JPMotos
Facebook muda de cara, e Messenger vai se integrar a Instagram e Whatsapp, com versão para desktop
1 de maio de 2019 às 10:01
64
Visualizações

“O futuro é privado”, disse o presidente-executivo Mark Zuckerberg na abertura do encontro anual do Facebook com desenvolvedores, o F8, nesta terça-feira (30).

No evento na Califórnia, o presidente-executivo da empresa divulgou os primeiros passos do grupo nesse sentido, destacando mudanças no Messenger, que ele promete que será “o aplicativo de conversas mais rápido” que existe, e a nova cara do Facebook.

O novo Messenger, “refeito do zero”, será lançado “dentro de alguns meses”, mas Zuckerberg não deixou claro se todas as novidades preparadas para o aplicativo serão lançadas ao mesmo tempo. As principais são uma versão para desktop e integração com WhatsApp e Instagram.

Veja os principais anúncios:

Facebook

– ganha novo visual primeiro no app, e muda no site ainda neste ano, com a cor branca predominando, em vez do azul;

– o serviço de “Facebook Dating”, o “Tinder” da rede social, chega ao Brasil e a outros 13 países;

– grupos serão mais destacados. Grupos sobre temas diferentes terão funções diferentes. Por exemplo, membros de uma comunidade sobre saúde poderão tirar dúvidas sem o nome aparecer na postagem;

– grupos de empregos terão uma maneira mais fácil para empregadores anunciarem vagas;

– grupos sobre jogos terão um novo chat, para que as pessoas possam acompanhar eventos ao vivo e comentar em tempo real — algo próximo do que já acontece em plataformas como a Twitch e o YouTube;

– nova função “Encontre novos amigos”, que vai conectar quem estiver disposto a isso dentro de uma mesma comunidade (escola, trabalho ou cidade).

Messenger

– Vai se integrar ao Instagram e ao WhatsApp: pelo Messenger ele vai ser possível mandar mensagens para amigos dessas outras redes sociais; não foi dito a partir de quando;

– “Refeito do zero”, o Messenger ficou mais leve e promete ser o aplicativo de conversas “mais rápido” que existe; a nova edição será lançada neste ano;

– Ganhará uma versão oficial para desktop ainda neste ano, que incluirá chamadas em vídeo;

– Também será possível que amigos assistam a um mesmo vídeo, ao mesmo tempo.

Instagram

– terá um novo software para a câmera: além de fotos e vídeos ao vivo, o app agora introduz o “modo criativo”, para facilitar o compartilhamento de fotos e vídeos com efeitos, filtros e figurinhas;

– figurinha para doações para entidades;

– função de compras sem sair do app será expandida para influenciadores digitais, além dos varejistas — será possível comprar aquele look no perfil do seu artista favorito, por exemplo;

– estão testando tirar a contagem de “likes”– só o dono da foto vai poder ver quantos teve, se quiser; a ideia é que esta seja uma plataforma com “menos pressão”.

WhatsApp

– vai expandir a opção de pagamentos e envio de dinheiro dentro do app, uma função que já está em testes na Índia, principal mercado do aplicativo;

– Whatsapp Business terá um catálogo, para que os vendedores mostrem produtos.

Rival do Tinder no Brasil

Ao mesmo tempo em que Zuckerberg discursava, o Facebook anunciou o lançamento de um serviço rival do Tinder no Brasil. O “Dating” já funcionava em 5 países, e será expandido para mais 14. Veja como ele funciona.

´Sala de estar´ e foco em grupos

No discurso desta terça, Zuckerberg repetiu muitas das ideias divulgadas em um comunicado no começo do ano, em que anunciou que iria integrar os aplicativos da família Facebook: a rede social, o Instagram e o Whatsapp.

Ele assumiu que o Facebook “não tem a melhor reputação” em relação a privacidade no momento, mas defendeu que, após a internet permitir que o mundo todo se conectasse, como numa grande praça, o próximo desafio é criar experiências mais íntimas, como numa sala de estar.

As mudanças no Messenger são o primeiro passo, disse o executivo. Outro é destacar mais os grupos no Facebook. Existem dezenas de milhões ativos atualmente e mais de 400 milhões de pessoas participam, diz a empresa.

“Você poderá ver mais conteúdo dos grupos no seu feed de notícias. E vai poder compartilhar conteúdo diretamente com os grupos pelo feed, da mesma forma com que faz com amigos e família”, afirmou o Facebook em comunicado sobre as novidades.

Fonte: G1

ComentáriosComentários