JPMotos
Junho terminou com quatro mulheres assassinadas no Cariri e a violência é igual ao ano passado
7 de julho de 2017 às 16:57

O mês de Junho terminou com o registro de quatro mulheres assassinadas na região do Cariri após um mês de maio sem o registro de homicídios contra pessoas do sexo feminino. Nos seis primeiros meses deste ano já são 12 mulheres mortas contra o mesmo número na comparação com igual período do ano passado ou a manutenção nos índices de matança de mulheres.

Na comparação dos meses de junho deste e do ano passado houve um crescimento de 25% com um homicídio a mais em 2017. Este ano, mulheres tombaram mortas em oito cidades da região, sendo uma no mês de fevereiro, quatro em março, três em maio e quatro no mês passado. De acordo com levantamento feito pelo Site Miséria foram três mulheres assassinadas em Juazeiro ou 25% de todo o Cariri, duas em Missão Velha e outras duas em Barbalha e as demais em Mauriti, Jati, Caririaçu, Crato e Brejo Santo.

No dia 19 de junho Maria Belarmino da Cruz Silva, de 40 anos, que residia na Rua Jaime Dorcy, 992 (João Cabral) em Juazeiro, teve o corpo encontrado crivado de bala na estrada do Sítio Santa Rosa perto do Distrito Industrial do Cariri em Crato. Ela respondia por crime de tráfico de drogas e os acusados foram presos dias depois no caso Marcos e Marcelo Alencar Silva e Simone Vieira, a “Samara”.

Dois dias após a moradora de rua “Maria Nazaré”, de aproximadamente 55 anos, teve o corpo encontrado crivado de bala em um banco onde dormia às margens da CE-060 no bairro Vila Três Marias em Juazeiro do Norte.

Já no dia 22 a jovem Ana Paula Oliveira Fernandes, de 22 anos, foi encontrada morta pelo marido ao retornar do trabalho dentro de sua casa na Rua José Inácio dos Santos (Bairro Capilé) em Brejo Santo e apresentava uma lesão na boca. Ele disse ter saído cedo para trabalhar, mas a polícia já sabe que ela foi assassinada e o caso está sendo investigado para se chegar a autoria delitiva.

No dia seguinte Maria Vera Lúcia da Costa Pinheiro, de 31 anos, a “Verinha” que residia na Rua P 06 número 269 (Bairro Alto da Alegria) em Barbalha, foi morta a tiros no cruzamento das ruas Antonio de Sá Barreto Gondim e Coronel Joca naquele bairro. Ela tinha envolvimento com o tráfico de drogas e, em sua casa, a polícia encontrou uma pistola tipo bereta calibre 22, dois papelotes de cocaína, 195 pedras de crack e dinheiro.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

258 total views, 1 views today

ComentáriosComentários