JPMotos
Operação da DRF: Suspeito de dez roubos a banco é preso com fuzis
22 de março de 2017 às 08:37

Um homem apontado pela Polícia Civil como um dos principais assaltantes de banco do Ceará foi detido na última segunda-feira (20), no bairro Damas, em posse de dois fuzis. Marcos Fernando Monteiro Marques, o ´Chicó´, 30, é suspeito de estar à frente de pelo menos dez roubos a banco do Estado. Ele estava em uma loja de motos quando foi surpreendido pelos policiais.

O delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Raphael Vilarinho, ressalta que havia mandados de prisão em aberto para Marques, referentes a ataques a banco em São Gonçalo de Amarante, nos anos de 2014 e 2015. Na época, o suspeito teria praticado três ´sapatinhos´, ação que consiste no sequestro do gerente da agência.

Em depoimento, ´Chicó´ afirmou ter participado de dois assaltos a banco já neste ano, em fevereiro. Uma das ações ocorreu em Tejuçuoca, com uso de explosivos; quatro dias depois ele teria tentado novo roubo, desta vez à Caixa Econômica de Tamboril.

No momento da abordagem, a Polícia apreendeu dois fuzis com ele. “Os policiais foram até a casa dele, lá tinha dois fuzis importados com mira a laser e com 124 munições, cada um custa cerca de R$ 50 mil. São de primeira linha e tudo indica que foram trazidos de São Paulo”, ressaltou Vilarinho.

Reincidência

´Chicó´ já havia sido preso anteriormente. De acordo com a Polícia Civil, desde o início de 2016, quando foi solto, o suspeito era investigado por supostas participações em ataques a banco no Estado. Com a prisão, outros quatro supostos membros da quadrilha dele foram identificados e estão sendo procurados.

Raphael Vilarinho lembra que o armamento encontrado sugere que Marques cometeria outros assaltos a bancos. Para facilitar suas ações o suspeito ainda utilizava drones para vigiar a rotina dos funcionários das agências bancárias. “Ele tem uma ficha criminal extensa. Podemos dizer que é um dos maiores do Estado”, ressaltou o delegado.

Balanço

O levantamento da Polícia Civil mostra que em 2017 já houve 15 ataques a banco no Ceará. Sendo 11 com a uso de explosivos e quatro com uso de maçaricos. “Eles são presos, soltos, e acabam montando um novo núcleo criminoso, mas com essa prisão tende a diminuir o número de ataques”, disse Vilarinho.

Fonte: Diário do Nordeste

181 total views, 2 views today

ComentáriosComentários