JPMotos
Março terminou com 15 assassinatos em Juazeiro e o ano está 16% mais violento
7 de abril de 2017 às 12:31

Com um total de 15 homicídios em dez diferentes bairros de Juazeiro do Norte, o mês de março teve cinco assassinatos a mais na comparação com fevereiro. Ou seja, o terceiro mês do ano foi 33,3% mais violento que o anterior e quatro homicídios a mais na comparação com março de 2016 quando 11 pessoas tombaram sem vida em Juazeiro. Este ano foram 12 homicídios em janeiro, 10 em fevereiro e 15 no mês passado.

Segundo levantamento do Site Miséria, em março os bairros onde houve o registro de homicídios foram Frei Damião com quatro (26% do mês), Santa Tereza e Triângulo com dois cada e os demais nos bairros Horto, Jardim Gonzaga, Pirajá, Tiradentes, Pio XII, Novo Juazeiro e Salesianos. No acumulado do ano o bairro Frei Damião é o mais violento com o registro de cinco assassinatos ou 13,5% do total de 37 homicídios. Eis a relação dos assassinatos registrados no decorrer do mês passado em Juazeiro:

Dia 08 – João Cândido da Silva, de 49 anos, o “João Mão Branca” ou “João Paraná” que residia na Rua do Horto foi morto a tiros perto de sua casa. Ele respondia por crimes de lesão corporal, ameaças e estupro contra sua própria filha doente mental e tinha sido posto em liberdade dias antes.

Dia 09 – Paula Raiane Gomes da Silva, de 27 anos, que residia na Rua Santa Cecília, 1271 (Salesianos) morreu no HRC dois dias após ser lesionada com três tiros perto do Hiper Bompreço (Santa Tereza) por homens que fugiram num carro. Ela era lésbica e respondia por assaltos, furtos, uso de drogas e até chegou a fugir da cadeia pública de Juazeiro.

Dia 10 – Lucas Matias da Silva, de 20 anos, que residia na Rua José Jataí no Jardim Gonzaga, foi morto a tiros em bar que funciona na Rua Luciano Torres de Melo naquele bairro por dois homens que fugiram numa moto. Ele respondia por crime de trânsito, porte ilegal de arma de fogo e violência doméstica.

Dia 11 – Bruno Rodrigues Bueno, de 20 anos, foi morto com dois tiros nas costas quando passava na Rua Sanfoneiro João Lucas (Frei Damião). Há três meses residia naquele bairro para onde veio procedente de São Paulo, onde respondia alguns procedimentos na justiça.

Dia 11 – Izidório Pereira de Lima, de 54 anos, o “Gerson” que morava na Rua São Damião (Santa Tereza), foi morto a tiros no cruzamento das ruas São Damião e Delmiro Gouveia naquele bairro por um homem que se aproximou a pé e saiu correndo após atirar na cabeça da vítima. Izidório era usuário de drogas.

Dia 14 – Cícero dos Santos Veloso, de 32 anos, que residia na Rua Maria Generosa de Almeida (Frei Damião), foi morto a tiros na calçada de sua casa por dois homens que fugiram numa moto Honda Bros. Ele era testemunha de um crime de receptação e seu irmão Josivan Bezerra da Silva, de 20 anos, acusado de violência doméstica, saiu lesionado com um tiro no pé

Dia 17 – Francisco de Assis dos Santos, de 21 anos, que residia na Rua Capitão Coimbra, 412 (Pirajá), foi lesionado com duas facadas no tórax e morreu no cruzamento das Avenidas Castelo Branco e Ailton Gomes, imediações do mercado do bairro Pirajá.

Dia 19 – Francisco Arlindo de Lima, de 40 anos, que residia na Rua Ana Rita de Sousa, 204 (Tiradentes), foi morto a tiros na Rua Olgives de Melo naquele bairro pouco tempo após sair de casa em sua moto. Ele respondia por um crime de lesão corporal contra Helaine Verônica Bezerra de Oliveira em julho de 2014, a qual até solicitou uma medida protetiva que terminou descumprida em outubro daquele ano.

Dia 19 – Kennedy Douglas Souza Cunha, de 17 anos, o “Dodô” que residia na Rua São Geraldo, 315 (Pio XII), foi morto a tiros na Rua Formosa perto do Mercantil Três Irmãos naquele bairro por dois homens que fugiram numa moto de cor preta. Ele respondia dois procedimentos em segredo de justiça e o arrombamento contra uma residência no bairro São José quando foi apreendido no dia 4 de novembro de 2015.

Dia 20 – Rafael Gonçalves, de 20 anos, que residia na Rua Luciano Garcia Gustavo, 54 (Frei Damião), foi morto em troca de tiros com a polícia após o roubo de uma motocicleta. O seu comparsa de iniciais E. G da S., de 16 anos, residente no mesmo bairro, terminou apreendido.

Dia 20 – Cícero Geyrlan Clementino Pinheiro, de 24 anos, que na Rua Joaquim Figueiredo, 87 (Triângulo) foi morto a tiros no cruzamento das ruas José Domingos da Silva e Valdomiro Marçal perto do Conjunto Prourb naquele bairro, tendo como suspeito um ex-presidiário identificado apenas por “João Paulo”. Ele respondia por crimes de porte ilegal de arma de fogo, receptação, roubo e tráfico de drogas.

Dia 20 – João Wesley Caetano Leite, de 16 anos, o “João Magrinho” que residia na Rua Mozart Cardoso, 47 (Novo Juazeiro), foi morto a tiros perto de sua casa por quatro homens em duas motos. A vítima residia há pouco tempo no local após se mudar do bairro João Cabral e tinha várias passagens pela polícia por assaltos.

Dia 22 – José Hélio Alves Gomes, de 44 anos, o “Nego Hélio” que residia na Rua Francisco Martins de Sousa (Frei Damião), foi morto a tiros perto de sua casa por dois homens numa moto. Ele era usuário de drogas, respondia por crime de tráfico e já tinha sido vítima de um atentado à bala em outubro de 2013.

Dia 24 – Rodrigo Silva Costa, de 17 anos, que residia na Avenida Paulo Maia (Salesianos), morreu no HRC horas após ser esfaqueado por dois homens que chegaram em uma moto perguntando se ele não iria pagar a conta. A vítima respondia atos infracionais junto às Comarcas de Cedro e Icó, sendo dois em segredo de justiça e já esteve internado no Centro Sócio Educativo de Juazeiro.

Dia 26 – George Aurélio Silva de Oliveira, de 43 anos, que residia na Rua São Lazaro (Triângulo), foi morto a tiros na mesa de um bar na Rua Socorro Norões Mota perto do cruzamento com a Rua Valdomiro Marçal do Carmo no Mercado do Triângulo. A vítima não tinha passagens pela polícia e foi executada por dois homens que ali chegaram.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

342 total views, 1 views today

ComentáriosComentários