JPMotos
Novembro terminou com 17 assassinatos em Juazeiro no mês mais violento do ano
2 de dezembro de 2017 às 11:33

Com 17 homicídios em 12 diferentes bairros de Juazeiro e uma localidade rural, sendo duas mulheres, o mês de novembro foi o mais violento do ano. O décimo primeiro mês de 2017 ano teve cinco homicídios a mais (29,4%) que outubro e sete a mais na comparação com novembro de 2016 quando dez pessoas tombaram sem vida em Juazeiro. Este ano foram 12 homicídios em janeiro, 10 em fevereiro, 15 em março, nove em abril, 11 em maio, 15 em junho, 11 em julho, 13 em agosto, outros 13 em setembro, 12 em outubro e 17 no mês passado.

Segundo levantamento do Site Miséria, em novembro os bairros onde houve o registro de homicídios foram João Cabral (03) Romeirão e Triângulo com dois cada e os demais no Santa Tereza, Salesianos, Betolandia, Timbaúbas, Lagoa Seca, Três Marias, Pio XII, Brejo Seco, um na PIRC e outro no Sítio Barro Branco. No acumulado do ano o bairro Frei Damião é o mais violento com o registro de 21 assassinatos ou 15,2% do total de 138 homicídios. No ano passado, em onze meses, eram 109 assassinatos e já são 21% a mais este ano. Eis a relação dos registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 03 – Cícero Campos da Silva, de 37 anos, o “Cição do Assaré” que residia na Rua Carlos Gomes (Salesianos) foi morto a tiros no interior do Rei do Galeto perto do cruzamento entre as ruas José Marrocos e Pio X naquele bairro por dois homens numa moto. Ele respondia por crimes de homicídios, lesão corporal, tráfico de drogas e danos.

Dia 04 – Maria Zilda da Silva, de 43 anos, a “Branquinha”, que residia na Rua José de Alencar, 1095 (Romeirão) foi morta a tiros dentro de casa por dois homens que ali chegaram numa moto. Ela respondia por crime de receptação e o seu irmão Francisco Nilton da Silva, de 35 anos, também foi assassinado.

Dia 04 – Francisco Nilton da Silva, de 35 anos, o “Bibi” foi a outra vítima no caso do duplo homicídio anterior no bairro Romeirão. Ele não tinha passagens pela polícia.

Dia 05 – Afonso José de Oliveira Filho, de 40 anos, que residia na Rua 10, quadra 11 do Conjunto Minha Casa Minha Vida (Betolandia), morreu no HRC após ser baleado no tórax na noite anterior perto de sua casa por dois homens numa moto Honda CG 150 de cor preta. Ele era usuário de drogas.

Dia 10 – Leonardo do Nascimento Souza, de 25 anos, o “Léo” que residia na Rua Domingos Sávio (Timbaúbas), foi morto a tiros perto de sua casa por um homem que se aproximou numa moto. Segundo a polícia, ele era usuário de drogas e respondia Ação Penal por crimes de assalto, resistência à prisão e desacato.

Dia 11 – Cícero Lucas da Silva Sousa, de 18 anos, o “MC” que residia na Rua T18 (Bairro Malvinas) em Barbalha, foi morto a tiros no cruzamento das ruas Senhor do Bonfim e Jaimy Dorcy (João Cabral) por dois homens numa moto. Ele tinha envolvimento com o tráfico de drogas e havia deixado a cadeia pública há pouco dias.

Dia 13 – Cícero Jossanael de Oliveira Gonçalves, de 20 anos, o “Jó” que residia na Rua Domingos Sávio no bairro Pio XII, foi morto com um tiro nas costas no cruzamento das ruas da Paz e São Damião no bairro Santa Tereza. Ele respondia procedimentos por crimes de roubos, furto, corrupção de menor e tráfico de drogas.

