JPMotos
PM ocupa bairro onde facções criminosas iriam se encontrar e praticar uma chacina
16 de agosto de 2018 às 12:40
43
Visualizações

COMANDANTE-GERAL ADJUNTO DA PM, CEL. ADRIANO, FALA SOBRE A OPERAÇÃO

A informação “vazou” nas redes sociais neste feriado (15) dando conta de que um baile funk ou “pancadão” iria acontecer na pracinha do bairro Canindezinho, na zona Sul de Fortaleza, e que ali poderia ocorrer uma chacina por conta da presença de integrantes de facções criminosas rivais. A Polícia Militar não esperou acontecer: ocupou a praça e o bairro inteiro na noite passada, com tropas do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque). Nada aconteceu e a PM deu o seu recado.

O próprio comandante-geral adjunto da Corporação, coronel PM Adriano Moura, deixou o conforto do seu gabinete e foi para a rua comandar pessoalmente a operação no Canindezinho. Acompanhou a ocupação do local por patrulhas do Comando Tático Motorizado (Cotam), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque).

Ao mesmo tempo em que a tropa de Choque dominava a área no entorno da praça onde haveria o suposto encontro das facções armadas, outras ações preventivas foram adotadas. Uma blitz foi montada na Avenida General Osório de Paiva, que dá acesso ao local; além de uma operação de saturação com equipes de outros batalhões subordinados ao Comando do Policiamento Especializado (CPE) as chamas “Forças Especiais” (de elite) da PM, como o Grupo de Ações Táticas Especiais/Gate (também pertencente ao BPChoque) e patrulhas do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio).

Com a tomada do território pela PM, as facções desistiram do encontro que ocorreria no evento e que, certamente, iria produzir mais uma chacina na Capital.

Com Informação FernandoRibeiro

ComentáriosComentários