JPMotos
Junho terminou com 17 assassinatos em Juazeiro e o ano é 29,16% menos violento
4 de julho de 2018 às 07:47
103
Visualizações

Com 17 homicídios em onze diferentes bairros e mais um na penitenciária, o mês de junho teve sete assassinatos a mais que o quinto mês do ano representando 58,82% de crescimento. Além disso, dois a mais na comparação com junho de 2017 quando quiinze pessoas tombaram sem vida em Juazeiro. Este ano foram registrados três homicídios em janeiro, nove em fevereiro, quatro em março, oito em abril, 10 em maio e 17 no mês passado.

Segundo levantamento do Site Miséria, em junho os bairros onde houve o registro de homicídios foram Frei Damião com três, Pedrinhas, Limoeiro e Santa Tereza com dois cada e os demais nos bairros Antonio Vieira, Pio XII, Aeroporto, Franciscanos, Campo Alegre, Leandro Bezerra, Timbaúbas e na penitenciária. No acumulado do ano os bairros João Cabral e Frei Damião lideram como os mais violentos com seis homicídios ou, juntos, 23,52% da matança em Juazeiro.

No ano passado, em seis meses, eram 72 assassinatos contra 51 este ano ou 29,16% a menos. Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 02 – Cassiano Pereira da Silva, de 36 anos, que residia na Rua da Paz, 1234 (Bairro João Cabral), teve o cadáver encontrado por populares num matagal às margens da Rua Luciano Torres de Melo no bairro Frei Damião. O mesmo apresentava duas perfurações à bala, sendo uma na cabeça e outra na perna e não tinha passagens pela polícia.

Dia 03 – Francisco Venicius da Silva Bezerra, de 22 anos, que residia na Rua Ana Rita de Souza do Condomínio Tenente Coelho no Aeroporto, foi baleado nas costas e pilotava uma moto Honda CG 150 Fan de cor preta em alta velocidade quando bateu num prédio no cruzamento das ruas das Acácias e Manoel B. de Almeida (Antonio Vieira). Supostamente, escapou de uma tentativa de roubo da moto e queria chegar por meios próprios ao Hospital Regional do Cariri após ser baleado.

Dia 04 – José Marcondes Pereira dos Santos, de 25 anos, o “Dimenor” que residia na Rua Yone de Cássia Cândido, 49 na localidade denominada Vila Nova (Pedrinhas), foi morto a tiros perto de sua casa na Rua Antonio Ferreira Lima por dois homens encapuzados numa moto Honda CB300 de cor preta. Ele respondia cerca de dez procedimentos a maioria por furtos entre consumados e tentativas e já tinha sofrido vários atentados à bala.

Dia 06 – Evandro Tomaz de Lima, de 18 anos, que residia na Rua Adélia Maria (Frei Damião) foi morto a tiros por um homem que se aproximo à pé e o assassinou na Rua Renan Felinto de Carvalho em frente ao posto de saúde da localidade. Ele respondia dois procedimentos por assaltos em Barbalha.

Dia 07 – Francisco Felipe Pinheiro Matias, de 21 anos, que residia na Rua Maria Julia Lima, 180 (Frei Damião), foi morto a tiros na Rua José Magalhães Landim daquele bairro por três homens à pé, sendo um deles José J. F. S, de 18 anos, o “Esmigal” que mora no Bairro Frei Damião. Felipe respondia procedimento por tráfico de drogas.

Dia 08 – Adriano Cavalcanti da Silva, de 24 anos, que residia na Avenida Perimetral, 1040 (Bairro Messejana) em Fortaleza, foi morto a tiros num Carro UP Move da Volkswagen de cor branca num caso de duplo homicídio na Rua do Limoeiro perto do cruzamento com a Rui Barbosa (Limoeiro), onde morreu ainda Josué de Lima da Silva José, de 25 anos. Adriano respondia por furtos em Maracanaú e Fortaleza.

Dia 08 – Josué de Lima da Silva José, de 25 anos, que morava na Rua Antonio Alves Ribeiro (Bairro Jangurussu), em Fortaleza, foi a outra vítima do duplo homicídio no bairro Limoeiro e era testemunha de um arrombamento.

