JPMotos
Criminosos deixam bilhetes em locais onde ônibus foram atacados: ‘iremos parar o Ceará’
20 de abril de 2017 às 10:47

Os motivos que culminaram na onda de ataques aos transportes públicos de Fortaleza ao longo desta quarta-feira (19) ainda estão sendo investigados pela Polícia Militar e Civil do Estado, mas alguns bilhetes deixados por criminosos nos lugares onde ônibus foram incendiados fornecem pistas sobre as razões das ocorrências. Nos recados endereçados ao governo, uma quadrilha autointitulada “Guardiões do Estado” exige a “transferência imediata” de presos que estão na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL 2), localizada no município de Itaitinga.

“Se mexer com as unidades prisionais igual estão fazendo, iremos parar o Estado do Ceará”, diz um trecho do bilhete. A quadrilha também ameaça “explodir a Secretaria de Segurança” e “fazer valer” a ameaça de carro-bomba na Assembleia Legislativa, caso o governo não interrompa a transferência de presos entre as unidades prisionais do Estado.

Em um dos veículos da Enel incendiados nesta tarde, uma carta deixada por criminosos também fala que o “Ceará irá viver um mês de terror, com atentados e explosões em prédios públicos”, caso as demandas não sejam atendidas. “Todos os inocentes mortos serão de responsabilidade do governo”, diz o recardo.

Investigação

De acordo com o comandante do Policiamento da Capital, coronel F. Souto, “está toda a Polícia Militar e Civil nas ruas mobilizada para investigar esses incêndios”. Ainda segundo ele, estão sendo realizadas abordagens nas vias públicas de maior movimentação e em paradas estratégicas a fim de evitar novos ataques: “A PM está na ação preventiva e a Civil investigando”, acrescentou.

Até momento, a PM confirmou ataques a ônibus nas localidades do Barroso, Cidade Jardim, Barra do Ceará, Jangurussu, na avenida Osório de Paiva e Edson Queiroz. Ainda não há informações oficiais, mas moradores de Caucaia, Eusébio e Horizonte reportaram ações contra ônibus nos três municípios.

A cúpula da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) reuniu-se à tarde e há expectativa, confirmada pelo assessoria da PM, que o secretário de Segurança do Estado, André Costa, posicione-se sobre os ataques e motivações ainda nesta quarta-feira.

Diário do Nordeste

314 total views, 1 views today

ComentáriosComentários