JPMotos
Gasto dos municípios com Carnaval ultrapassa R$ 4 milhões no Ceará
6 de fevereiro de 2016 às 13:06
ARACATI, CE, BRASIL, 14-02-2015: Foliões dançam ao som dos trios elétricos. Carnaval 2015 - Aracati. (Foto: Humberto Mota/Especial para O POVO)

ARACATI, CE, BRASIL, 14-02-2015: Foliões dançam ao som dos trios elétricos. Carnaval 2015 – Aracati. (Foto: Humberto Mota/Especial para O POVO)

Os custos públicos com eventos de Carnaval em apenas 10 das 184 prefeituras do interior do Ceará ultrapassam os R$ 4 milhões em 2016, de acordo com licitações publicadas no Portal de Licitações do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Estudo divulgado ontem pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) aponta que a crise econômica é a principal razão do cancelamento dos festejos na maioria dos municípios do Brasil.

O maior gasto, segundo levantamento feito pelo O POVO, é o da Prefeitura de Aracati, com R$ 1,7 milhão. Os festejos no município, no entanto, estão entre os mais tradicionais do Estado e devem movimentar a economia local. Estão programadas atrações como Waldonys, É o Tchan e Ítalo e Renno.

Com o terceiro maior gasto registrado no TCM, Granja deve despender R$ 600 mil, com previsão de arrecadar R$ 3 milhões, afirma o prefeito Romeu Aldigueri. Ele pontua que a prefeitura vai realizar os eventos porque está com as contas em dias, principalmente nas áreas de saúde e educação. A alegação de controle na gestão também é feita pela Prefeitura de Paracuru que ressalta ainda a redução no total de gastos em comparação com anos anteriores.

Estudo da CNM

A crise econômica é apontada pela CNM como principal razão para que prefeituras suspendam o Carnaval. Estudo feito pela instituição com 2.903 municípios brasileiros, mostra que 1.884 não vão apoiar eventos no período, o equivalente a 64,9%. No Ceará, apenas 43 prefeituras responderam o levantamento, mas não foram divulgados dados específicos.

Os municípios que apoiarão financeiramente eventos no período esperam gastar, em média, R$ 129 mil, que corresponde a 81% do valor investido em 2015, segundo a CNM. A economia dos que suspenderam deve ser revertida para as áreas de saúde, educação e outros eventos culturais, diz o estudo.

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, pontua que a suspensão dos gastos com festividades é “questão quase obrigatória dos gestores atuais”. Ele pontua que há uma pressão cada vez maior sobre eles para controlarem gastos diante da falta de verba para pagamentos de salários e outras obrigações.

Durante o mês de janeiro, foram feitas diversas recomendações pelo TCM e pelo Ministério Público do Estado do Ceará sobre o controle de gastos. Prefeito de um dos municípios sem tradição carnavalesca e com dificuldades financeiras, Francini Guedes lamenta a situação financeira de Jaguaribara e ressalta que não será candidato à reeleição esse ano devido à crise.

NÚMEROS

R$ 1,7 milhão é o gasto que somente a Prefeitura de Aracati terá no Carnaval 2016

Fonte: O Povo

123 total views, 1 views today

ComentáriosComentários