Dia 08 – Cleilson Barbosa Rodrigues, de 17 anos, o “Bebê” que residia na Travessa São Sebastião (Pio XII), foi morto a tiros de pistola na Avenida José Bezerra, entre as ruas 7 de Setembro e Teodomiro Rocha naquele bairro, por um homem numa moto Honda Bros. Ele foi apreendido aos 15 anos com drogas e, pouco mais de um mês antes do homicídio, tinha sido vítima de atentado à bala.

Dia 08 – José Geraldo da Silva Júnior, de 18 anos, o “Juninho”, que era de Mossoró (RN) e treinava na base do Guarani após passar pelo Palmeiras foi morto a tiros de pistola em um restaurante na Rua Pinto Madeira entre as ruas São Paulo e das Flores (Santa Tereza) quando foi baleado. Ele não tinha passagens pela polícia e o autor dos disparos estava conversando com o mesmo.

Dia 11 – Tallys Willyan de Brito Oliveira, de 22 anos, que residia na Rua Francisca Pereira Lopes, 313 (Aeroporto), foi morto a tiros perto de sua casa para onde seguia por dois homens numa moto. A vítima não tinha passagens pela polícia e o crime aconteceu nas imediações da Escola Cícera Germano Correia quando pilotava uma moto Yamaha de cor vermelha puxando um reboque com hortifrutis.

Dia 15 – José Geovani da Silva, de 25 anos, o “Cara Velha” que era morador de rua após residir algum tempo na Rua Perpétua Carneiro da Cunha (João Cabral), foi morto a tiros na Rua José Marrocos perto da via férrea (Santa Tereza) por dois homens que fugiram numa moto Honda Bros. Ele respondia procedimentos por furtos e roubos e uma mulher que estava próxima saiu baleada de raspão

Dia 15 – Luciano da Silva, de 25 anos, que já residiu na Vila São Bento em Crato, mas, ultimamente, estava morando no bairro Campo Alegre em Juazeiro, foi morto a tiros na cabeça perto de sua casa na Rua Francisco Medeiros daquele bairro. Ele era usuário de drogas e respondia procedimento por arrombamento.

Dia 16 – Cícero Bruno Rodrigues de Freitas, de 28 anos, que residia na Rua Cônego Climério (Pio XII), foi morto a tiros por dois homens numa moto quando trafegava em sua moto pela Rua Campos Elísios, entre a Rua Antonio Dias Sobreira e a Avenida José Bezerra (Timbaúbas). O garupeiro Francisco C de C. Lima, de 29 anos, o “Cabeção” que mora na Rua Rui Barbosa no bairro Limoeiro, saiu baleado. Bruno já tinha sido vítima de um atentado à faca em abril de 2012.

Dia 17 – Jeferson Pereira da Silva, de 18 anos, o “Cabelinho” que residia na Rua Maria das Dores, 333 (Pedrinhas), foi morto com seis tiros de revólver por dois homens em duas motos no cruzamento da Rua Francisco Ivo de Sousa com a Travessa Ana Maria naquele bairro. Ele respondia procedimento por roubo de veículo.

Dia 18 – Alef Andrez da Silva Souza, de 25 anos, que era morador de rua e vivia entre as praças da Estação Ferroviária e dos Franciscanos, teve o corpo encontrado na calçada de uma casa na Rua Santa Isabel perto da via férrea. O mesmo estava com a cabeça envolva em sacos plásticos presos com fita gomada, os pés amarrados, as mãos amarradas para trás e era foragido da cadeia de Petrolina (PE).

Dia 19 – José Pequeno da Silva, de 32 anos, que residia na Rua Vaqueiro José Jacó, 425 (Bairro Leandro Bezerra), morreu no HRC. Na noite do dia 16 de junho ele seguia para casa quando foi atocaiado na Rua Otílio Gomes de Souza naquele bairro e baleado por dois homens que se aproximaram numa moto

Dia 21 – Antonio Alex Macedo Pinheiro, de 24 anos, que residia em Quixadá, foi decapitado com “cossocos” durante princípio de motim numa das celas da Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC) de Juazeiro. Ele respondia pela prática de três homicídios em Quixadá.

 

Com Parceria Site Miséria.com.br
Por Demontier Tenório

ComentáriosComentários