JPMotos
Operação contra a agiotagem no interior termina com três suspeitos presos em flagrante
15 de maio de 2019 às 10:37
81
Visualizações
Agiotagem 1

Dinheiro, cartões, um simulacro de pistola e até drogas foram apreendidos com os agiotas presos

Três Municípios cearenses foram alvos de uma operação policial nesta terça-feira (14) no combate ao crime de agiotagem. Três pessoas foram presas em flagrante e uma grande quantidade de material de prova foi recolhida pelas autoridades da Segurança Pública.

O trabalho da Polícia Civil se concentrou nos Municípios de Iguatu, Acopiara e Mombaça, onde os inspetores e delegados prenderam os três suspeitos com cerca de R$ 3,6 mil em espécie, além de cartões de controle de cobrança dos empréstimos. As cobranças eram feitas diariamente com juros de até 20 por cento do valor da dívida.

Os tomadores dos empréstimos eram coagidos, ameaçados e extorquidos pelos agiotas, conforme o relato colhido pelas autoridades.

A Polícia apreendeu também duas motocicletas, um simulacro de arma de fogo e uma pequena quantidade de maconha que era de uso pessoal dos agiotas.

Os três acusados foram encaminhados à Delegacia Regional de Polícia Civil da cidade de Iguatu (a 377Km de Fortaleza), onde foi realizado o flagrante e a apreensão de todo o material colhido durante as buscas.

Colombianos

Em Fortaleza, dezenas de colombianos estão atuando na prática de agiotagem contra pequenos e médios comerciantes e seus clientes. Há relatos de ameaças contra os devedores e cobranças extorsivas feitas diariamente.

Diante das ameaças e da presença diárias dos agiotas colombianos em suas portas, os cidadão são coagidos a pagar os juros exorbitantes e não conseguem quitar a dívida. Sofrem intimidações e constrangimentos.

Sem o controle da Polícia Federal, os estrangeiros agem livremente na Capital e em vários Municípios da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e do interior, na prática do crime financeiro.

A agiotagem é uma ação ilegal praticada pelos agiotas, que são pessoas físicas que costumam emprestar dinheiro e cobram juros abusivos, acima do limite legal permitido, para conseguir lucrar com esse tipo de prática. Normalmente, esse elícito está associado a outras práticas criminosas como ameaça, enriquecimento ilícito e formação de organização criminosa.

Com Informações Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários