JPMotos
Fim de semana com oito homicídios em Crato, Juazeiro do Norte, Missão Velha, Barbalha e Brejo Santo
13 de junho de 2016 às 12:35

20160613103046_2969_capaCaiu de nove para oito o número de mortes violentas na comparação entre os dois últimos finais de semana chamando a atenção o fato de este terem sido todos homicídios à bala e faca. Foram três em Crato, dois em Juazeiro e os demais nos municípios de Missão Velha, Barbalha e Brejo Santo. De acordo com levantamento feito pelo Site Miséria, dois assassinatos ocorreram no sábado e os demais neste domingo.

Por volta das 12h30min de sábado, na Avenida Aracaju perto do cruzamento com a Rua Ozana Pereira (Romeirão), Lucas Vinicius Gomes Paulino, de 17 anos, o “Luquinhas” que residia na Avenida Aracajú, 476 naquele bairro, foi executado a tiros de pistola na cabeça por dois jovens numa moto Honda Titan de cor escura. Segundo a polícia, dia 24 de fevereiro já tinham tentado matar esse menor que era usuário de drogas e suspeito de roubos. A mãe já tinha aconselhado o mesmo a ir morar com uma tia no que discordava. Sábado, tão logo saiu de casa contra a vontade dela tombou morto a 30 metros do imóvel.

Uma hora e meia depois, na estrada de acesso ao Distrito de Quimami em Missão Velha, Genilson Firmino dos Santos, de 25 anos, o “Zarolho” que residia na Rua Francisco Januário Pereira no centro, foi morto com um tiro na cabeça e ainda teve a orelha direita decepada. Ele viajava numa moto Honda CG 125 Titan de cor vermelha que foi interceptada por ocupantes de um Fiat Pálio de cor preta os quais mandaram o garupeiro Valmir Lopes Chaves, de 36 anos, residente no Sítio Malhada da Areia, sair de perto quando executaram Genilson. Ele era acusado de roubos e comparsa de Carlos Alberto Ferreira, morto semana passada.

Já às 02h30min da madrugada deste domingo, na Rua Antonio Antuerpio Gonzaga de Melo em frente ao número, 380 no bairro Vila Lobo, José Rodrigo Rodrigues da Silva, de 17 anos, o “Cabeça”, que residia na Travessa Altaneira, 40 no Alto da Penha, foi morto a tiros. Segundo a polícia, ele seria responsável por entregar drogas para uma “boca de fumo” e já tinha sido preso por este motivo. Familiares confessaram que o mesmo vinha sendo ameaçado de morte e pouco estava saindo de casa por este motivo.

Meia hora depois, no Parque da Cidade em Barbalha, o jovem Antonio Moisés de Oliveira, de 21 anos, o “Vinicius” que morava na Rua T11, número 71 (Bairro Santo Antonio) naquele município, foi morto a golpes de faca por Anderson Silva Lima, da mesma idade e residente no bairro Cirolandia em Barbalha. A vítima respondia por crime de tráfico de drogas e o acusado foi preso na saída do parque, sendo autuado em flagrante na delegacia para responder por homicídio.

Às 19 horas ainda de domingo a comerciante Ana Telma Pinheiro Sá, de 38 anos, irmã do radialista Delton Sá, foi atingida no pescoço por bala perdida e morreu na UPA Limoeiro. Ela residia na Rua São Benedito, 2.411 na esquina com a Rua Belo Horizonte (Bairro José Geraldo da Cruz), onde possuía um comércio e saía à porta no momento em que ocorria um assalto quando foi lesionada. Dois homens tinham roubado uma moto na Rua 1º de Maio no bairro Limoeiro e iam fazer novo assalto junto a um grupo de pessoas quando houve reação de uma das vítimas. Na saída, o garupeiro atirou atingindo a comerciante.

Meia hora depois, no bairro Alto da Penha em Crato, Antonio Marcos de Lima, de 40 anos, o “Marquinhos dos Filhós”, foi morto a tiros. Ele residia na Rua Bruno de Menezes naquele bairro e teve a porta da cozinha de sua casa arrombada, sendo o imóvel invadido por algozes que o assassinaram. Na tarde do último dia 26 de janeiro o mesmo foi preso com um revólver calibre 32 tendo cinco cartuchos intactos e um deflagrado momentos após atirar num desafeto que fugiu sem ser atingido.

Por volta das 20h30min outro homicídio foi registrado na Travessa Potengi no bairro Seminário em Crato. Um jovem tombou morto após ser alvejado a tiros e está sem identificação no IML de Juazeiro. Ele ostenta uma tatuagem com os nomes “Raiane e Caio”, algumas estrelas e outra no peito esquerdo com o nome “mamãe” abaixo de uma coroa. A vítima usava uma blusa preta por baixo de um blusão de frio e vestia um short jeans de cor azul e tinha uma gargantilha no pescoço.

Meia hora depois, na Rua Fernandes Guilherme Batista, em frente ao número 13 (Bairro Morro Dourado) em Brejo Santo, Francisco Jerbson Dantas de Sousa, de 19 anos, o “Fanquinha”, foi morto a tiros. Ele residia na casa número 12 daquela via, perto da capela, onde conversava com amigos quando chegaram dois homens em uma moto Honda Fan de cor vermelha atirando com uma espingarda calibre 12. O jovem era usuário de drogas, suspeito de furtos e foi lesionado com três tiros no tórax. Há dois anos ele tentou matar uma pessoa conhecida por “Rogério”, que morava no Bairro Renê Lucena.

Com parceria Miseria

258 total views, 1 views today

ComentáriosComentários