JPMotos
Brasil vence o Equador e garante ‘título’ nas eliminatórias
1 de setembro de 2017 às 06:42

A seleção brasileira também quebrou o seu recorde de pontuação desde que o torneio passou a ser disputado por pontos corridos para a Copa do Mundo de 1998

Aseleção brasileira continua imbatível nas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo-2018. Nesta quinta-feira (31), a equipe ficou aquém das últimas atuações, mas conseguiu vencer o Equador por 2 a 0, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

Com a vitória, a nona consecutiva na competição, o time dirigido por Tite conseguiu algo imaginável há um ano. Com três rodadas de antecedência, conquistou o título simbólico do torneio -soma 36 pontos e não pode ser mais alcançado pela Colômbia, vice-líder, com 25.

A seleção brasileira também quebrou o seu recorde de pontuação desde que o torneio passou a ser disputado por pontos corridos para a Copa do Mundo de 1998. Até então, o melhor desempenho brasileiro foi nas eliminatórias de 2010, quando somou 34 pontos.

O Brasil ainda pode conquistar o maior número de pontos da história do torneio. A marca pertence a Argentina, que somou 43 pontos na caminhada rumo ao Mundial de 2002.

A vaga no Mundial havia sido conquistada em março, quando derrotou o Paraguai por 3 a 0, no Itaquerão. Na oportunidade, a seleção se tornou o primeiro país classificado para a Copa com exceção dos anfitriões. A classificação foi a mais antecipada de uma seleção nas eliminatórias sul-americanas com esse novo formato de turno e returno.

Os números alcançados pela seleção surpreendem. Há um ano, o Brasil ocupava a sexta colocação, enquanto os equatorianos estavam na liderança. A arrancada começou justamente com uma vitória sobre os adversários desta noite por 3 a 0, em Quito.

A equipe que entrou em campo no dia 1º de setembro de 2016 foi a mesma que jogou na Arena do Grêmio. Desde que assumiu o time, Tite fez apenas uma modificação por opção. Após duas rodadas, tirou Willian, que não atravessava bom momento, e colocou Philippe Coutinho.

O jogador do Chelsea só retomou a vaga de titular nesta rodada. O meia-atacante, porém, não teve uma boa atuação assim como toda a seleção na etapa inicial.

Apesar de controlar o jogo, a equipe de Tite não conseguia encontrar espaços para passar pela marcação adversária, que se fechava em duas linhas de quatro. Na etapa inicial, chegou apenas em chutes da entrada da área com Paulinho e Gabriel Jesus, que pararam no goleiro Banguera.

Neymar, que fazia seu primeiro jogo pela seleção desde que se tornou o jogador mais valioso do mundo – foi contratado pelo Paris Saint-Germain por R$ 824 milhões-, também não esteve bem e ainda recebeu um cartão amarelo. Ele teve alguns lampejos, mas sem efetividade.

Com 30 minutos, a torcida gaúcha já pedia a entrada do gremista Luan.

No segundo tempo, porém, tudo mudou. Não foi uma atuação brilhante, mas eficiente. Tite voltou com Thiago Silva no lugar de Miranda. Com 13 minutos, trocou Renato Augusto por Philippe Coutinho, que pode ser anunciado nesta sexta-feira como novo reforço do Barcelona.

A mudança de um jogador mais defensivo por outro mais ofensivo era um dos testes que o treinador desejava fazer. Com esta formação, tentou dar mais dinamismo para o time e conseguiu.

Antes da troca, porém, a seleção criou grande chance em uma cabeça de Gabriel Jesus, que exigiu excelente defesa do goleiro.

Dez minutos após a entrada de Coutinho, o Brasil abriu o placar, mas não teve a participação do meia. Willian cobrou escanteio e Paulinho dominou dentro da área para encher o pé e vencer Banguera

Com a vantagem, a seleção se soltou em campo e conseguiu ampliar. Aos 30 minutos, Coutinho arrancou e enfiou para Gabriel Jesus, deu um chapéu no goleiro e escorou de cabeça para o ainda jogador do Liverpool ampliar.

Após os gols, os torcedores deixaram a irritação de lado e entoaram o grito de olé. A festa ficou completa com a entrada de Luan nos minutos finais.

BRASIL

Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda (Thiago Silva) e Marcelo; Casemiro; Paulinho, Renato Augusto (Coutinho), Willian e Neymar; Gabriel Jesus. T.: Tite

EQUADOR

Banguera; Velasco, Arboleda, Achilier e Cristian Ramírez; Quiñónez, Noboa, Valencia, Gaibor e Fidel Martínez; Énner Valencia. T.: Gustavo QuinterosEstádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre

Público presente: 36.869

Renda: R$ 7.886.450,00

Juiz: Mario Diaz de Vivar (PAR)

Cartão amarelo: Neymar, Jesus e Marcelo (BRA); Fidel Martinez e Velasco (EQU)

Gols: Paulinho (BRA), aos 23 minutos, e Philippe Coutinho (BRA), aos 30 minutos do 2º tempo

Com informações da Folhapress.

157 total views, 1 views today

ComentáriosComentários