JPMotos
Novembro terminou com uma mulher assassinada no Cariri e a violência no ano é 16,6% maior
6 de dezembro de 2016 às 09:37
36
Visualizações

20161206065154_5212_capa

O mês de novembro terminou com o registro de uma mulher assassinada na região do Cariri ou uma a menos em relação a outubro. Nos 11 primeiros meses deste ano já são 18 vítimas de homicídios contra 15 em igual período do ano passado ou uma matança de mulheres 16,6% superior entre os dois anos. Já na comparação dos meses de novembro deste e do ano passado houve uma queda já que no décimo primeiro mês de 2015 ocorreu um caso de feminicídio no Cariri.

No ano passado foram três pessoas do sexo feminino assassinadas em fevereiro, outras três em abril, duas em maio, duas em junho, uma em agosto, duas em setembro e outras duas em novembro. Já este ano foram duas em fevereiro, outras duas em março, mais duas em abril, três em maio, outras três em junho, uma em julho, outra em agosto, uma em setembro, duas em outubro e uma no mês passado.

Nesses 11 meses de 2016 mulheres tombaram mortas em nove municípios do Cariri, sendo seis em Juazeiro do Norte, duas em Brejo Santo, duas em Barro, outras duas em Crato, mais duas em Farias Brito e as demais em Santana do Cariri, Mauriti, Assaré e Araripe. Sozinha, a Meca do Cariri responde por um percentual de 33,3% na matança de mulheres em nossa região.

No dia 10 de novembro Daniele Gonçalves da Silva, de 23 anos, que residia na Rua Ana de Sousa Lacerda, 88 (Bairro Alecrim) em Farias Brito, foi morta com um tiro efetuado por Francisco Tavares da Silva, o Chiquinho. Ele tentou matar o irmão dela, Miguel Gonçalves, que tinha um relacionamento amoroso com a ex-mulher do acusado, mas o disparo terminou atingindo Daniele.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

ComentáriosComentários