JPMotos
Mulher é presa por suspeita de matar filhos, marido e sogro
30 de novembro de 2016 às 09:42

20161130070055_6876_capa

Quatro mortes em cinco anos, no mesmo núcleo familiar, sem causas aparentes, levantaram suspeitas na pacata comunidade do Mundo Novo, zona rural de Aratuba, a cerca de 110 km de distância da Capital. O estranhamento foi levado à promotoria de Justiça da Comarca do Município, que iniciou a investigação do caso e suspeitou da culpa de uma mulher pelos falecimentos de dois filhos, do marido e do sogro. Ela foi detida por força de um mandado de prisão temporária na última quinta-feira (24), em Canindé.

As mortes aconteceram entre os anos de 2009 e 2014. Entretanto, apenas a última vítima, uma menina de apenas 2 anos de idade, teve o corpo periciado na Perícia Forense do Ceará (Pefoce), que apontou envenenamento por rodenticida (produto ilegal conhecido popularmente como ´chumbinho´) como a causa do falecimento. “Nada indica que a menina tenha sido envenenada de forma acidental”, avaliou a promotora responsável pela investigação inicial do caso, Camila Frota Furlan.

De acordo com Camila Furlan, uma pessoa procurou a promotoria de Justiça, neste ano, levantando a possibilidade dos óbitos na família em questão não terem sido por causas naturais. “Quatro pessoas vindo a óbito dentro de cinco anos, sendo que elas estavam saudáveis, é realmente muito estranho”, concordou a representante do Ministério Público do Ceará (MPCE).

Diante do inusitado, a promotoria iniciou a investigação do caso. A mulher, que negou a autoria das mortes, e familiares e vizinhos foram ouvidos durante a investigação. De acordo com promotora, os depoimentos indicaram que as vítimas anteriores à menina apresentaram sintomas semelhantes à ela pouco antes de morrerem e que as fatalidades surpreenderam a população do Distrito de Mundo Novo.

Os corpos do sogro, do outro filho, que na época também tinha dois anos, e do marido da mulher presa, que morreram nessa sequência, não foram periciados, sendo encaminhados diretamente ao Sistema de Verificação de Óbito (SVO).

Ainda conforme a representante do MPCE, a menina morta em 2014 já havia sofrido um envenenamento no ano de 2013, precisando ser transferida de Aratuba para o Hospital Albert Sabin, especialista no cuidado de crianças, em Fortaleza.

Inquérito

Com as provas colhidas, a promotoria de justiça solicitou à Polícia Civil a abertura de um inquérito para investigar a suspeita pelas quatro mortes. A Delegacia Municipal de Guaramiranga, responsável pelo município onde aconteceu o caso, realizou oitivas e chegou à conclusão que a mulher deveria ser presa temporariamente até o término da investigação. O mandado de prisão teve o parecer positivo do MPCE e foi acatado pelo juiz da Comarca de Aratuba.

Na última quinta-feira (24), policiais militares cumpriram a ordem da Justiça e realizaram a detenção da suspeita no município de Canindé, onde ela estava morando. A prisão para onde a mulher foi levada não foi informada. Em nota emitida pela assessoria de comunicação, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou que a mulher foi capturada por existir suspeitas de que ela seja a autora dos quatro delitos, com indícios de que as pessoas tenham sido assassinadas com veneno. Ela não tinha antecedentes criminais.

Fonte: Diário do Nordeste

ComentáriosComentários