JPMotos
Operação policial: Polícia apreende metralhadoras na Favela do Gueto
27 de dezembro de 2016 às 11:14
56
Visualizações

20161227062158_9041_capa

Quatro homens suspeitos de integrarem uma quadrilha com atuação na Comunidade do Gueto, na Barra do Ceará, foram presos, na última sexta-feira (23). Duas metralhadoras e uma pistola, que seriam do bando, foram apreendidas pelas equipes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Segundo a Polícia, há um indicativo de que a quadrilha estaria planejando realizar um sequestro, em Fortaleza.

De acordo com o delegado Osmar Berto, titular da Especializada, as investigações foram iniciadas com os resgates de presos ocorridos no mês de novembro, no prédio da Delegacia Geral da Polícia Civil e do 3ºDP (Otávio Bonfim). Durante as apurações, mais de 20 pessoas que têm ligações com os fatos foram presas, mas algumas ainda permanecem foragidas.

Um destes foragidos era Bruno Cavalcante Costa, o ´Bradesco´, resgatado do 3ºDP. Ele é suspeito de ser um dos líderes da célula criminosa que agia no ´Gueto´. “O alvo da nossa investigação era o Bruno, mas durante as apurações identificamos a área de atuação dele, que era o ´Gueto´ e identificamos outros criminosos que agiam com ele”, explicou Osmar Berto.

Conforme o delegado, quando o bando foi descoberto havia o indicativo que estava se organizando para praticar um sequestro, em Fortaleza. Por conta disto, as ações contra eles foram intensificadas. Uma parte da quadrilha foi localizada, em um veículo Chevrolet Celta, no bairro Álvaro Weyne. O automóvel está em nome de uma pessoa que ainda não foi localizada, mas que será apurado como o veículo chegou aos criminosos.

Havia uma pistola, calibre 380 dentro do veículo. Simultânea à prisão dos ocupantes do Celta, identificados como Daniel Targino de Oliveira, 40; Otacílio Siqueira de Araújo Júnior, 47; e Bruno Costa, o Bradesco, 28; a Polícia prendeu Leandro Dutra da Cunha, o ´Playboy´, 26, na Rua Professor Dias da Rocha, no bairro Aldeota.

Osmar Berto ressalta que os quatro são considerados perigosos e já respondem a crimes graves. “Todos eles respondem a vários crimes e têm envolvimento com quadrilhas. O ´Playboy´ e o ´Bradesco´ eram equivalentes nesta célula criminosa e os outros dois subordinados a eles”.

Daniel Oliveira já é conhecido da Polícia pela prática de roubos e por se envolver em ações ousadas. Em 2005, ele foi resgatado de dentro de uma viatura da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). No episódio, houve troca de tiros entre os criminosos e a Polícia, mas Daniel conseguiu ser libertado pelos comparsas.

Armas

Depois que o bando foi preso declinou onde estavam as armas. As duas metralhadoras foram achadas em um telhado na Favela do ´Gueto´. Segundo o delegado, o dono da casa não sabia que o material estava lá. “O proprietário não sabia dessas armas no forro da casa dele. Estavam escondidas entre as telhas e a laje”, explicou o delegado.

Osmar Berto disse que as armas apreendidas têm alto poder de fogo e disparam muitos tiros por minuto. Segundo ele, apesar de não serem novas, funcionam perfeitamente e estariam com os criminosos há um tempo considerável. “Eles prestaram depoimento, mas quando chegou na hora de falar das armas desconversam. Não querem falar. Não eram novas e nem bem conservadas. Nós acreditamos que as armas estavam com eles há algum tempo e fosse utilizadas em crimes mais graves”, afirmou.

Segundo o titular da Draco, ainda está sendo apurada a rota que as metralhadoras fizeram para chegar ao Ceará, por quem elas foram adquiridas e se algum dos homens presos têm ligação com facções locais ou de outros Estados. Os quatro suspeitos foram autuados pelos crimes de porte ilegal de arma de uso restrito e associação formação de quadrilha qualificada.

Diário do Nordeste

ComentáriosComentários