JPMotos
Polícia prende acusado de matar menor de 17 anos a golpes de canivete em Juazeiro
7 de setembro de 2017 às 10:08

O servente de pedreiro Francisco Pedro Lima Silva, de 28 anos, apelidado por “Ariel” foi preso por volta das 11h30min desta quarta-feira no Parque Bulandeira em Barbalha. Os Inspetores do Núcleo de Homicídios e Proteção à Pessoa da 20ª DRPC cumpriram Mandado de Prisão Preventiva expedido pelo Juiz Luís Sávio de Azevedo Bringel em nome da 1ª Vara Criminal da Comarca de Juazeiro do Norte. Ele é acusado de matar a golpes de canivete o adolescente Rodrigo Silva Costa, de 17 anos, o “Alex”.

As lesões ocorreram no início da madrugada do último dia 24 de março na Avenida Paulo Maia (Salesianos) e a vítima morreu na noite daquele dia num dos leitos do Hospital Regional do Cariri para onde foi socorrido. Segundo o Delegado de Polícia Civil, Giovani Aquino, desde a data do crime e com base em provas testemunhais e imagens obtidas que mostram parte da ocorrência, a polícia já sabia que Ariel tinha assassinado o menor.

De acordo com o Inquérito, ele estava acompanhado de mais duas pessoas num estabelecimento comercial perto do local do crime quando Alex chegou numa moto Honda Biz de cor vermelha trazendo sua companheira de 20 anos na garupa. Ariel foi ao seu encontro iniciando uma discussão seguida de agressão física em razão de, duas semanas antes, o adolescente ter roubado o celular de um parente do acusado. Quando estava sendo agredida a vítima repetia a promessa: “Vou lhe pagar. Vou lhe pagar!”.

Por sua vez o enfurecido Ariel o chamava de ladrão e até um dos colegas dele tentou impedir as agressões sem êxito. Foi quando Alex correu, mas terminou perseguido por seu algoz o qual o alcançou em cima dos trilhos da via férrea do Metrô do Cariri e passou a lesioná-lo com um canivete. Dias depois, ele se apresentou com o seu advogado ao Delegado Giovani Aquino e confessou a prática do crime usando uma faca de mesa que disse ter apanhado no posto de combustíveis onde começou o conflito.

Indagado por Doutor Giovani sobre a motivação, Ariel contou que, quinze dias antes, estava em um bar na Avenida Leão Sampaio quando foi atingido com uma garrafada na cabeça por Alex e outros. Daí em diante teria passado a sofrer ameaças de morte por parte dos seus agressores. Na noite do crime disse que, ao se encontrar com Alex, este passou a ameaçá-lo de morte chegando a atirar um capacete contra sua pessoa quando se agarrou com o menor e, após encontrar a faca de mesa, desferiu os golpes.

Após ser ouvido, Ariel se mudou de Juazeiro e o novo endereço era desconhecido da polícia que passou a investigar o seu paradeiro já que o delegado tinha representado por sua prisão preventiva junto ao poder judiciário. Para Doutor Giovani, ele agiu por vingança e não em legítima defesa. Alex residia na Avenida Paulo Maia e respondia atos infracionais junto às Comarcas de Cedro e Icó e já estivera internado no Centro Sócio Educativo de Juazeiro.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

226 total views, 1 views today

ComentáriosComentários