JPMotos
Morre a bonita jovem que teve o corpo incendiado pelo pai em Assaré
21 de fevereiro de 2018 às 16:44
284
Visualizações

A estudante Juliana Alves de Oliveira, de 19 anos, morreu no início da manhã desta quarta-feira na UTI da Unidade de Queimados do Instituto José Frota (IJF) de Fortaleza. A bonita jovem morava na Rua Chiquinho Pereira, 622 (Bairro Coruja) em Assaré, onde o seu pai a umedeceu com gasolina e ateou fogo na noite do último dia 9 de fevereiro. Ele procedeu da mesma forma em relação à si próprio, contra sua esposa Laura Alves de Oliveira, de 50 anos, e um filho de 12 anos.

O agricultor João Batista de Oliveira, de 50 anos, já tinha morrido na mesma unidade hospitalar na madrugada de segunda-feira e seu corpo foi sepultado ontem no Cemitério de Tarrafas. Já sua companheira, que sofreu queimaduras nos braços, recebeu alta esta manhã do Hospital São Vicente de Paulo de Barbalha. Ela seguiu para Assaré a fim de aguardar o corpo da filha e acompanhar o sepultamento. O filho Eduardo Alves de Oliveira, de 12 anos, teve uma leve queimadura na orelha e ficou na casa de parentes.

Juliana se encontrava num coma induzido e o estado considerado grave. Hoje pela manhã seu corpo foi recolhido pelo rabecão, a fim de ser necropsiado na Perícia Forense de Fortaleza. A urna mortuária deve chegar ainda na noite desta quarta ou madrugada de quinta-feira. A tragédia familiar aconteceu após João Batista passar a tarde ingerindo bebidas alcoólicas num bar perto de sua casa. Ele a filha tinham sofrido queimaduras em níveis de 2º e 3º graus que atingiram 90% dos corpos.

Este foi o primeiro homicídio deste ano em Assaré e a última mulher morta naquela cidade tinha sido Antonia Mulato, de 23 anos, a “Mulatinha”, no dia 2 de maio de 2016. Ela morava na Rua Vereador João Murilo Brilhante (Casas Populares) e teve o corpo encontrado num terreno na Vila Nildália. O acusado do crime foi preso no caso Roberto Rodrigo Belo Aquino de Almeida, de 25 anos, com quem a garota foi vista num forró na noite anterior.

 

Com Parceria Site Miséria.com.br
Por Demontier Tenório

ComentáriosComentários