JPMotos
Presos quatro suspeitos de tráfico interestadual
16 de maio de 2017 às 08:42

Quatro suspeitos de integrar uma quadrilha de tráfico de drogas interestadual foram presos, após investigação de policiais civis da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD). A captura aconteceu, na última sexta-feira (12), quando as equipes montaram uma campana em uma pousada da Praia do Futuro e localizaram o paranaense Gustavo Collyer de Santa Brígida, 38. A Polícia aponta que as Regiões Norte, Nordeste e Sul eram os alvos do esquema.

Apontado como dono da droga e atual líder do bando, Gustavo Collyer saía da pousada na companhia do cearense Camilo Josino, 29, quando foram surpreendidos. De acordo com a diretora da Divisão, delegada Patrícia Bezerra, ele foi flagrado com 50 pontos de LSD. No quarto dele havia outros 571 pontos.

“Em junho do ano passado prendemos Ricardo Ubiratan Barros Leal Filho. A droga dele estava em uma pousada na Praia do Futuro. Essas investigações relativas ao Ricardo apontaram uma ligação dele com pessoas do Sul do País envolvidas com o tráfico de drogas sintéticas. Foi aí que identificamos uma pessoa ligada a ele, que é o Gustavo”, conta a delegada.

Depois que descobriram a rotina de Gustavo, a Polícia observou que havia, pelo menos, outros dois cearenses no esquema. Josino, que tentou fugir quando interceptado, levou os agentes até a casa dele, no Bairro Joaquim Távora, onde acharam 10 quilos de maconha.

O segundo suspeito detido apontou o envolvimento de Wallace Bruno Lobão Mendes, 38, também paraense. Na residência dele, no Bairro Aldeota, tinha 40 comprimidos de ecstasy. Por fim, os agentes encontraram a cearense Suyene Alves da Silva, de 32 anos, que armazenava em casa, na Cidade 2000, outros 35 comprimidos de ecstasy, além de trouxinhas de cocaína prontas para distribuição.

“A droga sintética vem do Sul do País, a maconha vem do Norte. A ligação com o Sul do Brasil se repete. Já fizemos grandes apreensões oriundas dessa Região. Desde uma apreensão no Aeroporto, em 2015, todas as nossas apreensões de drogas sintéticas têm relação ou com Santa Catarina ou com o Paraná”, contou Patrícia Bezerra.

Viagens

A diretora da DCTD ressalta que as investigações mostraram constantes idas de Gustavo Collyer aos mesmos destinos. O suposto líder da quadrilha passava dois meses no Ceará, ia para o Pará, retornava, ia ao Sul do País e passava mais dois meses em Fortaleza. O ciclo se repetia.

Ainda conforme a DCTD, parte das drogas sintéticas seria entregue aos clientes de uma rave que vai ser realizada no próximo domingo (21). Nenhum dos quatro suspeitos detidos tinha antecedentes criminais.

Fonte: Diário do Nordeste

139 total views, 1 views today

ComentáriosComentários