JPMotos
Brasil e Rússia se enfrentam nessa sexta nas semifinais
19 de agosto de 2016 às 08:59
Brazil's players celebrate after scoring during the men's quarter-final volleyball match between Brazil and Argentina at Maracanazinho Stadium in Rio de Janeiro on August 17, 2016, during the Rio 2016 Olympic Games. / AFP PHOTO / Eric FEFERBERG

O destino reservou uma das maiores rivalidades do vôlei masculino, Brasil e Rússia, para mais um jogo histórico nas Olimpíadas, dessa vez, na semifinal do torneio na Rio-2016. A partida acontece nesta sexta-feira (19), às 22h15, no Maracãzinho.

O último duelo entre as equipes foi na final em Londres-2012, em jogo traumático para os brasileiros. O time de Bernardinho viu os russos vencerem por 3 sets a 2 após ter ganho os dois primeiros sets.

No Rio, as duas equipes vêm com campanhas inconstantes. O Brasil ficou apenas na quarta colocação do grupo, atrás até da inexpressiva seleção canadense. Já os russos conquistaram o terceiro lugar da outra chave, que teve Argentina, Polônia e Irã também classificadas para as quartas de final.

O Brasil teve dificuldades de passar pela Argentina, nas quartas de final, por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 17/25, 25/19 e 25/23, principalmente por causa das lesões inesperadas de Lipe e Lucarelli. A Rússia, por sua vez, foi bem diferente e, atropelou o Canadá por 3 a 0, em partida controlada pelos atuais campeões olímpicos, com parciais 25/15, 25/20 e 25/18.

Os problemas físicos estão afetando o rendimento da seleção brasileira. Os dois ponteiros, Lipe e Lucarelli, que começaram como titulares na partida contra a Argentina acabaram sentindo lesões e já viraram dúvidas para a semifinal, no clássico contra a Rússia.

A ordem, claro, é esperar, torcer pela recuperação e acreditar na força do grupo. Segundo o médico da seleção, Ney Pecegueiro, Lucarelli tem uma lesão na coxa e ainda será reavaliado.

Já Lipe sentiu uma contratura muscular nas costas e sente muitas dores na região. Para ele, porém, a chance de os dois resolverem jogar na base da superação é enorme. Maurício Borges e Douglas são as opções caso Lipe e Lucarelli não joguem.

O oposto Wallace, que foi o maior pontuador em quadra (24 pontos) contra a Argentina, não se importar com o ligeiro favoritismo russo para a decisão da vaga na final olímpica. “Chegando nessa altura do campeonato, pode ser o Cazaquistão, time que não tem tradição, que não vai ter favorito. Não adianta camisa, não adianta nada. Temos de jogar vôlei”, declarou.

Londres

Em 2012, o Brasil chegou a abrir 2 a 0 na decisão e parecia ter o jogo nas mãos. Na terceira parcial, porém, o técnico russo colocou o central Dmitriy Muserskiy ‘improvisado’ como oposto em quadra. A troca acabou com o sistema defensivo brasileiro, e a Rússia foi buscar a virada para ficar com a medalha de ouro. O próprio Muserskiy, porém, não estará na partida.

 Fonte Diário do Sertão

77 total views, 1 views today

ComentáriosComentários