JPMotos
Agricultor de 69 anos foi morto a tiros em Potengi apenas por ter testemunhado um homicídio
24 de setembro de 2017 às 10:22

Quase seis meses depois um novo homicídio foi registrado em Potengi. Por volta das 11 horas o aposentado Adão Ferreira Neves, de 69 anos, que residia no Sítio Melosa a uma distância de 7 Km para o centro de Potengi, foi assassinado cm dois tiros de revólver perto de sua casa. Ele já tinha sido vítima de ameaça de morte pelo fato de ter testemunhado um homicídio naquele município.

A polícia foi avisada e uma patrulha com o Sargento Gomes e os Soldados Castro e Fidélis foi imediatamente ao local conseguindo prender ainda no Sítio Melosa um dos suspeitos apelidado por “Nanam de Chiquiinha”. Ele negou envolvimento no assassinato do agricultor, mas, para a polícia, as evidências são fortes já que fora visto momentos antes com a vítima.

“Nanan” foi preso na estrada de acesso ao Sítio Melosa pilotando uma moto e com um revólver na cintura tendo seis cartuchos intactos. Ele tem várias passagens pela polícia, é acusado de dois homicídios e, em relação a um deles teve o testemunho de Adão que terminou ameaçado de morte quando “Nanam” ainda estava preso. A polícia de Potengi está diligenciando para tentar prender o outro acusado do assassinato desta manhã.

Este foi o primeiro homicídio do mês de setembro em Potengi e o terceiro de 2017 no município, onde seis pessoas tombaram mortas no decorrer do ano passado. No último dia 6 de abril o corpo do cuidador de animais João Paulo Ferreira Paulino, de 24 anos, foi encontrado em sua casa na Vila Padre Cícero. O mesmo foi lesionado a golpes de faca e ainda atearam fogo momentos após uma bebedeira com seis pessoas em sua residência. Todos foram levados para a delegacia e negaram envolvimento no crime.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

154 total views, 2 views today

ComentáriosComentários