JPMotos
Aeroporto vive madrugada de protestos contra reforma da Previdência. Prefeito aparece de surpresa
21 de março de 2017 às 11:32

Cerca de 50 manifestantes realizaram um protesto, na madrugada desta terça-feira, no Aeroporto Internacional Pinto  Martins, contra a proposta de reforma da Previdência do governo Michel Temer. O ato foi organizado pela CUT, Sindicato dos Professores do Estado (Apeoc), Sindicato dos Professores de Fortaleza (Sindiute) e Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal (Fetamce).

Na ocasião, os manifestantes fizeram um corpo a corpo junto a parlamentares federais cearenses que costumam embarcar sempre na madrugada de terça-feira para Brasília. O presidente do Sindicato Apeoc, Anízio Melo, disse que esse tipo de manifestação tem caráter nacional. O objetivo é impedir “as reformas malditas”.

Poucos parlamentares foram alcançados pelo protesto. Gorete Pereira (PR) até que conversou, informando que iria acompanhar o debate sobre a reforma da Previdência. Ela, no entanto, acabou vaiada a revelar que era a favor do projeto que flexibiliza as terceirizações.

Entre os que passaram, conversaram e apoiaram os sindicalistas, estavam José Guimarães (PT), Odorico Monteiro (Pros) e Chico Lopes (PCdoB). Lopes aproveitou para bater duro no presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/J), a quem qualificou de “cretino”.

Enquanto isso, houve parlamentar que conseguiu driblar o protesto e evitar confrontos. Caso, por exemplo, do deputado federal tucano Raimundo Gomes de Matos. Ele embarcou por outra área do terminal, mas, mesmo assim, alguns manifestantes conseguiram vê-lo seguindo para o embarque, no que acabou sendo chamado de golpista.

Mas surpresa mesmo para os manifestantes foi a presença do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT) . Ele embarcava para Brasília, onde cumprirá agenda em alguns ministérios e será recebido em audiência, à tarde, pelo presidente Michel Temer. O prefeito não deixou de abrir largo sorriso e cumprimentar sindicalistas como o pessoal do Sindiute, que cobra reajuste do piso salarial.

Roberto Cláudio, instado sobre a Reforma da Previdência, disse que estava aberto a incorporar outras lutas, destacando que estava sempre aberto a discutir questões além da pauta local. Ele aproveitou para informar que na sexta-feira receberá o Sindiute para discutir reajuste do piso dos professores. A categoria bradou quanto que: 7.64%.

De acordo com a Central Única dos Trabalhadores, além do protesto contra a Reforma da Previdência, haverá em Brasília um ato de pressão contra a Câmara. É que consta na pauta de votações o projeto que flexibiliza as terceirizações, no que para a CUT seria precarizar ainda mais a relação de trabalho no País.

(Foto e Cinegrafia – Paulo MOska)

O POVO

142 total views, 1 views today

ComentáriosComentários