JPMotos
Moro autoriza Força Nacional a atuar no Ceará por mais 90 dias para ajudar a Polícia Civil a desmantelar as facções
7 de junho de 2019 às 05:00
255
Visualizações
Moro 1

Ministro Sérgio Moro atendeu a um pedido feito pelo governador Camilo Santana (PT)

Uma portaria assinada nesta quarta-feira (5) pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o emprego da Força Nacional de Segurança no Ceará com o objetivo de conter a criminalidade e reduzir os homicídios. O prazo é de 90 dias, podendo ser renovado. Moro atendeu a um pedido pessoal do governador Camilo Santana (PT).

O trabalho da FNS desta vez não será mais o ostensivo, de auxiliar a PM no patrulhamento das ruas, avenidas e terminais. Os membros da Força que aqui permanecerão, vão atuar, exclusivamente, em operações de apoio em investigações da Polícia Civil para o desmantelamento de organizações criminosas, especialmente as facções e quadrilhas que têm lideranças ainda nos presídios da Grande Fortaleza.

De acordo com o documento, o trabalho da Força Tarefa no Ceará, desta vez, será restrito a atuar “em caráter episódico e planejado”, compondo a Força-Tarefa de Polícia Judiciária para reduzir os assassinatos no estado.

Ainda de acordo com a portaria – de número 573, de 5 de junho de 2019 – o contingente a ser disponibilizado obedecerá ao planejamento definido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Facções e mortes

Ainda de acordo com o Ministério, o prazo para o apoio da Força Nacional poderá ser prorrogado, se necessário. E adverte: “caso a renovação não seja solicitada pelo órgão apoiado, tempestivamente, o efetivo será retirado imediatamente após o vencimento da portaria”

A Força-Tarefa foi constituída no ano passado por determinação do governador tem como objetivo o esclarecimento de centenas de assassinatos ocorridos no Ceará nos últimos meses, em conseqüência da guerra de facções e da disputa de território do tráfico de drogas.

Com Informações Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários