JPMotos
Universitário é executado por engano em Maranguape
5 de maio de 2017 às 15:41

Um estudante universitário foi executado a tiros, por dois homens que planejavam matar o primo da namorada dele, no bairro Guabiraba, no Município de Maranguape. O crime aconteceu na noite da última quarta-feira (3) e ninguém foi preso até o fechamento desta matéria.

Segundo informações apuradas pela TV Diário, no local do assassinato, João Pontes Oliveira Neto, conhecido como ´Netinho´, 23, estava na frente da casa da namorada, na Rua Capitão Manoel Bandeira, na companhia do primo dela, identificado como Lucas Nascimento, quando os criminosos chegaram.

Lucas correu e se escondeu dentro da residência. Os criminosos dispararam mesmo assim e ´Netinho´ foi alvejado com cerca de nove tiros. Em seguida, os criminosos fugiram. A Polícia Militar foi acionada e realizou diligências na região, mas os assassinos não foram localizados. A Perícia Forense do Ceará (Pefoce) compareceu ao local e recolheu o corpo para necropsia.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e a Delegacia Metropolitana de Maracanaú levantaram informações para a investigação do caso. O delegado plantonista da Delegacia Metropolitana de Maracanaú, Wagner Jorge, acredita que o universitário tenha sido morto por engano. “O ´Netinho´ estava no lugar errado, na hora errada. Eles (criminosos) vieram pegar o Lucas Nascimento”, afirmou.

O universitário não tinha passagem pela Polícia e era conhecido no bairro onde morava como estudioso e trabalhador. O rapaz de 23 anos estudava Administração e trabalhava como técnico de segurança do trabalho em uma empresa.

Enquanto o primo da namorada da vítima, Lucas Nascimento, já foi autuado três vezes por homicídio, uma por porte ilegal de arma, uma por receptação e uma pela Lei Maria da Penha.

Ainda de acordo com o delegado Wagner Jorge, Lucas é membro de uma organização criminosa e já sofreu três atentados, devido à rivalidade entre facções.

Nas redes sociais, amigos e conhecidos de ´Netinho´ lamentaram sua morte. Na página do Diário do Nordeste, no Facebook, várias pessoas se manifestaram pedindo providências para que o caso seja solucionado.

Fonte: Diário do Nordeste

 

191 total views, 2 views today

ComentáriosComentários