JPMotos
Justiça manda prender: Mãe acusada de dois homicídios e filho envolvido com o tráfico foram presos em Crato
10 de fevereiro de 2017 às 09:20

20170209175046_6401_capa

Policiais militares de Crato e Farias Brito prenderam a agricultora Maria de Fátima Honorato Rodrigues, de 36, a “Fátima Macumbeira”, e o seu filho Micael Honorato do Nascimento, de 20 anos, o “Micael Macumbeiro”. Ela é suspeita de envolvimento em dois homicídios, tráfico de drogas e ter desobedecido a uma intimação judicial para audiência, enquanto o rapaz é condenado a oito anos e dois meses de prisão por crimes de tráfico de drogas e corrupção de menores praticados em junho do ano passado quando foi preso.

Os PMs cumpriram mandados expedidos pelos juízes Carlos Eduardo Carvalho Arrais e Antonio Vandemberg Francelino de Freitas, respectivamente das comarcas de Farias Brito e Crato. Mãe e filho moram no chamado “Beco do Japão” em Crato onde ela foi presa e Micael se encontrava na casa de sua namorada na Vila Piolho igualmente naquele município. O trabalho foi coordenado pelo Subtenente Simplício, Comandante do Destacamento de Farias Brito e os dois estão recolhidos à cadeia de Crato.

Fátima era irmã de Francisca Honorato Rodrigues Filha, de 26 anos, a “Janaina Macumbeira”, morta a tiros dentro de sua casa na Rua do Cruzeiro (Bairro Caixa Dágua) em Farias Brito no último dia 18 de março. Antes, outro irmão dela que era conhecido como “Raimundo Macumbeiro” e igualmente envolvido com o tráfico de drogas já tinha sido assassinado, enquanto mais um irmão no caso “Cícero Macumbeiro” está preso em Farias Brito sob acusação de dois homicídios.

O mandado cumprido pela polícia contra “Fátima Macumbeira” refere-se a um homicídio praticado por ela na madrugada do dia 18 de novembro de 2012 no Sitio São João na zona rural de Farias Brito, onde residia. O agricultor Irineldo dos Santos Silva, de 25 anos, morador da localidade, foi morto com vários golpes de faca e a mesma deixou a arma cravada no abdômen da vítima. Eles tinham bebido a noite inteira e pela madrugada juntamente com Cícero Alves da Silva, hoje com 27 anos.

Na época, o co-autor residia no Sítio Clemente em Farias Brito. Após o assassinato, Fátima adentrou um matagal, mas terminou presa por policiais militares na BR-230, que liga os municípios de Várzea Alegre e Farias Brito. Ela contou que o homicídio ocorreu por causa de meio litro de cachaça que a vítima quebrou sem querer e a polícia não conseguiu localizar Cícero Alves que fugiu e seria o autor das facadas, segundo Fátima.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

146 total views, 1 views today

ComentáriosComentários