JPMotos
Mês de novembro teve cinco homicídios em Juazeiro e o ano é 16% menos violento
4 de dezembro de 2019 às 07:06
50
Visualizações

Com cinco homicídios em diferentes bairros, o mês de novembro teve dois homicídios a menos ou 28,6% inferior na comparação com outubro, se constituindo no quarto mês mais tranquilo do ano em se tratando da matança em Juazeiro do Norte. Já no comparativo com novembro de 2018 foi um a menos ou uma queda da ordem de 16,6%, porquanto o décimo primeiro mês do ano passado teve seis assassinatos.

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, em novembro, os bairros onde houve o registro de homicídios foram Pio XII, Monsenhor Murilo, João Cabral, Frei Damião e Triângulo. No acumulado do ano o bairro Frei Damião lidera como o mais violento do município estando, agora, com dez homicídios ou 13,7% no número de assassinatos em Juazeiro.

Os 11 primeiros meses de 2019 tornam o ano menos violento já que, em 2018, eram 87 homicídios contra 73 este ano ou 14 a menos representando uma queda na ordem de 16% na violência. Foram nove homicídios em janeiro, oito em fevereiro, a mesma quantidade em março, dez em abril, quatro em maio, quatro em junho, sete em julho, oito em agosto, três em setembro, sete em outubro e cinco em novembro.

Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 01 – José Roberto Inocêncio da Hora, de 32 anos, que residia na Avenida Carlos Cruz (Pio XII) saía de sua casa quando foi alvejado com dois tiros na cabeça cerca de um mês após deixar a prisão. Ele respondia por crimes de furtos, contravenção penal e tráfico de drogas.

Dia 05 – Cícero Damião da Silva, de 31 anos, o “Nego Sapeca”, que residia na Rua Vereador Cícero Ribeiro Sobreira (Betolandia), foi morto a tiros na Rua J. Antonio Severino no Loteamento Oasis (Bairro Monsenhor Murilo). Ele trabalhava numa fábrica de pré-moldados quando foi surpreendido pelos disparos efetuados por dois homens que chegaram numa moto.

Dia 13 – Cícero Yuri Alves Evangelista, de 19 anos, que residia na Rua Pio Norões (João Cabral), foi morto a tiros por um homem dentro de casa e sua mãe Terezinha Silva Evangelista, de 43 anos, a “Teca”, saiu baleada. Ele respondia por crimes de ameaça e violência doméstica e ela suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas e acusada de furtos.

Dia 17 – José Carlos Xavier de Oliveira, de 53 anos, que residia na Rua Manoel de Barros (Frei Damião) e trabalhava como vigilante, foi morto a tiros na porta de sua casa por dois homens que fugiram numa moto. Ele respondia uma contravenção penal e, em setembro de 2018, tinha sido vítima de atentado à bala que teve como autor Francisco Daniel da Silva, de 28 anos.

Dia 24 – Edson Santos Silva, de 29 anos, que residia na Rua José Andrade de Lavor (João Cabral), foi morto a tiros na Rua Socorro Norões Mota (Triângulo) por dois homens numa moto. Ele era usuário de drogas e respondia procedimentos por contravenções penais, crime de trânsito, duas violências domésticas, danos contra o município de Juazeiro e um assalto em Barbalha.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

ComentáriosComentários