JPMotos
Suspeitos de matarem jovem em Lavras da Mangabeira trocam acusações na frente da polícia
9 de junho de 2017 às 07:29

A polícia de Lavras da Mangabeira acredita ter elucidado o assassinato de Fellype Weryque Quintino Maia, de 25 anos, que residia no Sítio Volta e teve o corpo encontrado na manhã da segunda-feira às margens da BR-230. O rapaz foi morto a pedradas, pauladas e garrafadas. Por volta das 11 horas desta quinta-feira cinco pessoas foram levadas para a Delegacia de Lavras como suspeitos de envolvimento no crime, sendo dois menores de idade.

A operação foi coordenada pelo Sargento Vidal, novo Comandante do Destacamento de Lavras da Mangabeira, o qual declarou não ter dúvidas quanto aos executores de Fellype cabendo o desfecho das investigações à Polícia Civil. De acordo com o que foi apurado, todos bebiam juntos na noite do dia 4 de junho e durante a madrugada de segunda na casa de George de Miranda Magalhães, de 29 anos, residente no bairro Cruzeiro e já com várias passagens pela polícia.

Quando faltou bebida, George ficou em casa e Fellype saiu para comprar acompanhado de outros quatro colegas de farra, sendo dois deles menores de idade. No caminho, um deles passou a discutir com a vítima relembrando o fato desta ter apedrejado certa vez um cunhado seu. O bate-boca ganhou em acirramento quando o menor de iniciais L. F., de 17 anos, acusado de um furto e residente no bairro Cruzeiro, atingiu Fellype com uma garrafada na cabeça e este caiu no solo.

O adolescente confessou esse fato à polícia e acusou o ex-presidiário Airton Rodrigues de Freitas, de 24 anos, residente na Rua Horácio Tavares (Bairro Cruzeiro), de ter executado o colega de farra a pedradas e pauladas. Os outros dois no caso José Nalison Rodrigues da Silva, de 20 anos, residente na Rua Conegundes Fernandes no mesmo bairro, e o menor de iniciais C. J. O. S., de 16 anos, teriam ficado apenas assistindo o homicídio.

Existem informações ainda não confirmadas pela polícia que o grupo teria voltado ao imóvel para continuar a bebedeira. Todos estão sendo ouvidos na Delegacia de Lavras da Mangabeira e deverão ser postos em liberdade por conta da não caracterização do flagrante. Após a conclusão, o Inquérito Policial será remetido pelo Delegado Henrique Fernandes ao poder judiciário e não está descartada a possibilidade de indiciamento de George de Miranda como suspeito de envolvimento no crime.

A VÍTIMA – Fellype Weryque tinha várias passagens pela polícia em Caririaçu, sendo a primeira no dia 12 de outubro de 2012 quando agrediu a socos na barriga sua mulher de 20 anos que estava grávida. Em novembro de 2013 tornou a ser preso por crime ambiental e respondia ainda procedimento na justiça por invasão de domicílio, porte ilegal de arma de fogo e ameaça de morte em novembro de 2014 contra Pedro Luiz dos Santos.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

404 total views, 2 views today

ComentáriosComentários