JPMotos
Jovens foram condenados a 18 anos de prisão por homicídio numa lanchonete em Juazeiro
26 de outubro de 2016 às 17:53

20161026154549_2538_capa

Após um dia inteiro de debates orais com réplicas e tréplicas pela acusação e defesa, o Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de Juazeiro do Norte condenou dois jovens de 21 anos de idades a 18 anos de prisão em regime inicialmente fechado. O vendedor Jonas da Silva Cruz, o “Galeguim”, e o cobrador Rodrigo Cordeiro Teixeira, o “Negão”, residentes no bairro Timbaúbas, foram condenados por homicídio duplamente qualificado contra Cícero Rafael Gonçalves dos Santos que tinha 19 anos.

O crime aconteceu na noite do dia 15 de fevereiro do ano passado na lanchonete Iran do Hambúrguer, que funciona na Rua Sebastião Cavalcante no bairro Timbaúbas. O Conselho de Sentença acatou a tese da acusação erguida pelo representante do Ministério Público e a sentença foi lida pelo Juiz Luis Sávio de Azevedo Bringel por volta das 20 horas desta terça-feira. Nela, considera terem agido em concurso e de maneira premeditada movidos por sentimento de vingança

A sentença observa ainda que Rodrigo possui antecedentes criminais como um homicídio e uma tentativa. Esse homicídio teria sido o móvel para determinar o assassinato de Cícero Rafael naquela noite com quatro tiros de revólver. De acordo com os autos, a vítima teria denunciado o “Negão” como autor do assassinato de Fernando Luiz Gomes Virgínio, de 17 anos, ocorrido dois dias antes de ser morto. Fernando morava na Vila Felício e foi assassinado a tiros no dia 13 de fevereiro no bairro Limoeiro.

Antes de ser assassinado, Cícero Rafael, que era usuário de drogas, estava sentado na esquina e os dois acusados na lanchonete. Segundo o que foi apurado pela polícia, Rodrigo foi ao encontro do mesmo e o chamou para uma conversa. Após alguns minutos de diálogo entre os dois, eis que Jonas se levantou de sua cadeira e foi na direção da vítima quando passou a efetuar os disparos sem qualquer discussão. Logo após, a dupla fugiu a pé ao ver o desafeto morto.

Com Parceria Site Miseria

ComentáriosComentários