Dia 14 – Anderson Cavalcante da Silva, de 39 anos, que residia na Rua Odete Matos de Alencar (Lagoa Seca) morreu na UTI do Hospital Regional do Cariri. No dia 2 de novembro ele foi baleado no pescoço quando estava no interior de um Honda Civic de cor preta perto da Praça da La Favorita, cujo carro é de Judá Sampaio de Pinho, de 32 anos, que saiu lesionado no braço. O mesmo disse à polícia que dois homens passaram numa moto atirando e ferindo ele e seu amigo.

Dia 15 – Jakson Izaque Barbosa Aprígio, de 27 anos, o “Jajá” que residia na Rua Virginia de Mendonça no bairro João Cabral, foi morto a tiros enquanto jogava sinuca no Bar do Espetinho no bairro Vila Três Marias, por dois hmens que ali chegaram numa moto Honda Bros. Existem informações que a vítima costumava emprestar dinheiro a juros e não respondia procedimentos criminais.

Dia 16 – Gabriel Alisson Leandro Bandeira, de 19 anos, que residia na Travessa Santa Inês (Pio XII), foi morto a tiros no cruzamento das ruas São Miguel e Domingos Sávio naquele bairro. Ele era acusado de crimes de roubo e receptação praticados em novembro de 2016 e tinha deixado a cadeia há dois meses.

Dia 16 – Francisco Alan Davi Pereira, de 29 anos, o “Alanzinho”, que residia na Avenida Paraíba no bairro João Cabral, foi morto a tiros na cabeça praticamente dentro de sua residência perto do cruzamento com a Rua Jaime Dorcy. Ele era testemunha de um homicídio e respondia por lesão corporal, estupro e furto.

Dia 22 – José Fernando Lopes de Oliveira, de 17 anos, que residia na Rua das Flores, 1261 no bairro Romeirão, foi morto a tiros enquanto namorava com uma garota sentado na calçada de um imóvel na Rua Beata Maria de Araújo no bairro João Cabral, por dois homens numa moto Honda de cor vermelha. Ele respondia procedimento por roubo.

Dia 22 – Adelson Fernandes dos Santos, de 34 anos, o “Adelson dos Galos” que residia na Rua Miguel de Sá Barreto, 125 (Brejo Seco), foi morto a tiros naquela via e perto da capela do bairro por dois homens que fugiram num veículo Celta de cor prata. Ele respondia procedimentos por porte ilegal de arma de fogo e crime de trânsito.

Dia 23 – Francisco Regilanio da Silva, de 23 anos, o “Biribiu” que residia na Rua Vicente Barbosa de Melo (Frei Damião), foi morto por espancamento na Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC). Ele respondia por crimes de roubo, danos, tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Dia 26 – Cícero David Soares, de 29 anos, foi morto com um tiro de pistola na cabeça efetuado por sua esposa Maria das Dores Maciel Pereira Soares, de 33 anos, a “Das Dores”, dentro de casa na Rua Francisco Monteiro (Triângulo). Ela foi presa com a arma e, na delegacia, disse, que seu marido dormia e teria disparado acidentalmente, porém, noutro momento, comentou sobre mensagens que viu no Whatsapp dele e não teria gostado acrescentando que ía apenas fazer-lhe um susto.

Dia 27 – Adeilton Silva Oliveira, de 40 anos, que residia na Rua São Cândido, 306 (Salesianos), teve o cadáver encontrado na estrada da Vaca Morta no Sítio Barro Branco em estado de decomposição e apresentando duas perfurações no abdômen e tórax e manchas de sangue.

Dia 29 – Severina de Brito Silva, de 36 anos, a “Ana do Crato”, que residia na Rua Elisa Lacerda (São José) em Juazeiro, foi morta a tiros dentro do seu veículo Corolla de cor preta ao parar no semáforo da Avenida Padre Cícero (Triângulo) em frente à Singer por dois homens que fugiram numa moto Honda XRE. Ela respondia por crime de porte ilegal de arma de fogo.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

54 total views, 2 views today

ComentáriosComentários