos intactos. Já no dia 9 de julho de 2014 foi preso com Cristioney Pinheiro dos Santos, de 20 anos, residente no Frei Damião. A dupla estava numa topic com cinco celulares, um tablet, um relógio e duas chaves michas, sendo suspeitos de arrombamento. Bocão usava roupas e sapatos furtados da casa de um Sargento no bairro Seminário em Crato de onde levou ainda uma TV de 40 polegadas.

Nova prisão aconteceu no dia 29 de abril de 2015, no cruzamento da Rua Virginia de Mendonça com a Avenida Leão Sampaio (João Cabral), quando tentou fugir da PM após jogar fora uma mochila. Nela foram encontrados um celular, um tablet, uma câmera digital, um notebook, dois pendrives, três carregadores de notebook, um relógio, um óculos esportivo, um modem, um receptor de TV e um short que tinham sido furtados de uma casa no centro de Barbalha.

Este foi o quinto homicídio deste ano em Juazeiro do Norte e os três últimos tinham o nome de Francisco de Assis como é o caso do assassinato derradeiro que aconteceu no dia 10 de janeiro tendo como vítima Francisco de Assis Ferreira dos Santos, de 19 anos, o “Torrão”, que residia na Rua Maria das Dores (Pedrinhas). Ele foi morto a tiros dentro de sua casa e, segundo a polícia, respondia procedimento por posse ilegal de arma de fogo.


Com Parceria Site Miséria.com.br

Por Demontier Tenório

ComentáriosComentários