JPMotos
Nunca se matou tantas mulheres num só mês no Cariri com sete apenas em agosto
19 de setembro de 2017 às 11:46

O mês de agosto terminou com o registro de sete mulheres assassinadas na região do Cariri, sendo Quatro em Juazeiro e as demais em Caririaçu, Farias Brito e Crato após um mês de julho sem o registro de homicídios contra pessoas do sexo feminino. Nos oito primeiros meses deste ano já são 19 mulheres mortas contra 14 na comparação com igual período do ano passado ou cinco a mais representando 26,3% de aumento no feminicídio.

Na comparação dos meses de agosto deste e do ano passado houve um crescimento significativo com seis homicídios a mais em 2017. Este ano, mulheres tombaram mortas em nove cidades da região, sendo uma no mês de fevereiro, quatro em março, três em maio, quatro em junho e sete no mês passado. De acordo com levantamento feito pelo Site Miséria foram sete mulheres assassinadas em Juazeiro ou 36,8% de todo o Cariri, Missão Velha, Barbalha, Crato e Caririaçu com duas cada e as demais em Mauriti, Jati, Brejo Santo e Farias Brito.

Logo no dia 1º de agosto Maria Cícera da Silva, de 40 anos, a “Cicinha” que residia na Rua Carolina Sobreira, 1824 (Timbaúbas) em Juazeiro, foi morta a tiros no dia do seu aniversário dentro de casa por dois homens que chegaram numa moto Honda CB300 de cor vinho perguntando: “cadê a valentona?”. Ela respondia procedimento por crime contra a administração pública e seu filho Francisco Bruno Ferreira Timóteo, de 22 anos, saiu lesionado no ombro esquerdo.

Quatro dias depois Lúcia Gomes de Figueiredo, de 38 anos, a “Luciana”, foi morta a tiros dentro de sua casa no residencial Village Duo na Rua José Bezerra da Silva (Lagoa Seca) em Juazeiro por dois homens que chegaram numa Amarok de cor preta se passando por policiais e falando sobre uns terrenos. Ela respondia crimes de ameaças, constrangimento ilegal, estelionato e violência doméstica.

Já no dia 11 a jovem Sayure Alves Nobre, de 18 anos, que residia na Rua Vereador Antonio Brás (Limoeiro) em Juazeiro, teve o corpo encontrado na CE-060 perto do lixão de Caririaçu apresentando uma perfuração à bala na cabeça e grávida de três meses. Dia 16 de agosto a polícia prendeu o namorado dela Jefferson Matteus Aguiar Luciano, de 19 anos, residente no bairro Triângulo, o qual não queria ser pai. O suposto autor do disparo teria sido Cícero João de Medeiros, o “Golinha”, preso dia 23.

No dia 15 a acusada do tráfico de drogas Ana Lúcia Agostinho de Morais, de 45 anos, que residia na Rua Domingos Sávio, 1516 (Timbaúbas), foi morta a tiros perto de sua casa em Juazeiro do Norte. Ela respondia Ação Penal por posse de arma e tráfico de substâncias entorpecentes.

Enquanto isso, no dia seguinte, Cleidiana Rosendo de Sousa, de 31 anos, que residia na Rua do Cruzeiro, 263 no centro de Farias Brito, foi morta dentro de casa com um tiro no ouvido efetuado pelo seu ex-companheiro Germano Oliveira Silva, de 47 anos, residente na Travessa Senhora Conceição, que fugiu num Gol de cor branca e o abandonou no Sítio Clemente. Ele responde por tentativas de homicídios, porte de arma de fogo, embriaguez ao volante, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas e já vinha ameaçando Cleidiana de morte, sendo preso no dia 19 de agosto.

Já no dia 17 a jovem Natália de Lima Dias, de 22 anos, que era de Boa Viagem e estava residindo no bairro Campo Alegre em Juazeiro, teve o cadáver encontrado com um punhal cravado no pescoço num matagal na Rua Manoel Amorim dos Santos daquele bairro perto de um barreiro que fica próximo à cadeia pública. Ela respondia por crimes de assaltos e corrupção de menores. No mesmo dia a polícia prendeu Yego Barros do Nascimento, de 21 anos, em sua casa no bairro Santa Tereza, juntamente com uma adolescente de 15 anos, como acusados do crime.

Finalmente, nove dias depois Maria Eliana da Silva Sousa, de 41 anos, que morava na Rua Moacir Gondim Lóssio (Bairro São José) em Crato, foi morta com uma facada no pescoço desfechada por “Fátima Cabeleireira” residente na Rua Karolé (Bairro Muriti) e fugiu. O crime aconteceu após discussão em frente à Churrascaria Recanto do Sabor perto do Conjunto Minha Casa Minha Vida no bairro Barro Branco. No dia seguinte, a acusada esteve na delegacia quando foi ouvida e posta em liberdade.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

184 total views, 1 views today

ComentáriosComentários