JPMotos
Eunício anuncia apoio a Temer na disputa pela presidência do PMDB
27 de janeiro de 2016 às 11:41

20160127083529_6077_capa

Pleiteando a Presidência do Senado em 2017, o senador Eunício Oliveira (PMDB) anunciou, em entrevista ao O POVO, apoio à recondução do vice-presidente da República, Michel Temer, à presidência do partido. O processo de escolha ocorre na convenção da sigla que será realizada em março.

Nos bastidores, há uma disputa entre os grupos do presidente do Senado, Renan Calheiros, e do vice-presidente Michel Temer pelo comando da legenda desde que a divisão do partido ficou cada vez mais evidente com o racha na Câmara dos Deputados.

Com discurso de que busca “unidade” partidária, Eunício, que é próximo a Renan, defende agora que o senador Romero Jucá – também aliado de Renan e que tem interesse em disputar no voto a presidência nacional do PMDB – se coloque apenas como vice de Michel.

“Eu não tenho o menor interesse, nesse momento, de fazer uma disputa pela presidência nacional do partido”, afirmou Oliveira.

A afirmação com sinais de recuo foi dada após críticas do ex-ministro Geddel Vieira Lima – aliado de Temer – de que o líder do PMDB no Senado estaria ocupando muito espaço no partido.

“O senador Eunício precisa parar de blefar. Ele quer ser presidente do Senado, tesoureiro do PMDB, governador do Ceará. Se quiser, ele pode ser candidato a presidente do PMDB também”, ironizou.

Colocando panos quentes na declaração, o senador Eunício tratou de minimizar as críticas. Segundo ele, há um consenso interno do seu nome para suceder Calheiros em 2017 e que trabalha para que não haja disputa ou divisão dentro do partido. “Eu é que não quero acumular liderança do PMDB, tesouraria e candidatura à Presidência do senado”, rebateu.

De acordo com publicação da revista Época, haveria um acordo proposto pelo grupo de Temer para que Eunício entregasse a tesouraria em troca de apoio à candidatura à Presidência do Senado. O senador negou: “Não tem vinculação do Senado e partido, não. O presidente do Senado quem escolhe são os senadores”, afirmou.

Acordos

O senador cearense adiantou também que tem conversado com diversos partidos para buscar consenso da Casa na sucessão da Presidência.

Segundo ele, houve conversas com DEM, PT, PSDB, PDT, PSB e PP e que nesses partidos “não têm problema” em relação ao seu nome. A indicação do partido para a Presidência do Senado, e automaticamente do Congresso, será apenas no final do ano. A eleição é realizada em fevereiro.

Saiba mais

A indicação de Marlon Cambraia para o Governo Federal entra na cota do senador Eunício Oliveira, presidente do PMDB Ceará e líder do partido no Senado Federal.

Entre os indicados pelo senador peemedebista estão o presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Marcos Holanda; o diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Ricardo Fenelon Júnior, genro do senador; e o presidente da Companhia Docas do Ceará, César Pinheiro.

Fonte: O Povo

142 total views, 1 views today

ComentáriosComentários